domingo, 1 de julho de 2007

A máscara caiu

O advogado agiu como um fora da lei.
“O advogado Calmon entrega as gravações que dizia não existir e Renan Calheiros fala em chantagem de R$ 30 milhões.
Encurralado pelos fatos, Pedro Calmon Mendes, o advogado da jornalista Mônica Veloso, jogou fora a máscara com a qual pretendia encobrir sua verdadeira atuação no caso Renan Calheiros. Depois de mentir descaradamente à imprensa e ao Conselho de Ética de Senado, ele apresentou na noite de quarta-feira 27 os seis CDs, cuja existência até então negara, com as gravações de diálogos que Mônica manteve com Renan Calheiros e o lobista Cláudio Gontijo, da empreiteira Mendes Júnior. “Mais uma vez, ele dá uma demonstração de que se trata de um advogado fora da lei, que não respeitou o Senado Federal, nem o Conselho de Ética”, atacou o senador Almeida Lima (PMDB-SE). “Estamos diante de um farsante, de alguém que faz da mentira uma ferramenta profissional”, disse o senador Valter Pereira (PMDB-MS). Enquanto Calmon Mendes protocolava os CDs no Conselho de Ética, o Jornal da Band levava ao ar uma reportagem que novamente comprovou a existência da chantagem feita pela dupla Pedro Calmon e Mônica Veloso e demonstrou como a jornalista gravou seus encontros secretos com Renan, em março de 2005. Na operação, Mônica foi auxiliada pelo editor de imagem Alexandre Colmar, que trabalhava na produtora da jornalista. Ele teria comprado para ela um gravador pequeno e, mais tarde, foi quem transferiu as gravações para os CDs. O cinegrafista Leidimar Pereira dos Santos revelou que ensinou Mônica a usar um microfone de lapela, sem fio. Segundo ele, Mônica levou, sozinha, os equipamentos da produtora.”
Rudolfo Lago / ISTOÉMatéria Completa, ::Aqui:: Enviada por: Nogueira Jr.

Nenhum comentário: