quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Açude atinge volume morto

Cena de seca em pleno início da estação das chuvas é uma realidade no reservatório de Nova Russas (Foto: José Leomar)
O Açude Farias de Sousa, em nova Russas(CE), atingiu seu volume morto. Reserva apenas 5% de sua capacidade total.É URGENTE a gente saber aonde a CPT e o bicho Don Cappio estão escondendo as águas do Nordeste (eles que são ferrenhos oposicionistas a transposição das águas do São Francisco). Veja que estamos em janeiro, época natural das chuvas no Nordeste e ainda assim, os açudes ou já estão secos, ou com baixa reserva. É preocupante, pois é sabido que os açudes devem manter uma reserva técnica de pelo menos 30% de águas.

Ceará

Nova Russas (CE). A principal fonte de abastecimento de água em Nova Russas, o açude Farias de Sousa, pode estar com os dias contados, caso não haja chuva suficiente para encher os 12,3 milhões de metros cúbicos. A situação é ainda pior com relação à cor da água e, principalmente, à condição dos moradores que dependem deste recurso para viver. Ao invés de ser transparente, a água é verde e possui mau cheiro constante. A maioria dos moradores, tanto das proximidades do açude quanto na sede de Nova Russas, evita usar a água para cozinhar, beber ou tomar banho. Mas a necessidade faz com que alguns deles se arrisquem a usar a água considerada imprópria para o consumo humano. “De manhã, a gente vê uma camada de lama. É muito feio”, informou o estudante Francisco Auricélio Martins, de apenas 13 anos. Mesmo sabendo da coloração da água e da fedentina, Auricélio vai todos os dias ao açude para ajudar sua mãe a lavar roupas. Desde o momento em que o nível da água começou a diminuir e ficar verde, ele nunca mais pôde brincar com os amigos ou tomar banho. “Quando a gente sai do açude fica com uma coceira pelo corpo todo. Algumas pessoas já foram ao hospital por causa da água”, diz o garoto. Conforme os moradores, é possível ainda caminhar dentro do açude sem que o nível da água fique acima do joelho. A situação precária do açude e, conseqüentemente, dos moradores é confirmada pelo agricultor Walter Torres, 25 anos. Com a qualidade da água bastante comprometida, é impossível manter o abastecimento para a população. “Passamos a gastar muito dinheiro comprando água para beber, já que a água do açude está podre”, salienta. Para ele, que mora perto do reservatório construído pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), nunca mais foi possível ver o açude sangrar, em decorrência do baixo volume. “Vai ser complicado se a gente ficar sem água. Espero que chova logo e melhore nossa vida. Todos os moradores precisam do açude e de água limpa”, diz. De acordo com a irmã de Walter, a dona-de-casa Diamica Torres, 27 anos, é um sofrimento ter que pegar água todos os dias nos poços que são construídos à margem do reservatório. Na companhia do filho, ela carrega baldes e panelas na tentativa de armazenar a água para o consumo da família. “Mas a água que a gente tem aqui não é a mesma que vai para a sede. A nossa água não é tratada porque sai direto do açude e vai para as nossas casas”, diz. Além disso, Diamica conta que o pior momento é quando ela abre a torneira da pia para lavar roupa. “Não tem quem agüente ficar perto da torneira quando jorra água. Fede muito que você passa mal. Depois melhora um pouco, mas fica fedendo muito”, diz. Se o problema persistir e não chover em menos de um mês no município, há possibilidade de ser decretada situação de calamidade pública, como informou o prefeito da cidade, Luiz Acácio de Sousa. “Enviamos documentos esclarecendo nossa situação aos departamentos responsáveis. Estamos esperando uma ação emergencial para a construção de mais poços na cidade”, diz. Conforme o prefeito, os investimentos para melhorar a qualidade da água aumentaram. Mesmo assim, a população continua com receio de consumir a água proveniente do açude. Maurício Vieira

Paraiba

Onze açudes estão secos e trinta com volume baixo na Paraíba Dos 123 açudes monitorados pela Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), em todo o Estado, 11 estão completamente secos e 30 com volume 20% menor do que a capacidade total. A situação é crítica nas cidades de Algodão de Jandaíra, Cachoeira dos Índios, Carrapateira, Ingá, Mãe D’água, Massaranduba, Tenório, Passagem, Riachão do Bacamarte, Santa Cecília e Santo André. Segundo a Aesa, estão sem água os açudes Algodão (Algodão de Jandaíra), Bichinho (Barra de São Miguel), Caldeirão I (Santa Cruz), Serrote (Monteiro), Chã dos Pereiras (Ingá), Açude Novo II (Tavares), Caldeirão (Pedra Lavrada), Ouro Velho, na cidade de mesmo nome, São José IV (São José do Sabugi), Prata II, no município do mesmo nome, Curimatã (Caraúbas) e Serra Velha (Itatuba). Os 130 municípios paraibanos em estado de emergência receberão ajuda do Governo do Estado que enviará 130 carros-pipa para diminuir a falta de água nas cidades do Cariri, Curimataú e Sertão. Outros 259 veículos do Exército também foram mobilizados para os trabalhos. Outra boa notícia é que a Aesa prevê chuvas para a segunda quinzena de fevereiro em praticamente todo o Estado, principalmente no Litoral e nas regiões do Cariri e Sertão paraibano. “A previsão é que as chuvas deste ano sejam melhores do que as de 2007 e um dos fatores positivos é o fato de que este ano não temos a atuação do fenômeno El Niño, que desfavorece as chuvas”, informou a meteorologista da Aesa, Carmem Becker. Segundo ela, no Sertão paraibano, as chuvas serão mais regulares. Já na região do Cariri, o inverno será irregular. “Isso não significa que não teremos chuvas nessa região. Elas só não serão tão homogêneas como as do Sertão”, explicou Carmem. Na região do Brejo, que inclui Campina Grande, a previsão é que as chuvas mais intensas ocorram a partir de abril se estendendo até julho. Até lá, deverão ocorrer chuvas isoladas e com menor intensidade. Nas próximas 24 horas, de acordo com a Aesa, a previsão é de tempo nublado com possibilidade de chuvas isoladas no Litoral, Sertão e Cariri.
Jornal da Paraíba

Um comentário:

Rômulo Gondim disse...

Mestre Hélio, coloquei sua página em meus favoritos. Realmente trata-se de um excelente blog. Estarei divulgando em meu site.
Saudações Educacionais.

Rõmulo Gondim