quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Eduardo Azeredo, o novo homem-bomba

O ninho tucano amanheceu em estado de alerta. Sentindo-se abandonado pela cúpula do partido e percebendo que corre o risco de explodir junto com o quarteirão, o senador Eduardo Azeredo manda dizer que não vai cair sozinho não. Sua entrevista à Folha de S.Paulo hoje é o recado mais direto que poderia existir, com nome, endereço e CPF: lá, ele diz que sua campanha (aquela acusada de receber o dinheiro ilegal do valeriduto) bancou a campanha de ninguém menos do que Fernando Henrique, candidato à reeleição em 1998. E assim vai.
Confirmou que Walfrido Mares Guia não foi o coordenador financeiro de sua campanha - o que é ótimo para o ministro. Mas deixou claro que Walfrido participou ativamente, sim, e admitiu que ele teria contatos, sim, com setores que contribuíram para a campanha - o que já não é tão bom assim para o ministro. Resumo da ópera: Eduardo Azeredo é o novo homem-bomba da temporada. Só não devem correr para os abrigos anti-bomba aqueles que nunca fizeram caixa dois.
enviada por Helena Chagas

Nenhum comentário: