terça-feira, 18 de setembro de 2007

Imprensalão quer abafar, mas governo FHC entrou no valerioduto tucano

TOC, TOC, TOC, TOC, TOC, TOC, TOC
Toda a imprensa já tem acesso ao relatório do inquérito da PF de 172 páginas.
Se fosse contra o PT, seria manchete em todos os jornais, e matéria de 2 a 4 páginas cheias.
Como é contra tucanos de alta plumagem, o imprensalão tem um comportamento diverso. Dá notas pequenas, escondidas, só para não dizerem que não saiu.
A imprensa não ainda chamou Aécio Neves de "mensaleiro" (recebimento de R$ 110 mil no valerioduto tucano) como chamou todos os Deputados que receberam dinheiro de Marcos Valério, por caixa-2. Por coerência, a imprensa tem obrigação de chamar Aécio Neves de "mensaleiro".Mas não vamos deixar esse caso ser abafado em hipótese alguma.
A coisa parece ser bem pior do que pensávamos.
Nós sabíamos que o Ministro das Comunicações de FHC, Pimenta da Veiga, recebeu R$ 150 mil de Marcos Valério. A CPMI dos Correios identificou o pagamento, mas se recusou a investigar tucanos.
Nesse relatório da PF, entrou no caldeirão o Ministério do Trabalho de FHC:
"MARCOS VALÉRIO também realizou em 1998 procedimentos ilícitos junto àFundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho - FUNDACENTRO,entidade integrante da administração pública federal vinculada ao Ministério do Trabalho,utilizando a mesma técnica de branqueamento de fundos desviados através da prestação deserviços publicitários inexistentes ou superfaturados."

Nenhum comentário: