sábado, 4 de agosto de 2007

ONG que criticou PT tem rabo preso com os EUA.

ONG que criticou PT é financiada pelos EUA, afirma deputado
O deputado federal Dr. Rosinha (PT-PR), vice-presidente do Parlamento do Mercosul, criticou nesta sexta-feira (3/8) o conteúdo de uma carta endereçada pela ONG Repórteres sem Fronteiras (RSF) ao Partido dos Trabalhadores e ao presidente Lula.
Intitulado “Uma decisão infeliz do partido do governo fustiga a mídia privada”, o documento é assinado por Robert Ménard, secretário-geral da ONG. No texto, a ONG diz manifestar sua "preocupação" sobre as conseqüências de uma resolução aprovada no último dia 31/7 pela Executiva Nacional do PT. “Financiada pelo governo dos Estados Unidos e por empresas multinacionais, a ONG deveria mudar seu nome para Repórteres Com Fronteira”, afirma Dr. Rosinha. “Uma das formas de se medir a credibilidade de qualquer órgão é examinar suas fontes de financiamento. E o governo Bush tem injetado recursos nessa ONG.”
O PT e as eleições em 2008.

A resolução do PT convoca a militância do partido a reagir contra a “ofensiva que a oposição de direita e setores da grande imprensa deflagraram contra o PT e contra o governo Lula”. “A escalada de ataques sinaliza que a campanha de 2008 já começou, campanha que faz parte da guerra que a oposição de direita trava contra nós, tendo em vista tentar reconquistar a presidência da República", diz trecho da resolução.

“É possível responsabilizar a mídia pela insatisfação provocada pela emoção coletiva decorrente da tragédia de Congonhas?”, questiona a carta da ONG Repórteres Sem Fronteiras. “A decisão do PT não nos parece em acordo com um partido democrático. Ela não pode senão alimentar o rancor, e deve ser reconsiderada”.

Financiada pelos EUA

Conforme a advogada norte-americana Eva Golinger —autora de dois livros que comprovam a utilização, pelo governo Bush, de recursos públicos para financiar a oposição a Hugo Chávez—, a ONG Repórteres Sem Fronteiras tem recebido recursos de pelo menos dois órgãos públicos dos Estados Unidos.Um dos canais é o National Endowment for Democracy (NED), criado pelo governo Reagan para ações que “promovem a democracia”. “O NED é a CIA que mostra a cara”, afirma em seu blog o jornalista Luiz Carlos Azenha, lembrando que o órgão “distribui dinheiro público americano a ONGs”. O NED tem quatro braços internacionais, controlados pelos partidos Republicano e Democrata, pela Câmara de Comércio dos Estados Unidos e pela central sindical pelega AFL-CIO. Eva Golinger descobriu que a Repórteres Sem Fronteiras também recebeu dinheiro da Usaid (a agência norte-americana para o desenvolvimento internacional). Tanto o NED quanto a Usaid são subordinados ao Departamento de Estado americano.O RSF admitiu oficialmente que recebeu 40 mil dólares do NED. “Recebemos da National Endowment for Democracy e Center for Free Cuba apenas 2,5% do nosso orçamento”, alega Robert Ménard. O Center for a Free Cuba é uma organização anti-Fidel Castro financiada pelo Congresso dos EUA.A advogada Eva Golinger rebate a alegação. “Esse não foi o único dinheiro que eles receberam do NED, esse é o mais atual. Eles vem recebendo há anos dinheiro do NED e da Usaid”, afirma a advogada.Ela também denunciou o Instituto de Prensa y Sociedad (IPYS), com sedes no Peru e na Venezuela, por receber tanto dinheiro do NED quanto da Usaid. O IPYS é integrante a Repórteres Sem Fronteiras. Ambos vêm denunciando o governo da Venezuela por cercear a liberdade de imprensa.“Nunca vi a Repórteres Com Fronteira criticar os monopólios privados de comunicação no Brasil”, observa Dr. Rosinha. “Será que eles têm alguma independência para criticar a influência do governo Bush sobre a mídia norte-americana?” “Existe uma rede internacional de ONGs e grupos de observadores da imprensa que produzem e reproduzem relatórios uns dos outros, repercutindo na mídia suas opiniões sem revelar suas fontes de financiamento”, denuncia Luiz Carlos Azenha. “Por absoluta coincidência, a Fundação Ford é patrocinadora de muitas destas entidades, dentre as quais o RSF, o IPYS e o Comitê de Proteção dos Jornalistas, de Nova York".

www.pt.org.br

Nenhum comentário: