Ser covarde, é...

Ser covarde, é...

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Julgamento adiado. Presidente do TRE pediu vistas.

Parece que não tem fim. Depois de 2 pedidos de vistas, de um empate
em 3x3, o Presidente do TRE-PB pediu vistas. Sendo assim, o
Governador tucano, tem que esperar até a próxima semana,
se fica ou sai do Governo.
Resta ao Estado, o prejuizo, mas isso as eminentes excelências não se preocupam, pois a despeito de tudo, que chova ou não, seus empregos e remunerações estão garantidos. Nesse momento não me preocupa o resultado, só entendo que a decisão deveria ser tomada rápida, pois é visível a falta de organização no Estado, na educação, segurança, e isso, em parte se deve a indefinição da permanencia do Governador. O pedido de vistas nesse momento, a pretexto de uma análise mais profunda, se aproxima mais de uma tentativa de se perder de vista.

Presidente do TRE vai decidir o futuro do Tucano paraibano

18:45 Horas. Com o sexto voto dado,
o placar ficou empatado.
3 x 3. Agora o Presidente do
TRE dará o voto minerva.

Em cima do lance: A Cassação do Governador da Paraiba

16:20 Horas. O Placar nesse momento é 3 x 2
Sendo assim falta 1 voto, mais o voto de Minerva caso dê o empate.
No momento a Sessão está suspensa. Dentro de 10 minutos os juizes estarão de volta.

ERRO DE PORTUGUÊS

FOLHA - O senhor acha que cometeu um erro de português na crítica ao presidente Lula?
FERNANDO HENRIQUE CARDOSO - Não é verdade. Acho que não [cometi erro]. Aliás, eles não disseram quem era o gramático [que apontou o erro]. Mas o [assessor de FHC] Eduardo Graeff até respondeu que, pelo "Houaiss", quando você diz "mais bem-educado" é "mais cortês, mais amável". Eu não queria dizer isso.
FOLHA - Mas esse "bem-educado" a que o Graeff se refere é com hífen. FHC - Ou sem hífen também.
FOLHA - O correto, para o que o senhor queria dizer, é "bem educado" sem hífen. O Eduardo Graeff foi até desmentido pelo professor Pasquale Cipro Neto, que explicou a diferença.
FHC - É, eu vi. Mas não sei, não estou preocupado. Isso aí é polêmica gramatical [risos]. É bom, polêmica é sempre bom. Se errei, peço perdão e corrijo. Mas até agora não consegui ver por que eu não posso dizer "melhor educado" em vez de "mais bem educado". Não sei. Qual é a regra? Você sabe? O que me obriga?
FOLHA - É que, antes de um particípio, como "educado", é preciso usar a forma "mais bem", e não "melhor". Por exemplo, "mais bem pago", e não "melhor pago".
FHC - Pode ser, mas a língua é algo vivo. Os gramáticos fixam as regras, mas isso muda. Todo mundo fala assim, vai mudando a língua. Mas, em todo caso, procurarei dizer "mais bem educado" de agora em diante.
FOLHA - Sua declaração foi feita bem no dia em que o "mensalão" tucano, de Minas, estava no foco.
FHC - O que isso tem a ver? Não tem nada a ver uma coisa com a outra.
FOLHA - Sua declaração gerou novas críticas ao partido.
FHC- Imagina! Vocês estão querendo pegar pêlo em ovo. Tenha paciência! Convenção é para criticar. Nós estamos na oposição, temos que criticar. Não tem nada, não! Olha, seria inapropriado se eu fosse lá bajular o governo. Eu tenho que ir lá para dizer que estou na o-po-si-ção ao governo."Procurarei dizer "mais bem educado" de agora em diante"
Mônica Bergamo@
Com licença amigos, haahahahahahahahahahahahahaha.
Sabem aquele ditado, foi buscar lã e saiu tosquiado, é isso.

Dia D para tucano paraibano

Sob tensão, TRE reinicia julgamento do Caso A União nesta quinta.
Numa sessão que promete ser das mais tensas da história do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, prossegue nesta quinta-feira (29) o julgamento do processo em que o Ministério Público Eleitoral pede a cassação do governador Cássio Cunha Lima (PSDB) e do vice-governador José Lacerda Neto (Demônio).
Eles são acusados de usar irregularmente o jornal do Governo, A União, durante a campanha eleitoral de 2006. O superintendente do órgão oficial, Itamar Cândito, também é acusado no processo de ter responsabilidade pelo uso do veículo.
O julgamento está cercado de expectativas, sobretudo em relação ao voto a ser dado pelo desembargador Abraham Lincoln, a quem compete desempatar o placar fixado em 2 a 2 na sessão anterior. Isto porque, na semana passada, o vice-governador José Lacerda Neto concedeu entrevista em que insinuou que o voto de Lincoln seria favorável ao governador e a ele, como também previu que a juíza Cristina Garcez estaria viajando nesta quinta-feira.
Não se sabe, porém, se o TRE exigirá do desembargador Lincoln que vote primeiro, conforme determina o regimento interno da Casa, ou se antes dele votará a juíza Cristina Garcez, que não estava presente à sessão anterior em que o processo estava em julgamento.
Na sessão da última segunda-feira houve momento de breve tensão no pleno do TRE, quando o assunto entrou em discussão, muito embora a ação não estivesse em pauta. O desembargador Lincoln alegou que quando o processo voltasse a julgamento, seria a juíza Cristina Garcez quem votaria primeiro e ele em seguida.
O presidente do TRE, Jorge Ribeiro Nóbrega, ponderou que pelo Regimento seria Lincoln quem votaria primeiro porque foi ele quem pediu vista do processo. Lincoln chegou a ameaçar a antecipar o voto ali mesmo. Antes, porém, a juíza Cristina Garcez tranqüilizou a todos se comprometendo na, na sessão desta quinta-feira, pedir licença ao pleno para votar primeiro. Na última sessão em que o TRE estava julgando o processo, o voto do desembargador Abraham Lincoln foi pedra antecipadamente cantada pela intuição de jornalistas e advogados: “Lincoln deve pedir vistas já que a juíza Cristina Garcez não está presente”, comentou um jornalista para a concordância dos demais ali presentes. Coincidência, ou não, Lincoln pediu vistas do processo. No processo, o governador Cássio Cunha Lima (que já foi cassado uma vez pelo TRE) o vice-governador José Lacerda Neto e o superintendente de A União são acusados de usarem o jornal do Governo do Estado para promoção pessoal e eleitoral do governador durante a campanha em que ele concorria à reeleição.
Do
Wellington Farias

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Toma, fhc!

"Obviamente que, se comparar a educação, a formação intelectual do Fernando Henrique Cardoso, ele é muito mais estudado do que eu. Agora, é verdade que ele teve mais anos de escolaridade, mas é verdade que eu sei governar melhor do que ele”
Presidente Lula

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Cala-te FHC!

Por BRAULIO WANDERLEY
Realmente eu me surpreenderia se FHC não tivesse estudado. Deixou o país com um rombo abissal de R$ 1 trilhão na dívida pública; 5 anos seguidos de défict; desemprego anômalo; risco país em 2.000 pontos; dólar a R$ 4,oo; apagão elétrico; privatizações anunciadas; corrupção: compra da reeleição; caixa 2 tucano; pasta rosa; quebra do painel eletrônico do senado; escândalos na Sudene e na Sudam; contas fantasmas nas Ilhas Cayman, etc.
Realmente EX-presidente, é preciso falar um bom português para explicar à população de modo sofismático e convincente como ser reeleito diante de uma tragédia anunciada.Se bem que o EX não gosta da língua portuguesa.
Ele mente e feio quando diz que a falava. Certa feita em Paris, em plena assembléia nacional, ao receber um título do doutor honoris causa, nosso pária pronunciou seu discurso de cabo-a-rabo em FRANCÊS!!! Renegando sua condição de Chefe de Estado e representante de um povo cujo símbolo maior é seu idioma. Cobrar de outros falar correto o que não se pronuncia é no mínimo hilário.
O EX deveria imitar os ex-presidentes mexicanos que ao concluírem seus mandatos se recolhem à vida privada. Quem deixou um legado tão ruim, descrito acima não tem autoridade moral para criticar de modo fascista um governo que possui mais de 70% de aprovação popular e que construiu mais de 40 universidades em 6 anos, FHC esquece que não aumentou UMA VAGA PÚBLICA SEQUER.
Ele mercantilizou a educação com uma enxurrada de galpões transformados em cursos superiores; sucateou as escolas técnicas e acabou com a docência do país ao afirmar que "quem não tem nada pra fazer, vira professor". Péssimo exemplo EX!!!
Falamos correto, estudamos bastante e não nos distanciamos da classe operária e das lutas do povo brasileiro. Não vendemos este país e quase o entregamos a uma ALCA para ser efetivamente anexado pela Nova Roma capitaneada por Bush Júnior. Sem mentir, sem titubear, sem esconder a corrupção como seu governo fez, temos um governo democrático, que se não é o ideal, ao menos não é uma farsa.Hoje o Brasil não tem um Geraldo Brindeiro (engavetador Geral da Corrupção), mas um Antônio Fernando de Souza (PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA), uma Polícia Federal equipada e autônoma e o respeito à democracia. Em tempo, enquanto o EX nunca foi eleito, e sim o plano real, o Presidente Lula foi eleito e reeleito de forma gloriosa pelo povo brasileiro e ao contrário do EX, todos, querem posar ao seu lado.

Tucano não é espelho.

Massa salarial tem aumento recorde de 11,97% em 2006

Valor Econômico -
O mercado de trabalho brasileiro está mais qualificado, paga salários melhores e tem empregado trabalhadores mais experientes - os mais velhos e com maior tempo de estudo. Esse cenário, atrelado à política de valorização do salário mínimo e à inflação em queda, permitiu um crescimento recorde da massa salarial, que avançou 11,97% em termos reais entre 2005 e 2006. A alta foi fruto da expansão de 5,77% do emprego e de 5,86% do salário médio, o maior aumento desde 1996.
Em termos absolutos, foram os trabalhadores com 30 a 39 anos que mais se beneficiaram do crescimento do emprego com carteira assinada, ficando com 482,7 mil do total de 1,9 milhão de vagas geradas em 2006. Já a maior variação relativa ficou na faixa etária que vai de 50 a 64 anos, na qual o emprego subiu 9,77%. Isso pode ser explicado pela maior qualificação dessas pessoas. [...]
[...] Uma novidade nos dados da Rais é que também as pessoas mais qualificadas tiveram aumentos de salários acima da média do trabalhador brasileiro. Antes, o que se via era um crescimento da renda sempre mais forte para a parte mais pobre e menos qualificada da população e um achatamento dos maiores salários. Isso também aconteceu em 2006, ano em que a remuneração média dos analfabetos subiu 9,77%, mas foi acompanhada por uma alta de 7,21% nos salários de quem concluiu a universidade, acima dos 5,86% verificados para o média dos trabalhadores. Já aqueles que têm uma qualificação mediana, como o ensino médio completo, tiveram aumento menos robusto nos rendimentos, de 4,1%, por exemplo. O maior aumento dos rendimentos dos mais qualificados é explicado pela lei da oferta e da demanda. O crescimento econômico, segundo ele, passou a exigir uma mão-de-obra mais qualificada. Como não há tanta gente assim no mercado de trabalho, o preço do trabalhador especializado aumentou. "As empresas estão disputando essa mão-de-obra", explica Corseuil. Uma consequência negativa da alta dos salários dos mais qualificados, que têm os maiores rendimentos, seria uma maior desigualdade social. No entanto, como o salário dos sem qualificação também está crescendo, esse efeito tende a ser diluído. E como explicar o crescimento forte da renda dos analfabetos e dos que não completaram nem a quarta-série? "Salário mínimo", responde o pesquisador. Em 2006, esse salário foi reajustado em 16,7%, um aumento real de 12%, número próximo, por exemplo, da alta de 9,8% na remuneração média dos trabalhadores analfabetos.

sábado, 24 de novembro de 2007

Isso o PT não COPIOU...

Isso o PT não COPIOU!

FHC TEM PRECONCEITO DE CLASSE E É RACISTA

Em tempo: O racismo de FHC pode ter uma explicação. É tirar o foco da denúncia contra o mensalão tucano.
Paulo Henrique Amorim
. O ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso chamou o Presidente Lula de analfabeto.
. Disse que o Presidente Lula não sabe falar a Língua Portuguesa.
Como no Brasil, quem é analfabeto é pobre, negro e nordestino...
. E como, no Brasil, quem não sabe usar a Língua Portuguesa é o pobre, o negro e o nordestino, Fernando Henrique Cardoso é racista e tem preconceito social...
. Se ele exprime esses sentimentos, com tanta clareza, porque é um despeitado – como supõe o Ministro Tarso Genro – ou que percebe que vai entrar para a História como uma nota de pé de página do movimento neo-liberal na América Latina, isso pouco importa.
. Como o brigadeiro Eduardo Gomes, FHC é um “marmiteiro”: tem horror de pobre.
. Não importa que essa manifestação racista seja prejudicial aos tucanos nas próximas batalhas eleitorais.
. Na verdade, não é.
. Nas batalhas eleitorais, FHC é um zero à esquerda.
. FHC acaba de fazer o que Raymundo Faoro chamava de “viagem redonda”.
. FHC começou como intelectual marxista, que estudava o negro no Brasil Meridional, para encerrar a vida pública na extrema direita, berço provável de sua carreira.
. O Conversa Afiada encaminhou aos presidentes do PSDB Eduardo Azeredo, Tasso Jereissati e Sérgio Guerra, ao líder no Senado Arthur Virgílio, ao líder na Câmara Antônio Carlos Pannunzio, ao ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin e aos candidatos à Presidência da República José Serra e Aécio Neves a seguinte pergunta:
O senhor subscreve a declaração de Fernando Henrique Cardoso, que chamou o Presidente Lula de analfabeto?
Em tempo:
O racismo de FHC pode ter uma explicação.
É tirar o foco da denúncia contra o mensalão tucano.
É mais ou menos como arrancar o dedão do pé
para se livrar de um espinho.

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Operação "Jaleco Branco" da PF prende elite baiana

A Operação Jaleco Branco da Polícia Federal, desencadeada hoje em Salvador, se fundamenta em ação do Ministério Público. Em junho, logo após a Operação Navalha, o MP da Bahia requisitou todos os contratos que envolviam as empresas investigadas pela Operação Octopus da PF.Essa investigação posterior, pilotada pelo MP, acabou por desvendar toda a rede que atinge parte da elite baiana.Fruto do trabalho da Auditoria Geral do Estado (AGE), sob a coordenação da Casa Civil do governador Jaques Wagner (PT), a "devassa" abrangeu os contratos vigentes em 2007. Esse relatório foi entregue ao MP da Bahia.
Foi a esse material, em poder do MP, que Terra Magazine teve acesso.
Nas linhas e entrelinhas, o que se tem é uma nítida tomografia do sistema de poder montado pelo ex-senador Antonio Carlos Magalhães e ancorado em um seleto grupo de empresários e famílias que há quase duas décadas detêm poder político e econômico na Bahia.
Alguns dos presos, na operação de hoje, são festejados nos restaurantes, clubes, iates, como a fina-flor dos endinheirados baianos.
Como ponto de partida, a Operação Navalha, da PF, que em maio deste ano iluminou uma investigação sobre contratos de empresas de segurança com órgãos públicos.
O relatório de 42 páginas, seguido de anexos (tabelas e diagramas que mapeiam uma rede para burlar licitações), envolve personagens já conhecidos do noticiário político e, há alguns meses, do policial.
Aos nomes dos principais presos: Marcelo Guimarães, ex-presidente do Esporte Clube Bahia e ex-deputado estadual; Antonio Honorato, presidente do Tribunal de Contas do Estado e ex-presidente da Assembléia Legislativa da Bahia; o servidor Hélcio de Andrade Júnior, os empresários Clemilton Andrade, Eujácio Andrade, Afrânio Mattos e Jairo Barão. A procuradora-geral da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Ana Guiomar, também foi presa.
Influente nas administrações carlistas, Marcelo Guimarães freqüenta as colunas sociais e os melhores salões baianos. Desde a Operação Navalha, reduziu suas aparições públicas; recentemente, voltou a vincular-se ao Bahia, quando o clube foi comemorar uma vitória na Terceira Divisão na escadaria da Igreja do Bonfim. Ele acompanhou diretores e jogadores em uma sessão de fotos.
Guimarães é dono de empresas de segurança, foco das investigações do governo e da PF. Perdeu a última eleição para deputado estadual, porém conseguiu eleger Marcelo Guimarães Filho (PMDB), seu sucessor, deputado federal.
No sumário, há a lista de "empresas selecionadas" para a investigação: Postdata Bahia Informática Ltda., Organização Bahia Serviços de Limpeza e Locação de Mão de Obra, Seviba (Segurança e Vigilância da Bahia Ltda.), Higiene Administração e Serviços Ltda., Organização Auxílio Fraterno, Ascop Vigilância e Segurança Patrimonial, Macrosel Serviços de Limpeza e Gestão Empresarial, Yumatã Empreendimentos e Serviços e Manutenção Ltda., Masp Locação de Mão-de-Obra Ltda. e Protector Segurança Ltda.Registro: no total, 21 empresas foram pinçadas para a primeira análise. De 1997 até junho de 2007, elas receberam do governo do Estado a quantia de R$ 1.379.252.584,65. Mas as acima nomeadas centralizaram os esforços da comissão de auditores.De acordo com o relatório restrito, "a maior parte das empresas prestadoras de serviços analisadas iniciou suas atividades ou teve sua propriedade transferida para os grupos societários atuais no começo da década de 90, o que corresponde ao reinício das administrações carlistas".
Em 1990, ACM venceu a eleição para governador. Ungiu seus sucessores no cargo: Paulo Souto e César Borges. A hegemonia só foi quebrada em 2006, com a vitória de Jaques Wagner.Num trecho, notam os investigadores:- É importante observar que, das organizações analisadas, apenas sete grandes empresas abocanharam um faturamento de quase 74% do total, o que corresponde a mais de R$ 1 bilhão, ficando as outras quatorze empresas com apenas 26%, ou pouco mais de R$ 363 milhões. O número das principais empresas aproxima-se, 'coincidentemente', do denominado G-8.Uma pausa. A referência ao G-8 nos leva à "Operação Navalha", da PF, em maio de 2007, que prendeu o empreiteiro Zuleido Veras e identificou um grupo de oito empresários envolvidos em um esquema de licitações viciadas.
No relatório, há um cruzamento dos sócios e das famílias controladoras das empresas que receberam o maior aporte de recursos. Entre as irregularidades detectadas pelo MP e por auditores do governo, constam:- Edital de licitação com exigências que eliminam a competitividade e concentram os serviços em grandes empresas.- Dispensa de licitação para contratação emergencial. Normalmente, a empresa que já prestava serviço é a selecionada para executar o contrato emergencial.- Pagamento indevido em virtude da não existência da totalidade dos prestadores de serviços contratados. O Estado efetua pagamento indevido por serviço que não são realizados, mas que são cobrados.- Desvio de função dos prestadores de serviços contratados.- Deficiência no controle e no acompanhamento da execução do contrato.Os principais contratos investigados são da Secretaria da Educação, Saúde, Administração, Fazenda, Planejamento, Segurança Pública, Justiça e Cultura. Na mira dos investigadores, outros "grandes contratos" da Ebal (Empresa Baiana de Alimentos) - objeto de uma CPI da Assembléia baiana -, Bahiatursa, Conder, Derba, Embasa, Sucab e Sudic.
Parabéns a PF Republicana por esse excelente trabalho!!
Apenas para não esquecer: CALA BOCA ACM NETO!!!

MENSALÃO TUCANO: DANTAS NAS DUAS PONTAS

Paulo Henrique Amorim
. O Procurador Geral da República enviou ao Ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, denúncia contra 15 pessoas do mensalão tucano de Minas Gerais, que o PIG chama de “mensalão mineiro”.
. Trata-se do mensalão tucano, porque diz respeito à lavagem de dinheiro e ao peculato cometidos para beneficiar o senador tucano Eduardo Azeredo, então governador de Minas e candidato à reeleição.
. Para beneficiar também o candidato a vice (derrotado) de Eduardo Azeredo e vice do governador tucano Aécio Neves, no primeiro mandato, de 2003 a 2007, Clésio Andrade.
. Portanto, a fina flor do tucanato: Eduardo Azeredo e Aécio Neves.
. Outro envolvido até os dentes é Walfrido Mares Guia, chefe da tesouraria da campanha de Eduardo Azeredo, e hoje Ministro do Governo Lula (aparentemente demissionário).
. Mares Guia, porém, não retira da denúncia seu caráter central: foi um crime para beneficiar um tucano.
. Quer dizer, se houve mensalão ou quadrilha, foi para beneficiar uma operação tucana.
. Da mesma maneira, a denúncia parte da premissa (incompleta, como se verá) de que o dinheiro do “valerioduto” vinha de fontes estatais.
. No caso do mensalão tucano, o dinheiro provinha de duas empresas controladas pelo governo tucano de Minas Gerais: Copasa e Cemig.
. Portanto, era “tucano que roubava tucano” – se se pode usar esse verbo ao tratar de seres imaculados, como os tucanos.
. Vale a pena lembrar que a Cemig foi dada na bacia das almas – no “avanço” tucano da privatização – a um grupo de empresários, entre eles, e sobretudo ... DANIEL DANTAS, do Banco Opportunity.
. Portanto, a Cemig era estatal, “pero no mucho”.
. Com 33% das ações com direito a voto, os capitais privados controlaram a empresa, a partir de maio de 1997.
. A campanha para governador estava nas ruas.
. E o candidato de oposição - finalmente vencedor -, Itamar Franco, anunciou que ia acabar com aquela falcatrua.
. O representante de Daniel Dantas na Cemig era Elena Landau.
. A Cemig foi “vendida” a Daniel Dantas e a duas empresas americanas, Southern Electric e AES, com o apoio inestimável do então presidente do BNDES, Luiz Carlos Mendonça de Barros.
. Quer dizer, tucano é o que não falta no “mensalão dos mineiros” ...
. Quem mandou todos eles embora foi o grande presidente Itamar Franco, quando derrotou Eduardo Azeredo e assumiu o Governo de Minas. (Clique aqui para ler que Itamar Franco considera que a venda da Cemig por Eduardo Azeredo foi uma operação escusa, e não era ele, Azeredo, quem mandava na empresa)
. Vamos agora tratar do que o Procurador Geral não disse ao Ministro Barbosa:
1) Ele diz que Marcos Valério não era publicitário, mas um operador financeiro, que usou uma empresa de publicidade para “financiar” Eduardo Azeredo, porque em agências de publicidade “tudo pode”, quer dizer não fica rastro, não se paga CPMF ...
2) Por que a operação de Marcos Valério para os tucanos é uma operação financeira para lavar dinheiro e para os petistas é para montar o mensalão de apoio do Governo Lula (ainda mais que bancos envolvidos são os mesmos, Rural e Bemge)?
3) O Procurador Geral não disse ao Ministro Barbosa que desde julho de 1998 o maior cliente da empresa de “publicidade” de Marcos Valerio (a SMP&B) foi a Telemig do empresário Daniel Dantas. (*)
4) Exatamente no auge da campanha de Eduardo Azeredo.
5) Que em poucos meses o faturamento da SMP&B se multiplicou por 10.
6) Que no auge da denúncia do “mensalão” apareceram umas notas fiscais da SPM&B queimadas – e a maioria das notas fiscais era da Telemig...
7) Que o Procurador Geral procura o que quer achar: no caso do mensalão dos tucanos, ele não estabelece o vínculo óbvio entre a empresa de “publicidade” de Marcos Valerio com a origem dos recursos da campanha do tucano Eduardo Azeredo; assim como no caso do mensalão dos petistas, ele acha que todo o dinheiro do “valerioduto” veio de fontes estatais, a Visanet.
8) Quem continuava a ser o maior cliente da SMP&B – no mensalão tucano e petista ? A Telemig ...
9) E por que a Telemig precisava fazer tanta publicidade ? “Publicidade” ?
10) Finalmente, o Procurador Geral se esqueceu de informar ao Ministro Barbosa sobre algumas “empresas privadas” que aparecem na denúncia. Senão, vejamos: pág. 14: “Além do desvio de recursos públicos do Estado de Minas Gerais, diretamente ou por meio de empresas estatais, EMPRESAS PRIVADAS, com interesses econômicos perante o referido Estado puderam valer-se do esquema disponibilizado pelo grupo para repassar clandestinamente valores para a campanha eleitoral”; e, pág. 16: “b) empréstimos fictícios obtidos por empresas de Clésio Andrade, Marcos Valério, Ramon Hollerbach e Cristiano Paz em favor da campanha, cujo adimplemento seria com recursos públicos ou oriundos de EMPRESAS PRIVADAS interessadas economicamente no Estado de Minas Gearias (peculato e lavagem).” Também na pág. 59, o Procurador fala em “c) recursos públicos ou valores advindos de EMPRESAS PRIVADAS com interesses econômicos perante o estado de Minas Gerais eram empregados para quitar o empréstimo”.
11) Por que o Procurador Geral não levantou a hipótese de, talvez, por acaso, por ventura, Daniel Dantas estar nas duas pontas do processo: na Cemig e na SMP&B ?
. Ou o procurador só procura o que quer achar ?
. Procurador, que EMPRESAS PRIVADAS são essas ? O Ministro Barbosa não precisa saber ? Nem o distinto público ?
. A menos que, no futuro, o Procurador tenha tempo para fazer outras denúncias.
. É o que ele dá a entender na pág 38 da denúncia: “Todas as provas coletadas na fase pré processual revelam que o esquema verificado em Minas Gerais no ano de 1998, para financiar clandestinamente a disputa eleitoral, foi planejado e executado, sem prejuízo do envolvimento de outras (DENUNCIADAS NESSE MOMENTO OU NÃO) ...”
. Diante de tantas lacunas na denúncia do Procurador Geral, o Conversa Afiada tomou a liberdade de encaminhar esse M&M ao Ministro Joaquim Barbosa.

Destino de Cássio pode ser definido na próxima 5ª feira

A terceira sessão de julgamento do processo do Caso A União, em que o Ministério Público Eleitoral pede a cassação do mandato e suspensão dos direitos políticos do governador Cássio Cunha Lima, será realizada na próxima quinta-feira (29). A data foi anunciada na sessão ordinária do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) desta quinta-feira (22).
Na mais recente sessão, realizada na última segunda-feira, o julgamento ficou empatado com dois votos favoráveis à cassação do governador e dois contra. Os trabalhos foram suspensos porque o desembargador Abraham Lincoln pediu vistas do processo.
A juíza Cristina Garcez, que não participou da sessão de segunda-feira, também estará presente para votar. Em caso de novo empate, caberá ao presidente do TRE, desembargador Jorge Ribeiro Nóbrega, dar o voto de minerva para decidir sobre a questão. Quinta-feira expira-se o prazo regimental para Lincoln dar o seu voto.
O pedido de vista aconteceu quando o placar estava empatado: relator Carlos Eduardo Lisboa e o juiz Nadir Valengo haviam votado pela cassação do governador Cássio Cunha Lima (PSDB), enquanto João Benedito e Renan Neves posicionaram-se pela não cassação.
Benedito admitiu apenas uma multa contra o governador, enquanto Renan inocentou Cássio por completo das acusações formuladas pelo Ministério Público Eleitoral, manifestando pela improcedência da representação formulada pelo procurador regional eleitoral José Guilherme Ferraz.
Para pedir vistas, o desembargador Abraham Lincoln alegou que alguns pontos do processo não foram enfrentados devidamente em plenário, a exemplo das referências do relator às colunas do jornal A União que teriam caracterizado promoção pessoal e política do governador.
O governador Cássio Cunha Lima já foi cassado uma vez pelo TRE da Paraíba por haver distribuído cinco mil cheques de programa da Fac durante o período de campanha. Cássio recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral.
Wellington Farias

PGR diz que esquema da campanha tucana foi "laboratório" do mensalão

RENATA GIRALDIGABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília
O procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, ofereceu ao STF (Supremo Tribunal Federal) denúncia contra 15 suspeitos de participar do suposto esquema de desvio de recursos para favorecer a campanha eleitoral ao governo de Minas de Eduardo Azeredo (PSDB-MG), em 1998.
Entre os denunciados estão Walfrido dos Mares Guia (Relações Institucionais) --que pediu demissão ontem--
e Azeredo, atualmente senador.
Na denúncia, Souza diz que o "esquema delituoso verificado no ano de 1998 foi a origem e o laboratório dos fatos descritos na denúncia já oferecida no inquérito n.º 2245 [mensalão]".
Na denúncia oferecida ao STF, Souza diz que foram desviados "R$ 3,5 milhões dos cofres públicos do Estado de Minas para a campanha de reeleição de Eduardo Azeredo, tendo como candidato à vice Clésio Andrade".
Esses recursos, de acordo com a denúncia, teriam sido desviados, principalmente, da Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais), Comig (Companhia Mineradora de Minas Gerais), Bemge (Banco do Estado de Minas), além de eventos patrocinados pelo governo mineiro --como o Iron Biker e Campeonato Mundial de Supercross.
"Ressalte-se que o esquema não teria sucesso sem a participação de integrantes da cúpula do Estado de Minas Gerais e da campanha da reeleição. Na verdade, como visto, à exceção de Clésio Andrade [candidato a vice-governador], as duas cúpulas eram formadas, sem prejuízo da participação de outras pessoas, pelos mesmos personagens: Eduardo Azeredo [candidato à reeleição em 1998], Walfrido dos Mares Guia [participava da campanha] e Cláudio Mourão [tesoureiro]", diz a denúncia oferecida pela PGR.
Em relação a Azeredo, o procurador-geral diz que é "fato comprovado que ele foi um dos principais mentores de toda a gama de ilicitudes praticada". "Nesse contexto, tinha ciência que estava recebendo, em sua conta de campanha [aberta em seu nome], R$ 200 mil do esquema." Na denúncia, Souza diz que "Walfrido dos Mares Guia sabia da captação ilícita de recursos e concorreu para a engrenagem ilícita de financiamento, razão pela qual não hesitou em participar da operação destinada a atender exigência de Cláudio Mourão, que cobrava de Eduardo Azeredo o pagamento da dívida".
Laboratório
Apesar de afirmar na denúncia que o esquema montado para favorecer a campanha de Azeredo foi um laboratório para o suposto caixa dois montado mais tarde em benefício dos petistas, ele disse que os "fatos não são exatamente iguais". "O procedimento que se adotou para fazer o desvio de dinheiro é o mesmo, mas os objetivos são diferentes", disse o procurador-geral após entregar a denúncia ao STF.
"Não vou fazer comparação entre situações, elas não são absolutamente iguais", disse o procurador-geral.
Entre as diferenças estaria o desvio de recursos de empresas públicas para favorecer a campanha eleitoral de Azeredo. 'Os desvios de dinheiro estão claros, mas em Minas o desvio só foi feito com recursos públicos.'
Ao ser questionado se não ficou constrangido com o fato de Walfrido estar demissionário por causa da denúncia, Souza disse que isso não era problema dele. "O problema não é meu. Eu faço denúncia em cima de fatos que ocorreram no passado e as conseqüências são de interesse de cada um", disse ele.

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

ISSO O PT FEZ!

PSDB perde tempo integral do programa partidário que seria exibido hoje.
O programa do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), que tinha exibição marcada para hoje (22), não será apresentado em cadeia nacional. A agremiação teve tempo integral cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O Partido dos Trabalhadores (PT) ajuizou Representação (RP 944) contra o PSDB e contra o ex-candidato à presidência da república, Geraldo Alckimin. O PT alegou que houve má utilização do espaço destinado à divulgação do ideário partidário no dia 22 de junho do ano passado, data utilizada para veiculação do programa gratuito do partido. O tempo destinado ao PSDB teria sido utilizado para a promoção pessoal de Geraldo Alckimin, configurando assim propaganda extemporânea. Crime eleitoral que prevê aplicação de multa, de acordo com § 3º do art. 36 da Lei 9.504/97. A decisão da Corte do dia 30 de outubro acompanhou, por unanimidade, o voto do ministro-relator José Delgado, que condenou o PSDB a ficar sem os 10 minutos de propaganda partidária em rádio e TV a que tinha direito no segundo semestre de 2007.
As informações são do TSE(http://www.tse.gov.br/)

Governo Lula

http://desabafopais.blogspot.com/
Meu comentário: Em 2007, já foram gerados mais de 1.500 empregos com carteira assinada. Lembram da quantidade de empregos que o Presidente Lula disse que precisava ser gerado? Atenção, Lula não prometeu, apenas revelou o número necessário de empregos que precisava ser gerado: 10 milhões. Sendo assim, esse número já foi contemplado, mas como Lula é um empreendedor, vem muito mais nos próximos anos, ainda que a oposição tucana-DEMoníaca não queira.

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Isso o PT não COPIOU.

EX-PRESIDENTE DO BNB É CONDENADO A PRISÃO
Foto do líder da quadrilha Byron QueirozO ex-presidente do Banco do Nordeste do Brasil, Byron Queiroz, e mais ex-quatro diretores e um ex-superintendente da Instituição, foram condenados a prisão pela Justiça Federal, por decisão do juiz federal substituto José Donato de Araripe. A denúncia foi do Ministério Público Federal, que recebeu informações da Associação dos Funcionários Aposentados do BNB (AFBNB). Eles foram acusados de gestão fraudulenta e formação de quadrilha.Com Byron foram condenados Osmundo Rebouças, Ernani Varela, Raimundo Nonato Carneiro e Marcelo Pelágio, além de Analdo Menezes, este último ex-superintendente financeiro. Já o gerente de Contabilidade do BNB na época, Ivo Ademar, foi absolvido. os envolvidos não quiseram falar a respeito e transferiram considerações para seus advogados. Foi o caso, por exemplo, do ex-diretor e ex-deputado federal Osmundo Rebouças.
(Jornal O POVO). Observação esta quadrilha administrou o Banco do Nordeste do Brasil, no desgoverno do FHC, todos indicados por Tasso Jereissati. ISSO O PT NÃO COPIOU.
Todos os membros da quadrilha são TUCANOS de carteirinha.

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Julgamento do TRE. Cheiro de Pizza na Paraiba

A ausência da juiza Cristina Garcez continua repercutindo
Repercussão:Vinculações de Renan Neves
causam perplexidade à opinião pública
O juiz Renan Neves pode ser acusado de tudo, menos de incoerência. Na sessão de ontem, do TRE, ele novamente comprovou sua condição de eleitor entusiasta, correligionário fiel, sobrinho leal e dedicado, atributos pouco comuns ao gênero humano, mas que não acrescentam nada à postura de um magistrado.
Apesar dos laços de parentesco com um dos réus, o vice-governador José Lacerda Neto de quem é sobrinho afim e de declarado e comprovado correligionário do governador Cássio Cunha Lima para quem contribuiu financeiramente na campanha de 2006, Renan Neves não demonstrou nenhum constrangimento para proferir seu voto inocentando totalmente os acusados. Os envolvimentos e a postura do juiz causam perplexidade a quem está fora do TRE e a sua presença na corte dispensa ao governador qualquer esforço no sentido de “desqualificá-la”, termo empregado pelo procurador Duciran Farena ao reagir à campanha desencadeada por Cássio, que expôs a corte e seus membros à maledicência das ruas.
O voto do juiz Renan Neves está reacendendo o discurso da defesa de que, o Tribunal através do relator Carlos Lisboa, não estava agindo com bom senso e isso causou a cassação do governador. O mais grave: A mudança parcial da atitude do juiz Valengo está sendo associada à escolha do novo desembargador (escolhido momentos antes da sessão de julgamento) que também seria parente afim do magistrado.
Tudo isso são fatos e contribuem para estabelecer um clima de desconfiança com relação ao Tribunal, inclusive a tão sentida ausência da juíza Cristina Garcez, que não se fez presente a uma sessão de tanta importância para os destinos do estado e não se sabe até agora as razões que impediram a magistrada de comparecer ao trabalho.
Serão dias de muita especulação até que o TRE profira a sentença final desse julgamento por enquanto empatado, mas que já sinaliza para uma mudança de rumo bastante acentuada e antecipadamente cantada nos monturos da cidade.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

domingo, 18 de novembro de 2007

Tucanos abandonam o ninho na Paraiba

Auxiliares de Cássio aguardam de malas
prontas o julgamento de amanhã no TRE
Precavido e escaldado, Ricardo transferiu domicio eleitoral para cabedeloO governador Cássio Cunha Lima vem encontrando sérias dificuldades para conter a revoada de “tucanos” do seu Governo. Pelo menos três secretários estariam propensos a entregar os cargos, não consumando ainda o intento para não passar a impressão de “debandada”.
Segundo fontes da intimidade do Palácio da Redenção já manifestaram ao governador essa disposição de se afastar dos cargos o Secretário da Agropecuária, Francisco Quintans, o Secretário de Cidadania e Justiça, Pedro Adelson, e, recentemente o Secretário da Segurança Publica, Eitel Santiago.
Ainda segundo essas fontes, o mais difícil está sendo encontrar substitutos para os demissionários. O governador andou sondando alguns deputados, entre eles Agnaldo Ribeiro, mas não encontrou receptividade ao convite e vem pedindo aos auxiliares, tempo para promover um remanejamento na equipe.
A sua situação sub-júdice seria o complicador das negociações. Enquanto havia a esperança de que, os processos seriam "arrastados" na esfera do TRE a situação vinha sendo conduzida com cautela, mas, como o primeiro dos processos já sobe esta semana para o TSE, cresce o ímpeto dos demissionários que revelam, na intimidade, gostariam de estar longe quando viesse a sentença final, confirmando a sua cassação.
As mesmas dificuldades o governador vem encontrando junto a Assembléia Legislativa. Ele está informado da movimentação “subterrânea” de deputados, e muitos já foram flagrados em negociações com o senador José Maranhão para formação de uma futura base de sustentação no Legislativo.
São várias as frentes de batalha. O governador também tem revelado seus temores com relação às eleições municipais notadamente em face das recentes pesquisas divulgadas apontando para uma derrota inevitável nos dois maiores colégios eleitorais do Estado, João Pessoa e Campina Grande.
Esse cenário vem atormentando Cássio. Para se ter a idéia da gravidade da situação, os mais apressados e cautelosos já estão retirando malas e bagagens de palcos como Campina Grande principal reduto do Governador e da sua família, para não serem convocados, a uma guerra considerada perdida.
Quem se afastou dessa peleja e causou surpresa foi o líder do Governo na Assembléia Legislativa, Ricardo Barbosa. Diante dos números e profundo conhecedor das tendências do eleitorado campinense, precavido e escaldado Barbosa transferiu seu domicílio eleitoral para redutos mais tranqüilos e promissores como Cabedelo.
O quadro é aflitivo e pode se agravar amanhã, caso Cássio venha ser cassado pela segunda vez pelo TRE. Então seria a senha para outros seguirem o exemplo de Barbosa e abandonar o poleiro dos tucanos atrás de plagas mais alvissareiras.
E Veja mais:

Argentina

Cristina Kirchner visita Lula e quer abandono
rápido do dólar como moeda de troca.AFP
A presidente eleita da Argentina, Cristina Kirchner, viaja ao Brasil nesta segunda-feira para um encontro com o presidente Luiz Inacio Lula da Silva - numa reafirmação da aliança estratégica bilateral e a apenas três semanas de assumir o cargo como sucessora do marido Néstor Kirchner.A primeira-dama, que assumirá a presidência no dia 10 de dezembro próximo, estará acompanhada do chanceler Jorge Taiana e do ministro do Planejamento Federal, Julio de Vido, ambos confirmados no futuro gabinete.
Cristina Kirchner tem agendados no Brasil encontros com dirigentes da Petrobras e com empresários brasileiros.A estatal brasileira acaba de descobrir uma gigantesca jazida petrolífera na plataforma submarina da Bacia de Santos e que representará para o Brasil um aumento de 60% em suas reservas de óleo."Nossas relações com o Brasil são muito boas e o fato de que a futura presidente o tenha escolhido como primeiro destino é simbólico", destacou o chanceler Taiana.Taiana destacou que Argentina e Brasil querem conseguir "avanços rápidos" no abandono do dólar como moeda de intercâmbio comercial entre ambos os países; o comércio bilateral representa para Argentina 24 bilhões de pesos anuais (7,6 bilhões de dólares).Estima-se que o ingresso da Venezuela no Mercosul - uma questão que ainda causa polêmica na região estará presente na agenda do encontro.
É comentário geral que tanto a Argentina quanto o Brasil têm interesse em que a adesão da Venezuela se concretize no prazo mais rápido possível, porque isso teria um impacto favorável na segurança energética de toda a região.
O ingresso da Venezuela no Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) ainda depende da aprovação pelos congressos do Paraguai e do Brasil.O encontro de amanhã em Brasília responde a um compromisso assumido por Cristina Kirchner quando Lula a recebeu no dia 3 de outubro, ainda na condição de candidata. Nessa oportunidade, o gesto de recebê-la em plena campanha foi entendido como um apoio de Lula à continuidade da gestão de seu marido que, por sua vez, o apoiou na campanha de reeleição no Brasil.

sábado, 17 de novembro de 2007

Heráclito Fortes (DEMônio) tentou esconder, mas não conseguiu

Heráclito tentou esconder, mas não conseguiu; Pode ser cassado em dezembroNão era pra ninguém ficar sabendo. Aliás, não deixaram nem mesmo nós, pobres mortais da imprensa, acompanhar. Foi na manhã desta sexta, quando o senador Heráclito Fortes (DEM) foi depor ao procurador eleitoral Carlos Wagner. "O processo corre em segredo de justiça", limitou-se a dizer Heráclito. Não colou não! O vice-prefeito de Bom Jesus, Fábio Novo (PT), que foi depor, revelou que Ministério Público Eleitoral (MPE) pediu a cassação. Envolve o caso distribuição de lotes de terrenos em Cocal e a crucificação do prefeito Felipe Santolia (DEM). Em dezembro ele volta a depor.

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

TASSO deixa a vida pública e volta para PRIVADA

O presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), decidiu abandonar a atividade política. Ele já comunicou a decisão à família e poderá fazer o anúncio oficial ao entregar a presidência do partido, dia 23, ao senador Sérgio Guerra (PE). Seu mandato de senador expira em 2010 e ele não disputará a reeleição. Retomará atividades privadas, especialmente na direção do Instituto Queiroz Jereissati, que fundou no Ceará.
JÁ VAI TARDE!!
Postado por República Vermelha

Lula 'comeu a oposição', diz 'El País'

“Graças à sua "capacidade para intuir o que o público quer ouvir", o presidente Luiz Inácio Lula da Silva acabou "comendo a oposição, ocupando todos os espaços", afirma texto de análise publicada nesta sexta-feira na edição online do diário espanhol El País.
Um líder oposicionista do PSDB que pediu para não ser identificado disse ao jornal que seu partido está em crise de identidade, porque Lula foi se apropriando das bandeiras do partido. "A oposição chegou a reconhecer que 'é difícil se opor a um líder como Lula, que tem do seu lado a grande massa de pobres do país', afirma o jornal, acrescentando que "o presidente é tão consciente disso que em um momento delicado de seu mandato chegou a ameaçar a oposição com 'levar o povo às ruas'".
O jornal diz que "o ex-torneiro mecânico, fundador do Partido dos Trabalhadores (PT), que o levou ao poder em 2002 sob as consignas da esquerda tradicional, soube ganhar praticamente todas as forças políticas, desde a direita até a extrema esquerda".Portal Terra (BBC Brasil)

Lula tem melhor avaliação em pesquisa

Pelo segundo ano consecutivo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o governante mais bem avaliado pelos latino-americanos, enquanto o venezuelano Hugo Chávez e o norte-americano George W. Bush estão empatados, revela pesquisa divulgada na sexta-feira. De acordo com a enquete da Corporação Latinobarômetro, com sede em Santiago, o presidente brasileiro ficou em primeiro lugar, com uma preferência de 5,7 pontos de uma escala de 0 a 10. A pesquisa ouviu 20.212 pessoas em 18 países da região, que apontaram a presidente do Chile, Michelle Bachelet, como a segunda mais bem avaliada, com uma preferência de 5,5 pontos. Em terceiro lugar, ficou o presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, com 5,2; seguido por Felipe Calderón, do México, e Rafael Correa, do Equador, com 5,1 cada um. Em último lugar, aparece o líder cubano Fidel Castro, que não aparece em público desde julho de 2006, quando uma doença o obrigou a transferir o poder a seu irmão Raúl. A pesquisa da Latinobarômetro foi realizada entre 7 de setembro e 9 de outubro, com amostras de 1.000 a 1.200 casos representativos de 100 por cento da população nacional de cada país, com margem de erro de 3 por cento. O resultado da avaliação foi o seguinte:
Luiz Inácio Lula da Silva..............................5,7
Michelle Bachelet......................................5,5
Alvaro Uribe............................................5,2
Rafael Correa..........................................5,1
Felipe Calderón........................................5,1
Evo Morales............................................5,0
Tabaré Vásquez.........................................4,9
Néstor Kirchner........................................4,8
Alan Garcia............................................4,5
Hugo Chávez............................................4,5
George W. Bush.........................................4,5
Fidel Castro...........................................4,3
SANTIAGO (Reuters) -