sexta-feira, 20 de julho de 2007

Mídia VAGABUNDA

Uma guerra anunciada
A Globo News já colocou no ar o Marco Aurélio Garcia, ex-presidente interino do PT e assessor especial da Presidência da República, acabava de dar uma entrevista em seu gabinete a uma equipe do "Jornal da Globo", em Brasília. Entra no ar o noticiário do "Jornal Nacional" sobre a tragédia de Congonhas. Marco Aurélio e um assessor comemoraram a revelação de que o Airbus 320 da TAM -- que caiu em São Paulo e matou cerca de 200 pessoas -- voou com um defeito no reversor da turbina direita. Ou seja, de que não foi culpa da pista do aeroporto de Congonhas. Comemoram como? Marco Aurélio, com com uma mão fechada e outra aberta batendo sobre ela. Aquele gesto que siginifa: "Se f---". Seu assessor simulava o gesto de copular com os dois braços. A equipe da Globo filmou tudo do lado de fora do prédio. Imagina-se que eles falavam da própria Globo.
Atualização, após a exibição da cena no "Jornal da Globo":Marco Aurélio foi ouvido. Trêmulo, classificou a gravação como "clandestina". Argumentou que não foi uma comemoração, mas a "manifestação privada da indignação a respeito de versões que tentam atribuir a culpa do acidente ao governo". A Globo, por sua vez, não passou recibo, apesar da expressão de irritação de William Wack. Não assumiu que Marco Aurélio poderia estar se referindo à própria emissora. De fato, a guerra entre o governo Lula e as Organizões Globo está ficando cada dia mais explícita.
O Governo do Presidente Lula, desde que foi anunciada o resultado da pesquisa com 66% de aceitação, passando pelo início do PAN, tem sido sistematicamente bombardeado pela mídia partidária. Quando se imaginava que as coisas estavam se acabando eis que a aeronave da TAM nesse acidente fatal, (já teve outro foi em Porto Alegre no dia 26 de dezembro), a mídia sem nenhum dado técnico, sem nenhuma avaliação séria, antes de saber sequer se havia sobreviventes, já identificava o CRIMINOSO: Lula. Os dias vão passando, e a cada dia aparecem indicios que se não confirmam culpa, causas, mas afasta de alguma forma a responsabilidade criminosa do Governo. A mídia não se dá por satisfeita e por mais que as coisas avancem para uma elucidação, a mídia insiste em congelar o tempo como se o mundo tivesse parado ali, no acidente. Se um indivíduo é acusado por uma morte que ele não cometeu, e depois se for comprovado que não foi ele quem cometeu o crime, ele não pode comemorar? A comemoração dele não é pela morte de alguém, mas pela sua inocência, pela sua honra, que para ele, nada é mais importante.
Cuidado mídia golpista, já existem muitos motivos para a sua concessão não ser renovada. Lembra das imagens dadas como certas da prova que o Ministro Rondeau teria recebido 100 mil e depois o Perito Molina desmentiu? A exclusividade da falsa prova foi apresentada pela Rede Golpe.
Liberdade de Imprensa, sim. Liberdade para golpe, não.

Nenhum comentário: