segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Tucano-DEMoníacos assaltantes do bolso do povo!

CARGA TRIBUTÁRIA PARA OS QUE ACOSTUMARAM AS MANDÍBULAS MASTIGAR CAPIM E TEM SAUDADES DE FHC.
Carga tributária (em relação ao PIB - %):
fhc
1994-28,61%
1995-28,47%
1996-28,06%
1994-28,61%
1995-28,47%
1996-28,06%
1997-27,81%
1998-29,74%
1999-31,77%
2000-32,48%
2001-34,01%
2002-35,61%
O crescimento foi de

7%!

E esse é o maior índice do período.
Lula.
2003 - 34,92% Queda em relação ao ano anterior. Depois de 5 anos de aumento... 2004 - 35,88% 2005 - 33,3% caiu bastante, em relação a 2004, 2006 - 34,2% Queda e quase 1% quanto ao índice de 2003... Bom agora analisemos essa dica do Zé Dirceu. Os mais insistentes e duros críticos do aumento das despesas da União, a maioria na oposição representada pelo PSDB, PFL/DEM e aliados seus da direita, são os principais responsáveis por essa elevação. Ao contrário do que afirmam diariamente, esse crescimento não decorre de gastos sociais e com pessoal, ampliados na administração Lula, mas sim, em função das despesas com o pagamento dos juros e encargos da dívida pública, multiplicada por sete no período de 8 anos em que eles integraram os dois governos tucanos de Fernando Henrique Cardoso, anteriores à chegada do PT ao poder. A comprovação está em estudo de Ronaldo Coutinho Garcia, sociólogo e técnico de planejamento do IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. No trabalho, ele mostra que a dívida pública federal, remunerada com as mais altas taxas de juros do planeta, gera pressão pelo aumento da carga tributária, dificulta os investimentos públicos e exige superávits primários elevados. Destaca, no entanto, que os gastos públicos cresceram nos últimos tempos exatamente para beneficiar a enorme massa de brasileiros que até recentemente desconhecia a presença do Estado, os seus mecanismos de proteção e os seus serviços em prol da cidadania. Este aumento de despesas públicas, conclui o sociólogo, também, incentiva as economias dos pequenos municípios espalhados pelo país, amplia o mercado para bens de consumo, gera empregos e impostos e retira milhares de pessoas da marginalidade. Confira a íntegra do estudo no site do IPEA . Postado por República Vermelha

Nenhum comentário: