sexta-feira, 9 de novembro de 2007

PETISTAS IRÃO DIVULGAR AÇÕES DO GOVERNO LULA EM DEFESA DA UNIVERSIDADE PÚBLICA

Os militantes do Partido dos Trabalhadores - PT irão divulgar as principais realizações do governo do presidente Lula na área da educação pública, e especialmente em defesa das universidades. Esta foi a principal decisão da reunião de petistas da UFPB realizada nesta quarta-feira, dia 07. A reunião contou com a presença de professores e estudantes da graduação e da pós-graduação da instituição.
Na reunião, os petistas decidiram reativar o núcleo do PT na UFPB e elegeram uma coordenação provisória para ele, formada pelos professores Wilma Mendonça (Letras) e Flávio Lúcio (História) e pelos estudantes Edmilson Cantalice (Sociologia) e Éder Dantas (Doutorado em Educação).
No próximo dia 21/11, às 17 horas, no auditório do Centro de Educação - CE, será realizada uma reunião do núcleo aberta a filiados (e filiadas), bem como aos simpatizantes do partido em que será realizada uma discussão sobre o tema "A política do governo Lula para o ensino superior", cuja exposição será feita pelo Professor Luiz de Souza Júnior (Centro de Educação). A idéia é discutir detalhadamente as ações que o governo Lula está fazendo, a exemplo dos programa "Expandir" (que levou à criação de vários campi universitários no interior da Paráiba), da UAB - Universidade Aberta do Brasil e, agora, do REUNI - Programa de Reestruturação das Universidades Federais, o maior programa de expansão do ensino superior público e gratuito da história do Brasil. Após este debate, será confeccionado um documento a ser distribuído à toda a comunidade universitária explicando estas ações do governo.
O REUNI deverá injetar, só na UFPB, mais de R$ 136 milhões até 2012. O programa prevê o aumento dos atuais 20.000 para 35.225 alunos na UFPB, com a implantação de 32 novos cursos de graduação e 12 de pós graduação. As vagas do PSS deverão aumentar de 4.300 para 7.407 ao ano. Está prevista a contratação de 395 novos professores efetivos (com o gradual desaparecimento dos chamados "professores substitutos") e 454 funcionários técnico-administrativos. Só para bolsas de estudos serão destinados cerca de R$ 6,5 milhões e R$ 6,6 milhões para melhorar as bibiotecas da instituição e serão destinadas verbas específicas para assistência estudantil. Como contrapartida, a UFPB terá que elevar as taxas de conclusão de curso (por parte dos alunos), aumentar a relação aluno-professor e aumentar o número de cursos de graduação e pós-graduação com conceito máximo nas avaliações promovidas pelo governo federal.
Com estes programas de expansão o governo federal pretende elevar, segundo a Secretaria de Ensino Superior do MEC, o número de estudantes nas universidades públicas federais dos atuais 560 mil para 1,5 milhão até 2012.
*Doutorando em Educação e Vice-presidente municipal do PT de João Pessoa-Pb

Nenhum comentário: