Ser covarde, é...

Ser covarde, é...

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

O Brasil se formaliza

 
Pela primeira vez o número de trabalhadores com carteira assinada supera o de informais. São 10,8 milhões de empregados que têm todos os direitos legais e benefícios respeitados 
Correio Braziliense - Das 21,3 milhões de pessoas ocupadas no país, 51,1% ou o equivalente a 10,866 milhões de brasileiros têm carteira assinada. Esse é o maior número de trabalhadores formalizados já apurado pela Pesquisa Mensal de Emprego (PME) desde março de 2002, quando a série começou a ser divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No primeiro ano de governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, 42,4% dos ocupados eram formalizados. 

Esse fenômeno é conseqüência da estabilidade econômica e da maior confiança dos empresários de que o país continuará crescendo no longo prazo. "Não chega a ser um boom de formalização mas o resultado está em linha com os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados)", afirma o coordenador da PME, Cimar Azeredo. O Caged, que é divulgado mensalmente pelo Ministério do Trabalho, tem uma metodologia diferente da utilizada pelo IBGE, porém, também vem apontando sucessivos recordes na criação de postos de trabalho formais. [...] 

[...] Com o aumento da formalização, a taxa de desemprego no país caiu de 9,3% em janeiro de 2007 para 8,0% no mês passado - segunda menor taxa já registrada pela PME desde 2002, perdendo apenas para dezembro de 2007 (7,4%). Isso aconteceu porque o ritmo do crescimento do número de pessoas ocupadas (3,6%) é bem superior ao da População Economicamente Ativa (2,2%). Na avaliação de Azeredo, o país está criando novos postos de trabalho com mais qualidade e melhores salários. O rendimento real médio dos ocupados foi de R$ 1.172,50 no mês passado, o que representa uma elevação de 3,4% em relação a janeiro de 2007. 

A economista da consultoria Tendências, Cláudia Oshiro, acredita que o mercado de trabalho não deverá ser impactado pelas turbulências pois o crescimento econômico está sustentado na demanda interna. Ela estima que a taxa de desemprego média em 2008 deve ser de 8,8% ante 9,3% de 2007. "Espero que o desemprego continue caindo. Talvez em um ritmo menor do que vimos no ano passado. A atividade econômica continuará forte".

Postado por: Blog do Alê
Leia a matéria completa no site do Correio Braziliense 

Economize Combustível e o Planeta!

Mudar e melhorar dramaticamente a vida das pessoas no mundo através da oportunidade de crescimento pessoal e financeiro ao ajudar a melhorar o nosso meio ambiente e fazer do mundo um lugar melhor para as futuras gerações.

Os desafios globais que a indústria e os governos se deparam atualmente são incríveis. Está se tornando cada vez mais evidente que deve haver um esforço global para restaurar o balanço da natureza e assegurar um meio ambiente saudável para todas as criaturas. Na FFi, nosso compromisso em preservar a pureza e beleza do nosso planeta é a maior prioridade. Recentemente a FFi embarcou em uma campanha ecológica para melhorar a qualidade do nosso meio ambiebte. A FFi tem orgulho no seu papel de ajudar a reduzir o perigo que as emissões da queima de combustível representam promovendo o uso amplo das MPG-CAPS. Em um esforço nesse sentido, nós introduzimos uma nova linha de produtos ecológicos. Nós ainda não sentimos que esse esforço é o bastante. Podemos fazer muito mais para melhorar a qualidade do nosso meio ambiente. Fazemos você bem-vindo a família FFi na medida em que todos devemos examinar nossa parte nesse mundo para encontrar meios para mudar as coisas para melhor.Se todos nós fizermos a nossa parte, junto poderemos fazer a diferença! Clique Helio Manager e tenha todos os detalhes.

Cada Tucano no seu Galho!


Lula reage a declarações de ministros do STF

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reagiu às declarações de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que classificaram de "eleitoreiros" novos projetos sociais do governo. Em discurso durante inauguração de um viaduto em Aracaju (SE), Lula disse que um Poder não pode dar palpite na vida do outro. "Seria tão bom se o Poder Judiciário metesse o nariz apenas nas coisas dele, o Legislativo apenas nas coisas dele, e o Executivo nas coisas dele", afirmou, exaltado, a uma platéia que o ouvia sob chuva. O presidente chegou a convocar deputados e senadores nordestinos para rebaterem, da tribuna do Congresso, "as sandices" que, segundo ele, estão sendo ditas contra o programa Territórios da Cidadania, lançado no início da semana, e que prevê investimentos públicos em áreas pobres do País. "Ele quer ser um ministro da Suprema Corte ou político?", questionou o presidente, referindo-se a ministros do STF que criticaram o programa. "Não tem um palpite meu no Legislativo e o governo não se mete no Judiciário", continuou. "Se cada um ficar no seu galho o Brasil tem chance de ir em frente. Mas se cada um der palpite na vida do outro, a gente pode conturbar a tranqüilidade da sociedade brasileira." O presidente se definiu como "um homem de muita paciência". "É preciso que a gente reordene as instituições brasileiras para que elas funcionem cada vez mais democráticas." Ele fez questão de ressaltar que o Poder Judiciário tem a responsabilidade de "interpretar a lei", e não interferir em ações do governo. Hoje, o presidente Lula participa, em Aracaju, da abertura da 6ª Reunião do Fórum de Governadores do Nordeste, e em seguida embarcará para Brasília.

Territórios da Cidadania no Ceará.´Brasil será canteiro de obras´

Galeria

Gratidão: agricultora abraça o presidente da República no lançamento do Territórios da Cidadania Sertão Central. Na ocasião, Lula negou que o programa seja eleitoreiro e disse que o Brasil vai se transformar em canteiro de obras (Foto: Fábio Lima)
-x-x-x-x-x-x-x-x-x
Centro da cidade: o entusiasmo de populares do Sertão Central contagiou a comitiva presidencial. Descontraído, o presidente acenou, várias vezes, para os populares
-x-x-x-x-x-x-x-x-x
O lançamento do marco fundamental da construção do campus e do Cefet foi o segundo compromisso do presidente
Em Quixadá, Lula lançou o programa Territórios da Cidadania, fez discursos e conversou com agricultores e alunos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva acusou, ontem em Quixadá, a 188 km de Fortaleza, a oposição de tentar “impedir” o avanço das políticas sociais e negou que o programa Territórios da Cidadania (de combate à pobreza rural) é eleitoreiro. No lançamento do Programa Território da Cidadania Sertão Central, na Praça José de Alencar, no Centro da cidade, criticou a oposição (PSDB e Democratas entraram com ação no Supremo Tribunal Federal pedindo a suspensão e posterior declaração de inconstitucionalidade do decreto que criou o programa). Em defesa do governo, disse que não está em campanha.

“Não teremos, este ano, eleição para presidente e governo estadual. Eu não poderia estar fazendo campanha”, disse. O presidente foi enfático ao afirmar que “foi eleito para governar o País e é este meu compromisso. Vou governar dando prioridade aos setores mais pobres da população”.

Sertão Central

Lula informou que, a partir de março, o Brasil se tornará em um canteiro de obras. “Já avisei a minha assessoria que vamos ficar dois dias em Brasília e os cinco restantes viajando pelo Brasil fiscalizando as obras do Programa de Aceleração do Crescimento”.

Segundo a Polícia Militar, cerca de cinco mil pessoas enfrentaram o sol do meio-dia para acompanhar a visita Presidencial ao município.

Descontraído, Lula iniciou o discurso dizendo que o País agora é credor internacional. “Estou orgulho. Hoje temos US$ 130 bilhões em reservas e os que governaram o Brasil desde Pedro Álvares Cabral estão incomodados”. Ele avaliou positivamente seu governo e negou que só tivesse “olhos” para o Nordeste. “Vocês sabem: quando se tem dois filhos, um mais frágil e outro mais saudável, é lógico que damos mais atenção ao mais fragilizado”.

O Território Sertão Central engloba 12 municípios - Banabuiú, Choró, Dep. Irapuan Pinheiro, Ibaretama, Milhã, Mombaça, Pedra Branca, Piquet Carneiro, Quixadá, Quixeramobim; Senador Pompeu e Solonópole - e receberá recursos da ordem de R$ 191,9 milhões, que serão liberados ao longo de 2008. Ao todo, serão 61 ações que vão desde crédito fundiário; desenvolvimento sustentável; Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas); Brasil Alfabetizado; instalação de bibliotecas públicas; obras de infra-estrutura, como Luz para Todos, e acesso à água.

Antes da solenidade na praça, o presidente e sua comitiva - o governador do Estado, Cid Gomes; os ministros do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel; e do Esporte, Orlando Silva; além do prefeito Ilário Marques, senador Inácio Arruda e deputados estaduais - visitaram a Escola-Modelo José Bonifácio, no Campo Novo.

Na agenda movimentada em Quixadá, o presidente da República lançou as pedras fundamentais do campus avançado da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da sede do Centro Federal de Educação Tecnológica do Ceará (Cefet).

Antes do discurso, Lula recebeu de presente uma rede vermelha de um dos membros do Colegiado do Território de Cidadania Sertão Central, Edinilo Costa, também agricultor e que elogiou o programa.
Diário do Nordeste
 

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Territórios da Cidadania: Se Efraim(DEM) e Cícero(PSDB) não atrapalharem...

Luiz Couto: novo programa federal investirá R$ 563 milhões na Paraíba
O deputado Luiz Couto (PT-PB) disse nesta terça-feira (26), em Brasília, que o Programa Territórios da Cidadania, lançado ontem pelo presidente Lula, vai investir R$ 563,9 milhões em recursos federais na Paraíba, beneficiando diretamente 54 municípios situados nas regiões da Borborema, Zona da Mata Norte e Zona da Mata Sul. “O programa vai reunir ações de 15 ministérios no combate à pobreza rural através de ações de desenvolvimento regional, melhoria da qualidade de vida e garantia de direitos e cidadania”, informou Luiz Couto, com base em informações que lhe foram repassadas pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). No total, serão aplicados R$ 11,3 bilhões pelo programa ao longo de 2008 para a implementação de 135 ações em três campos: infra-estrutura, apoio a atividades produtivas e ações de direito e cidadania. O MDS e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), juntos, respondem por R$ 8,4 bilhões em investimentos do Territórios da Cidadania.

Os Territórios da Paraíba

Veja a seguir como estão contemplados os Territórios da Cidadania na Paraíba: Borborema - O Território da Cidadania da Borborema (PB), com 3.341,70 quilômetros quadrados, é formado pelos municípios de Alagoa Grande, Algodão de Jandaíra, Arara, Areia, Areial, Borborema, Campina Grande, Casserengue, Esperança, Lagoa Seca, Massaranduba, Matinhas, Montadas, Pilões, Puxinanã, Queimadas, Remígio, Serra Redonda, Serraria, Solânea e São Sebastião de Lagoa de Roça. Com 628.581 habitantes, dos quais 157.741 (25,09%) vivem na área rural, o IDH médio do território é 0,67. O Território da Cidadania da Borborema tem 22.929 agricultores familiares, 1.521 famílias assentadas, 192 pescadores e duas comunidades quilombolas. Este conjunto de ações será realizado pelo Governo Federal neste Território ao longo de 2008. Todas as ações serão debatidas no Colegiado Territorial, com participação de representantes dos governos Federal, Estadual e Municipal e da sociedade. Total para este território: R$ 240.112.250,80 Total de ações: 59 Zona Mata Sul - O Território da Cidadania da Zona da Mata Sul (PB), com 1.877,90 quilômetros quadrados, é formado pelos municípios de Alhandra, Bayeux, Caaporã, Caldas Brandão, Conde, Itabaiana, João Pessoa, Juripiranga, Pedras de Fogo, Pilar, Pitimbu, São José dos Ramos e São Miguel de Taipu. Com 837.320 habitantes, dos quais 56.578 (6,76%) vivem na área rural, o IDH médio do território é 0,74. A Zona da Mata Sul paraibana tem 6.449 agricultores familiares, 2.709 famílias assentadas, 2.873 pescadores e quatro comunidades quilombolas. Este conjunto de ações será realizado pelo Governo Federal neste Território ao longo de 2008. Todas as ações serão debatidas no Colegiado Territorial, com participação de representantes dos governos Federal, Estadual e Municipal e da sociedade. Total para este território: R$ 198.206.776,65 Total de ações: 50 Zona Mata Norte - O Território da Cidadania da Zona da Mata Norte (PB), com 3.647,30 quilômetros quadrados, é formado pelos municípios de Baía da Traição, Cabedelo, Capim, Cruz do Espírito Santo, Cuité de Mamanguape, Curral de Cima, Itapororoca, Jacaraú, Lucena, Mamanguape, Marcação, Mari, Mataraca, Pedro Régis, Riachão do Poço, Rio Tinto, Santa Rita, Sapé e Sobrado. Com 389.636 habitantes, dos quais 100.946 (25,91%) vivem na área rural, o IDH médio do território é 0,62. A Zona da Mata Norte paraibana tem 8.258 agricultores familiares, 2.356 famílias assentadas, 3,759 pescadores e três terras indígenas. Este conjunto de ações será realizado pelo Governo Federal neste Território ao longo de 2008. Todas as ações serão debatidas no Colegiado Territorial, com participação de representantes dos governos Federal, Estadual e Municipal e da sociedade. Total para este território: R$ 125.751.241,00 Total de ações: 52 Integração de Políticas Públicas Segundo o MDS, O programa fortalece a visão de promoção integrada das políticas públicas, partindo de experiências de sucesso já existente no Governo Federal, direcionadas ao desenvolvimento regional sustentável, aponta o ministro Patrus Ananias. Para 2008, foram selecionados 60 Territórios da Cidadania com menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do País. São conjuntos de municípios organizados a partir de características sociais, econômicas, ambientais e culturais, que constituem uma identidade territorial. Essas localidades possuem baixa atividade econômica e concentração de agricultores familiares e assentamentos, beneficiários do Programa Bolsa Família, populações quilombolas e indígenas. Em princípio, estarão cobertos 958 municípios, somando uma população de 24 milhões de pessoas (sendo 7,8 milhões na área rural). Nesses 60 territórios, há um milhão de agricultores familiares, 319,4 mil famílias assentadas da Reforma Agrária, 2,3 milhões de famílias beneficiárias do Bolsa Família, 350 comunidades quilombolas, 149 terras indígenas e 127,1 mil famílias de pescadores.

Funcionamento do Programa

O Programa Territórios da Cidadania será desenvolvido em conjunto com as três esferas de governo (União, Estados e Municípios) e a comunidade. Juntos, em um Conselho Territorial, seus representantes vão definir, até o final de março, um plano de desenvolvimento local e uma agenda de ações. Cada uma das propostas apresentadas pela população será analisada previamente por técnicos das respectivas pastas. Até abril, serão definidas as prioridades e seus respectivos cronogramas de execução. Poderão ser incluídas ações dos governos estaduais e municipais, ampliando, assim a agenda pactuada entre governo e sociedade. A população também terá importante papel de controle social. Todos os investimentos estarão detalhados no Portal Territórios da Cidadania (ver endereço eletrônico abaixo). O portal faz parte de uma política de transparência, permitindo a qualquer cidadão o acompanhamento, via internet, de cada projeto, desde sua licitação até a conclusão.

Ações do MDS

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) desenvolverá 10 atividades: - Ações Socioeducativas e de Convivência para Crianças e Adolescentes em Situação de Trabalho; Benefício de Prestação Continuada (BPC) às pessoas com deficiência e às pessoas idosas; Programa de Atenção Integral à Família; Programa Bolsa Família – Benefício; Programa Bolsa Família – Índice de Gestão Descentralizada; Acesso à água para a produção de alimentos (2ª água); Aquisição de alimentos provenientes da agricultura familiar; Programa Cisternas; além do Centro de Referência Especializado de Assistência Social. Nesse último, serão oferecidos serviços de Enfrentamento à Violência, ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes; de Proteção Social Especial a Indivíduos e Famílias; e de Proteção Social aos Adolescentes em Cumprimento de Medidas Socioeducativas. Entre as ações que terão financiamento do Programa estão a implantação de Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centros de Referência de Assistência Social (CREAS), o Bolsa Família e a construção de cisternas, todas essas do MDS. Mais informações, consulte www.territoriosdacidadania.gov.br, www.mds.gov.br e www.fomezero.gov.br.
Eliezer Gomes

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

O PSDB nos EMBURRECE!

A Piada século é simplesmete hilária, é ótima. Nem os Três Patetas, Oscarito, Abbott & Costello, Gordo e o Magro me fizeram rir tanto. Leiam amigos e leitores é ótima é uma verdadeira obra prima do humor.
O líder da oposição no Senado, Arthur Virgílio (PSDB-AM), anunciou mais cedo sua disposição em concorrer na eleição presidencial de 2010. E exigiu ser tratado igual a José Serra e Aécio Neves, pré-candidatos do PSDB a presidente do Brasil. O que inclui ter seu nome testado pelas pesquisa eleitorais contratadas pelo partido. Segue um papo rápido com ele. O senhor entra na disputa presidencial para ganhar? - Se ganho não sei, só sei que vou até o final. No mínimo vou fazer o partido se tornar mais aberto à sociedade. O candidato que se sair melhor vai ter que se esforçar a todo sangue, suor e lágrimas. O PSDB já possui dois pré-candidatos, por que um terceiro seria relevante? - Não me importo com um quarto ou quinto candidato. Nós temos todos diferentes estilos. Eu pratico como ninguém a ética da sinceridade. POR UM NOVO BRASIL.

Analfabeto Político

O pior analfabeto é o analfabeto político.. O Analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito, dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce o político vigarista, pilantra, o corrupto e o lacaio das empresas nacionais e multinacionais."Bertold Brecht.

Lula lança programa de R$ 11,3 bi contra pobreza rural

Presidente Lula, quando do lançamento do Programa Territórios da Cidadania.

Em discurso na cerimônia de lançamento do programa Territórios da Cidadania, no Palácio do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que essa política que está sendo criada "será o segundo (segundo, viu mídia golpista tucana-DEMoníaca) passo para acabar com a pobreza". O programa prevê investimentos de R$ 11,3 bilhões para reduzir a pobreza em áreas rurais de baixo desenvolvimento social. Antes, ele defendeu o Bolsa Família e criticou os que pedem o fim do programa. "Eu não tenho pressa de acabar com o Bolsa Família", disse.


Segundo o presidente, o Bolsa Família só acabará no dia que a sociedade construir uma política de distribuição de renda. Já em relação ao Territórios da Cidadania, Lula afirmou que certamente o programa será criticado por ser considerado assistencialista, mas disse acreditar que população saberá distinguir o que é boa fé do que é de má fé.


O presidente pediu também ao Senado e à Câmara urgência na votação de projetos ligados a esse programa. "Quero pedir ao Senado e à Camara que a hora que as coisas forem chegando aí, que dizem respeito ao Território da Cidadania, que votem porque o País depende disso para o País se transformar na grande nação que sonhamos", disse.

PT Petrolina

Senado enrolado com a FINATEC

 

O PIG esconde, e a gente mostra:

O Senado se assanhou em investigar a FINATEC até ontem (depois dos demo-tucanos aparecerem enrolados até a última pena, já começa a operação abafa). Pois não é que o próprio Senado Federal tem "parceria" com a FINATEC ! E agora? Quem vai investigar o Senado? Não encontrei um contrato direto do Senado com a FINATEC. Mas o Senado tem 2 contratos SEM LICITAÇÃO com a Universidade de Brasília, justamente a UnB que repassa muitos valores à FINATEC. Como a FINATEC indica o Senado como "Parceiro", presume-se que serviços da Unb tenham sido repassados à FINATEC. O maior contrato é no valor de R$ 2 milhões para "Restaurar e conservar preventivamente o acervo de 4.000 volumes de obras raras da Biblioteca do Senado Federal". Isso dá pouco mais de R$ 500,00 para conservar cada volume de livro raro. Não sei se é caro ou barato para esse tipo de serviço (tenho a "ligeira" desconfiança que é MUITO caro). Mas uma simples comparação com o quanto gasta a Biblioteca Nacional, especializada nestes serviços, seria bem-vinda para dirimir possíveis superfaturamentos. Os amigos do Presidente Lula

Para desespero da Mídia tucana-DEMoníaca:Presidente Lula lança novo programa social

Objetivo é combater pobreza rural; oposição cogita contestar plano no Supremo
Batizado de Territórios da Cidadania, programa agrupa R$ 11,3 bilhões de investimentos já existentes em ações de 15 ministérios 
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou um programa que será uma espécie de mutirão federal no combate à pobreza rural. Serão 135 ações (nenhuma delas nova), de 15 ministérios, direcionadas a 958 municípios de todos os Estados.Diante do potencial do programa, chamado Territórios da Cidadania e no qual devem ser aplicados R$ 11,3 bilhões neste ano, a oposição já cogita contestá-lo no Supremo Tribunal Federal. Os municípios a serem atendidos fazem parte de 60 territórios criados pelo governo federal, com base, segundo ele, nos mais baixos índices de desenvolvimento humano e nas maiores concentrações de assentados da reforma agrária, beneficiários do Bolsa Família e agricultores familiares.Nas zonas rurais desses territórios, vivem cerca de 7,8 milhões de pessoas, que na prática serão o alvo do programa, idealizado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário. Não há recursos novos -todo o dinheiro aplicado já faz parte dos orçamentos dos ministérios.
Para Lula, o Territórios da Cidadania é "o segundo grande passo para a gente acabar com a pobreza". O primeiro teria sido o Bolsa Família, que atende cerca de 11 milhões de famílias. Na quinta, ele participa, em Quixadá (CE), do lançamento de um braço do programa.Sobre o Bolsa Família, Lula afirmou: "Eu não tenho pressa [de acabar com o Bolsa Família]. O Bolsa Família vai acabar no dia em que a sociedade conseguir construir as políticas de distribuição de renda para que o povo não precise mais dessa política do governo".
Notem bem o que disse o ministro Marco Aurélio Mello, " que o lançamento do Territórios da Cidadania em ano eleitoral poderá ser contestado judicialmente. Temos de aguardar que os que se sintam prejudicados recorram ao Poder Judiciário. Em tese fica muito difícil eu me pronunciar."DEM e PSDB estudam ir ao Supremo Tribunal Federal contra o projeto.

Jussara:
Entenderam meus amigos, é assim que funciona a confraria do ministro Mello com o PSDB/DEM. Faltam 8 meses para as eleições municipais, a lei é clara, não admite repasses de recursos da União para Estados e municípios e dos Estados para os municípios nos 90 dias que antecedem as eleições.Estamos a 240 dias das eleições. Notem o que diz a oposição feroz e virulenta: Queremos saber quais são os critérios adotados para definir as áreas beneficiadas e, se verificarmos o caráter eleitoreiro, claro que vamos ao Supremo", disse o líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA).Para o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (CE), o Territórios da Cidadania foi lançado para conquistar votos em algumas regiões. "É um projeto 100% eleitoreiro." Pois é assim, investir nos mais pobres, nos mais necessitados, nos que precisam de ajuda urgente, é contestado, é eleitoreiro. O PSDB/DEM não está preocupado com o povo, e nem está achando bom que eles sejam beneficiados, eles querem que o povo se exploda.Para eles quanto mais o povo for prejudicado melhor, eles tem uma chance de voltar ao poder.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Como funciona a blindagem de Serra na mídia.

 

Como funciona a blindagem de Serra na mídia.No final de janeiro, a oposição ao Governo Lula resolveu eleger a história dos cartões corporativos do governo federal como eixo de seu enfrentamento, uma vez que a falsa histeria do apagão energético e da febre amarela já não produziam mais efeitos.
O CERCO AO GOVERNO LULA: O CAPÍTULO DOS CARTÕES CORPORATIVOS.
No final de janeiro, a oposição ao Governo Lula resolveu eleger a história dos cartões corporativos do governo federal como eixo de seu enfrentamento, uma vez que a falsa histeria do apagão energético e da febre amarela já não produziam mais efeitos. Recolhendo informações disponíveis no próprio Portal da Transparência do Governo Federal, a oposição municiou os veículos de comunicação com curiosidades sobre o volume de gastos com cartões, o crescimento destes gastos nos últimos anos, os ministérios que mais gastaram, os ministros que possuíam cartões em seu próprio nome, os gastos mais "curiosos" de ministros e, finalmente, os gastos da Presidência da República, sobretudo com a segurança. Os gastos pitorescos e eventuais abusos no uso com os cartões geraram as imagens e as pressões políticas sobre o governo Lula: free shops, tapioca, piscina, presentes finos e hotéis pautaram os noticiários, em detalhes de apuração. Como não poderia deixar de ser, "o melhor da história" está nos detalhes e suas imagens. É isso que, normalmente, fica gravado na memória das pessoas. Depois do impacto inicial dos gastos pitorescos com os cartões do governo federal, as matérias que tomaram conta dos noticiários migraram sorrateiramente para outros assuntos, com a finalidade de criar confusão. Na verdade, o noticiário passou a destacar outras utilizações irregulares de recursos públicos no âmbito federal – como no caso do apartamento do Reitor da Universidade de Brasília – que nada tinha a ver com o uso de cartões, mas acabou se misturando propositalmente no noticiário nacional. Conforme não poderia deixar de ser, a imagem da lixeira que custou mais de R$ 1.000 foi mostrada exaustivamente. Num terceiro momento, investigações do TCU sobre a possível existência de notas fiscais frias emitidas por empresas que forneceram serviços ao Governo Federal, pagos com cartões, passaram a dominar os noticiários. Não é estranho que estes dois últimos assuntos tenham começado a substituir as histórias dos gastos pitorescos com cartões federais no exato momento em que a história dos cartões do Governo Serra foi parcialmente revelada. De qualquer modo, as imagens que ficaram embaralharam propositalmente a memória do público. Tapiocas, free shops, piscinas, lixeiras, hotéis, presentes e locação de carros, para o grande público, foram todos gastos irregulares com os cartões pelo Governo Federal.
DADOS E COMPARAÇÕES GERAIS SOBRE OS CARTÕES DO GOVERNO SERRA
Na última semana de janeiro, através de pesquisas efetuadas no sistema de gerenciamento do orçamento paulista, a Liderança do PT na ALESP fez levantamento sobre os gastos estaduais com o "cartão de compras" em 2007. Os dados revelavam muitas curiosidades. Em primeiro lugar, ao contrário dos gastos federais, eles não estavam disponíveis para a população, sendo apenas obtidos por meio de um sistema com senhas nas lideranças dos partidos e na biblioteca da Assembléia. Mais ainda, a pesquisa não era acessível às pessoas que não possuíssem treinamento específico. Em segundo lugar, os gastos com o "cartão de compras" do Governo Serra foram maiores que os federais em termos absolutos: em São Paulo, eles foram de R$ 108,4 milhões em 2007, enquanto os gastos do Governo Federal foram de R$ 75,6 milhões no mesmo período. Em terceiro lugar, saques eram efetuados através dos cartões estaduais, assim como no governo federal, dificultando o rastreamento da despesa. Em 2007, foram R$ 48,3 milhões em saques na "boca do caixa", cerca de 44,58% dos gastos totais com cartões. Em quarto lugar, o sistema estadual possui inúmeros problemas e falta de informações, não havendo identificação do que foi comprado com cartão nas lojas e estabelecimentos comerciais, nem tampouco o CNPJ destes estabelecimentos utilizados. Finalmente, o número de cartões e servidores que utilizavam este instrumento era muito maior no Estado de SP do que em Brasília: em SP, havia 42.315 cartões, enquanto no Governo Federal eram 11.510 cartões.
ROMPENDO A BLINDAGEM TUCANA
Estes dados foram passados aos dois maiores jornais paulistas ainda na semana anterior ao Carnaval. Como não poderia deixar de ser, a matéria ficou na gaveta por vários dias. Na manhã da quinta feira (7/2/2008), depois do Carnaval, o site do "Conversa Afiada" divulgou as tabelas e provocou os jornais paulistas, que já possuíam os dados, a publicarem a matéria. Imediatamente, na tarde da mesma quinta feira, o Jornal Folha de São Paulo enviou sua jornalista especial para apurar os dados que eles já possuíam. Comprovando a veracidade das informações, o jornal foi consultar o "outro lado", obtendo negações e respostas desencontradas. As primeiras respostas do Governo Serra negavam a existência de cartões no Estado. Depois, afirmavam que eram utilizados apenas para compras específicas e miúdas. Mais tarde, que os saques eram apenas para vale transporte, diárias e combustíveis e, finalmente, que havia limites específicos para estes valores. Uma a uma, estas afirmações foram sendo derrubadas pelos dados do próprio sistema, não havendo outra opção ao Jornal Folha de SP senão publicar o assunto como matéria principal da edição da Sexta Feira (08/02/2008). "SP gasta R$108 milhões com cartões: no governo paulista, saque em dinheiro atinge 44,6%; prestação de contas de 42,3 mil funcionários não é aberta". "Transparência com cartão é menor em SP que na União". Na sexta feira, pela manhã, quase todos os veículos de comunicação do país estavam na Assembléia, buscando maiores informações.A TV Globo pautou esta notícia, que foi apresentada em todos os seus telejornais da sexta feira. Imediatamente, iniciou-se uma operação de conserto na blindagem tucana.
RESTABELECENDO A BLINDAGEM
Apesar de noticiar a falta de transparência, as altas cifras movimentadas e a quantidade excessiva de cartões no Governo Estadual, significativamente maiores se comparadas ao Governo Federal, algumas outras falsas diferenças "a favor" do governo Serra já foram noticiadas pela Rede Globo na própria sexta feira. Buscando gerar um falso equilíbrio no assunto, as matérias na Rede Globo destacavam que os cartões estaduais eram "completamente" diferentes dos federais, "tucanando" os termos e as expressões no noticiário. Já no telejornal, os cartões estaduais eram de débito, enquanto os federais eram de crédito. Mais ainda, os cartões estaduais eram "cartões de pagamento de despesas", enquanto os federais eram "cartões corporativos". Cumpre destacar que o governo tucano mudou o nome em SP de "cartões de compras" para "cartões de pagamento de despesas" em 2002 (no Governo Alckmin), mas o sistema de gerenciamento das informações orçamentárias ainda manteve a denominação antiga, sendo assim conhecido dentro da administração estadual. Ainda segundo a Rede Globo, os cartões não estavam nas mãos dos Secretários, mas sim de funcionários públicos de carreira, ao contrário do que ocorria no Governo Federal. Finalmente, que cada cartão tinha uma finalidade específica, sendo vedado seu uso para outras despesas. Em Brasília podia-se gastar com qualquer coisa em qualquer lugar, sem limites. Desta forma, o jornal apresentava três informações contra os cartões de Serra e três a favor, "equilibrando" o noticiário. O que passou desapercebido por muitos, mesmo os especialistas, foi que este assunto, na verdade, já começava a desequilibrar em favor de Serra. Enquanto em Brasília qualquer gasto pitoresco com cartões era amplamente investigado e divulgado, em SP, qualquer resposta do governo Serra a respeito de gastos específicos e "suspeitos" com os cartões era amplamente aceita pela imprensa. Em relação ao Governo Lula, a imprensa contava as histórias e os detalhes dos gastos com cartões. Em São Paulo, pouquíssimas imagens e quase nenhuma história, principalmente em seus detalhes. Quanto aos saques com cartão, por exemplo, em Brasília, eles eram absurdos. Em SP, os saques, segundo o Governo Serra, seriam apenas para vale transporte, diárias e combustíveis. Depois, parte dos saques não seriam, na verdade, saques, mas pagamentos ou transferências eletrônicas. Como descobriu-se que haviam saques para diversos itens, tais como materiais de construção, locação de veículos ou passagens, operações policiais e outros, o Governo Serra resolveu tomar alguma providência. A edição do Jornal Nacional da TV Globo de segunda feira (11/2/2008) "encerrou" o assunto, dando total espaço para uma declaração recheada de ironias do Governador Serra, que anunciou que estaria suspendendo a possibilidade de saques em cartão de débito e publicando os dados no site do governo estadual. Os dados foram realmente publicados, mas de maneira mais incompleta ainda do que no sistema de gerenciamento do orçamento estadual. Algum estrago, sem dúvida, já havia sido produzido, mas a capacidade de interferência na grande imprensa por parte do Governador Serra revelou-se, mais uma vez, impressionante.
O FALSO EQUILÍBRIO
Segundo a Rede Globo, seguindo o imaginário popular, seria melhor o poder público pagar suas despesas no ato (cartão de débito/compras) do que de modo parcelado (crédito/corporativo). A diferença criada buscou favorecer o cartão estadual. Na verdade, se o poder público tem mais tempo para desembolsar estes gastos miúdos, melhor para as finanças públicas. A vantagem real seria para o cartão federal. Ainda segundo a Rede Globo, os cartões federais estavam nas mãos de autoridades, enquanto em São Paulo estavam nas mãos de funcionários públicos comuns. Lá em cima, os possíveis desvios eram do alto escalão, logo, do Governo Lula. Em São Paulo, seriam possíveis desvios do funcionalismo comum, sem nenhum conhecimento das autoridades de governo. Ponto para Serra. Olhando com maior cuidado este aspecto, observamos que todos os países desenvolvidos que adotaram este sistema colocaram os cartões sob responsabilidade das autoridades, permitindo maior fiscalização sobre seus atos administrativos. Em Brasília, a situação apresentou-se mais próxima deste cenário. Já em SP, os cartões estavam nas mãos de funcionários públicos comuns, subordinados às autoridades governamentais. Como quase metade dos gastos foram efetuados através de saques e o TCE assumiu que não fiscalizou estes gastos especificamente (vide matéria do Terra Magazine de 12/02/2008), qualquer autoridade estadual poderia utilizar-se deste cartão indiretamente, atribuindo a culpa por eventuais irregularidades a um funcionário público comum. Em suma, na verdade, o sistema em Brasília seria mais correto do que em São Paulo. Finalmente, saiu na Rede Globo que os cartões estaduais seriam específicos, não podendo apresentar gastos desviados em sua finalidade. Em Brasília tudo seria possível. Outro gol para Serra. Na verdade, como os cartões do Governo Serra permitem saques, os desvios de finalidades também ocorreram, como podemos perceber no capítulo abaixo desenvolvido.
ALGUMAS HISTÓRIAS QUE NÃO FORAM CONTADAS
1) O cartão de crédito federal foi mostrado inúmeras vezes, com as logomarcas do Banco do Brasil/ OuroCard e da Visa. Já o cartão estadual não apareceu nenhuma vez, com as logomarcas da Nossa Caixa e da Maestro/RedeShop. 2) Na Rede Globo, os gastos com cartão estadual realizados pela Secretaria de Segurança Pública na Churrascaria Lemor, em Campos do Jordão, no valor total de mais de R$ 13 mil, foram justificados pelo Governo Serra como referentes a "marmitas" adquiridas ao preço unitário de R$ 8 para o reforço de policiamento durante o período de férias naquela estância. Detalhe: os valores foram pagos com cartão de débito nos dias 8 de março (R$ 5.300), 24 de abril (R$ 6.500) e 11 de maio (R$ 1.800), datas distantes dos meses de janeiro ou julho, referentes ao chamado período de férias. 3) A Rede Record noticiou a existência de saques no valor de R$ 271.940 em 2007 através do Sr. Rafael dos Santos Melo, motorista da Casa Civil do Governo Serra. Nos últimos anos, este funcionário teria sacado mais de R$ 1 milhão. Segundo o Governo Serra, ele seria o motorista mais antigo da Casa Civil, e portanto teria a responsabilidade de sacar em dinheiro os valores das diárias de todos os 120 motoristas do Palácio dos Bandeirantes. Não houve questionamento. Detalhe: interessante notar que um simples motorista tenha a responsabilidade de prestar contas sobre cifras altíssimas referentes a saques na "boca do caixa", direcionadas às despesas de outra centena de motoristas. 4) O Portal IG, através do Conversa Afiada e a Rede Record noticiaram que um estabelecimento chamado Empório Tatuapé vendeu para a Casa Civil em 2007 mais de R$ 32 mil em sucos e materiais de limpeza, em compras constantes ao longo de todo o ano. Este estabelecimento, porém, situa-se a 18 km do Palácio dos Bandeirantes e vive de portas fechadas. Pelo Sistema de Gerenciamento do Orçamento, a Casa Civil teria comprado suprimentos de informática neste local. O governo Serra não se pronunciou sobre o assunto, e outras emissoras de televisão e jornais não buscaram investigar. Detalhe: por que motivo a Casa Civil realizaria compras de valores tão altos em um estabelecimento precário e que vive fechado, referente a produtos de limpeza e gêneros alimentícios de uso comum, que poderiam ser obtidos por meio de um pregão eletrônico ou outra modalidade de licitação? 5) Gastos pitorescos com os cartões do Governo Serra existem aos milhares, tais como doces, chocolates, brinquedos de mágicas, cafés finos, tabacarias, calçados, churrascarias, choperias, cachaçarias, locação de carros, táxis, presentes finos, entre muitos outros, não significando necessariamente desvio de finalidade ou improbidade. Os grandes veículos de comunicação não quiseram investigar ou mostrar imagens sobre estes produtos e serviços, buscando preservar a imagem do Governo Serra. No âmbito federal, a tapioca do Ministro dos Esportes e os chocolates finos da Marinha brasileira ocuparam os telejornais em todo o país. 6) A Secretaria de Segurança Pública do Estado realiza saques secretos altíssimos através dos cartões, identificados simplesmente através do item "Operações Policiais". Observamos que estes valores são sempre redondos e são efetuados por escrivãos, investigadores e outros integrantes da polícia civil em postos intermediários. Os valores atingiram a cifra dos R$ 4,4 milhões apenas em 2007. A imprensa deu pouco destaque sobre estes gastos secretos. O Governo Serra disse que não poderia divulgar por questões de segurança. Em Brasília, segundo a mesma imprensa, todos os gastos da segurança do Presidente deveriam ser mostrados. 7) No Governo Federal, a Controladoria Geral da União e o Tribunal de Contas da União vêm procedendo a detalhadas auditorias sobre os gastos federais, inclusive sobre os cartões, disponibilizando seus gastos no Portal da Transparência. Em São Paulo, conforme matéria veiculada no Terra Magazine, o Tribunal de Contas do Estado ignoraria o uso dos cartões, não realizando auditorias específicas sobre estes gastos e recusando-se a pronunciar-se sobre este assunto. Diferentemente do âmbito federal, nenhum caso de notas frias ou falsificadas foram noticiados no Estado, nas mais de 100 mil transações realizadas com os cartões paulistas apenas em 2007. Um caso único de probidade em todo o mundo. 8) Conforme veiculado pela Mônica Bérgamo na Folha de São Paulo, o vice-governador gastou cerca de 200 dólares com a peça Rei Leão em Nova Iorque e apresentou nota fiscal, para ressarcimento de despesas. Não sendo aceita esta despesa, o vice-governador diz que acabou ressarcindo aos cofres públicos o valor. Não vimos na grande imprensa imagens do ingresso ou ainda detalhes de tal operação. O vice-governador se enganou. No âmbito federal, a Ministra da Igualdade Racial que gastou em um free shop, foi condenada à execração pública. 9) Os gastos com hotéis do ex-Ministro da Justiça e do Ministro dos Esportes no Rio de Janeiro foram considerados abusivos. Em São Paulo, a Secretaria da Saúde gastou valores expressivos em hotéis em 2007, alcançando a cifra de R$ 109 mil. Considerando uma diária média em um bom hotel no valor de R$ 150, teríamos o pagamento de mais de 726 diárias ao longo do ano. A Secretaria de Educação, maior do que a primeira, gastou apenas R$ 1.200. Tal discrepância não foi apurada nem tampouco divulgada pela imprensa.
Eduardo Marques Assessoria da Liderança do PT Politica da Paraiba

FINATEC estoura no colo dos Tucanos (de novo)

De novo: assim não dá tempo nem das penugens crescerem...
 

O PIG esconde e a gente mostra. Vamos espalhar essa notícia porque o PIG não publicou, só mostrou os contratos da FINATEC com prefeituras petistas, escondendo a ala demo-tucana que é muito maior, inclusive em valores, como demonstramos abaixo.
A FINATEC já é velha conhecida dos demo-tucanos, de longa data. Alguns fatos: Entre 1997 e 2003 (era FHC), a FINATEC firmou 4 contratos com o Ministério da Agricultura que somam somam R$ 41 milhões. Chama atenção o fato de a FINATEC ser contratada para realizar tarefas que requerem uma especialização que ela não possui: monitorar safras agrícolas, executar e implementar zoneamento agroclimático e pedoclimático. Uma fiscalização do TCU - Tribunal de Contas da União, realizada a pedido da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados, encontrou irregularidades nos 4 contratos com Min. da Agricultura do governo FHC. Será que os Deputados tucanos e dos demos não sabem disso que aconteceu debaixo do nariz deles, dentro da Câmara dos Deputados? A RECEITA FEDERAL auditou a atuação da FINATEC, e concluiu que houve abandono dos objetivos estatutários e pediu o fim da isenção fiscal da fundação. Ponto para o governo do Presidente Lula. A FINATEC tem até filial em Goiânia-GO. O Senador Marconi Perillo contratou a FINATEC quando era governador de Goiás (sabe-sa lá para quê) através de sua secretaria de Educação em 2004. Será que o Senador Demóstenes Torres, também de Goiás, também NÃO sabe disso? A FINATEC já é objeto de investigação pelo Ministério Público do Distrito Federal desde 2003, pelo menos. Será possível que o PIG NÃO sabe disso? Em 13 de maio de 1998, quando Luis Carlos Mendonça de Barros era Ministro das Comunicações, a FINATEC firmou contrato com os Correios, com DISPENSA de LICITAÇÃO. Os serviços prestados que constam são assessoria e consultoria nos projetos: - Sistemas de Telemática, envolvendo atividades de desenvolvimento, implantação e manutenção, cujo valor global é de R$ 1.785.390,84; - produção gráfica da Revista Correio Hoje, cujo valor global é de R$ 19.198,00; - sistemas de transmissão de arquivos, cujo valor global é de R$ 50.929,54; - realização dos serviços com o objetivo de atender às metas setoriais do Plano de Negócios, Projetos Corporativos, solicitação de órgãos da empresa e dos Projetos Prioritários relativos ao Treinamento no Local de Trabalho (TLT), dentre outros. Estes serviços prestados aos Correios, por lei, não poderiam ser contratados sem licitação, e não é função da FINATEC prestar tais serviços. Em 5 de julho de 1999 quando Paulo Renato de Souza era Ministro da Educação, a própria Universidade de Brasília contratou a FINATEC com DISPENSA de LICITAÇÃO para prestar apoio na implementação e gerenciamento do plano de assistência odontológica aos servidores da Universidade de Brasília. Esse tipo de contrato está fora das atribuições de ensino e pesquisa da FINATEC. 14 de abril de 1998, houve contrato com a própria Universidade de Brasília (também quando Paulo Renato de Souza era Ministro da Educação), com DISPENSA de LICITAÇÃO, para apoio a atividades desenvolvidas pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos - CESPE. O valor estimado foi de R$ 15 milhões. É importante salientar que foram desenvolvidas atividades que a FINATEC não poderia realizar em parceria com a Universidade como, por exemplo, a prestação de serviços relacionados à assessoria e consultoria técnica para atender contratos firmados entre a FUB e SEBRAE, INSS, MPAS, EBCT, PMDF, MRE, BACEN e outros. Tudo indica que o contrato foi uma forma de retirar dinheiro público da educação (do orçamento da Universidade) para dar destino privado através da FINATEC. 10 de setembro de 1998, Contrato com DISPENSA de LICITAÇÃO firmado com a própria a Universidade de Brasília para serviços automotivos, que abrange o POSTO de abastecimento de COMBUSTÍVEIS, centrais de LUBRIFICAÇÃO e de LAVAGEM de VEÍCULOS, BORRACHARIA, LOJA de conveniência, unidade de alimentação e outros que se fizerem necessários, situado no Campus Universitário Darcy Ribeiro - UnB. Aí também já é demais! Na época em que Paulo Renato de Souza era Ministro, o dinheiro Público que ia para uma Universidade Federal, era usado para contratar uma Fundação Privada de Ensino e Pesquisa para gerenciar POSTO DE GASOLINA e BORRACHARIA! Quando a gente pensa que viu tudo em termos de abuso do dinheiro público para a educação, os demo-tucanos ainda conseguem nos surpreender. Em tempo: A FINATEC é apenas uma de seis Fundações semelhantes ligadas à Universidade de Brasília. Pelo menos outra destas fundações também tem atuação suspeita. Existem casos semelhantes de desvios de dinheiro público da educação e uso privado de fundações que deveriam ser públicas, em outras Universidades Federais e Estaduais: UFF - Universidade Federal Fluminense, USP - Universidade de São Paulo (Estadual), UNICAMP - Univesidade de Campinas (Estadual), e várias outras.
OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

domingo, 24 de fevereiro de 2008

O fracasso da oposição e da imprensa


Se um marciano chegasse no começo de janeiro de 2008 ao Brasil e começasse a ler o que estava saindo nos grandes jornais nacionais ou a assistir e ouvir ao noticiário das emissoras de televisão e rádio, em poucos dias formaria a seguinte opinião sobre o país:
Por Luiz Antonio Magalhães*, para o Correio da Cidadania 1. O presidente da República não passa de um fanfarrão corrupto, cuja popularidade só pode ser negativa. A oposição, em franca ofensiva política, já deveria estar preparando os termos de um pedido de impeachment. 2. A economia do país estava em vias de sofrer uma verdadeira hecatombe por causa de uma gravíssima crise nos Estados Unidos que já ameaça devastar o sistema capitalista e acabar com a oferta de crédito no sistema financeiro internacional. Permanecendo no Brasil, o marciano começaria a circular pelo país, a conversar com as pessoas, ouvir a tal voz rouca das ruas de que falava um ex-presidente de triste memória. Em pouco tempo, certamente começaria a achar estranho que quase tudo o que sai na imprensa tupiniquim não corresponde muito bem ao que ele consegue apreender no contato com a população e na observação dos fenômenos da economia local. Em fevereiro, o marciano começa a desconfiar que a mídia brasileira é um tanto esquizofrênica, pois começa a ler notícias sobre a altíssima popularidade do presidente da República e uma seqüência de excelentes notícias para a economia nacional: geração recorde de empregos, aumento vertiginoso na venda de automóveis, fim da dívida externa do país, a moeda nacional apreciando e os mercados financeiros bastante animados. Alguém já disse que entender o Brasil não é tarefa para amadores. De fato, nada por aqui é muito fácil. Como explicar, tendo em vista o efusivo apoio da imprensa, o absoluto fracasso da oposição na campanha que vem sendo realizada desde a primeira posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em janeiro de 2003, para colar nele a pecha de corrupto, inepto, beberrão e ignorante? Como explicar que, a despeito de todo o esforço que a mídia brasileira tem realizado para reduzir as expectativas dos brasileiros no sucesso do país, este entusiasmo com o crescimento siga tão inabalável, de maneira a fazer a economia girar com novos investimentos, contratação de mão-de-obra e uma firme aposta no desenvolvimento do mercado interno? A má vontade da imprensa brasileira com o governo Lula já é parte da história do Brasil, embora esta história não esteja ainda escrita, é claro. No futuro, os pesquisadores terão nos jornais uma excelente fonte para entender o comportamento de uma elite que resiste a largar o osso. O preconceito contra o presidente-operário, a negação de que qualquer fato positivo no país possa ter a mais remota relação com atos do governo, tudo isto ainda vai ser objeto de exame mais detido pelos futuros historiadores, mesmo porque ainda há muito por vir sob a presidência de Lula. De qualquer forma, a marca mais forte do governo Lula até agora parece mesmo ser o fracasso das oposições e da imprensa em tentar jogar o povão contra o presidente. Mas este é um jogo que continua em curso. *Luiz Antônio Magalhães é editor de política do DCI e editor-assistente do Observatório da Imprensa. Correio da Cidadania

PIG ataca de FINATEC para encobrir Serra

Serra ainda não explicou o SERRAcard, nem Kassab explicou o KSASSABcard.Serra não explicou as notas frias em sua campanha.
O jogo de compadres da notícia do superfaturamento no metrô paulista, feita no Fantástico do domingo Passado não deu certo, para tirar as atenções do SERRAcard. As notas frias e empresas fantasmas usadas na campanha de Serra tornou-se o escândalo da semana. Agora o PIG através da Revista Época (da Globo), em outro jogo de compadres, joga a bóia para Serra e Kasssab não se afogarem no mar de escândalos. Tentam emplacar a FINATEC (Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos), ligando-a a prefeituras administradas pelo PT. A denúnica foi puxada pela revista Época (da Globo) e veiculada nos telejornais globais, com direito a palanque para Gilberto Kassab no Jornal Nacional. A base da denúncia da Época são 2 documentos em posse do ministério público: um planilha com a relação oficial de clientes da FINANTEC e um relatório de auditoria da Prefeitura demo-tucana de Serra-Kassab, de 2006. Prestem atenção: o relatório é de 2006 e só está sendo denunciado hoje. E o documento foi produzido por Serra e Kassab.

A planilha

por si (figura abaixo), não diz nada, é a relação oficial de contratos com a FINATEC. A Época mostra como "escândalo" marcando apenas as prefeituras do PT na listagem. Acontece que no pedaço da própria listagem que a revista mostra, por exemplo, aparece a Secretaria de Educação do Estado de Goiás, quando o atual Senador tucano Marconi Perillo era governador. Aparece também a prefeitura de João Pessoa, quando o também Senador tucano Cícero de Lucena Filho (chefe da Confraria) era prefeito. Gostaria de ver o restante da listagem, que a revista esconde. Este caso está com cara do que acontece sempre. As denúncias começam pelo PT, encontra-se uns gatos pingados do PT envolvidos, e quando vai ver o resto, encontra-se lá os demos e o tucanos em escala muito maior. Foi assim com Marcos Valério, foi assim com a tapioca que virou o SERRAcard, foi assim com a ONG da Dona Ruth Cardoso, e tem tudo para ser assim essa FINATEC. Em tempo: A FINATEC é aquela Fundação ligada à UNB que fez compras superfaturadas de lixeiras, e promoveu gastos com móveis para mordomia do apartamento do Reitor. É bom que o MP investigue tudo, inclusive a FINATEC já está sob intervenção do MP. O que não dá pra engolir é o PIG usar apenas como fonte documentos fornecidos pela dupla dinâmica Kassab-Serra, e escolher seletivamente numa lista a investigar apenas as prefeituras do PT, entre tantas outras demo-tucanas. Serra ainda não explicou o SERRAcard, nem Kassab explicou o KSASSABcard. Serra não explicou as notas frias em sua campanha. E Serra quer vender a CESP sabe-se lá para fazer o quê com o dinheiro, e sem o consentimento do povo paulista. É muito conveniente ocupar o noticiário com a FINATEC para Serra sair do noticiário policial.
Os Amigos do Presidente Lula

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Se gritar pega ladrão...

Os amigos do Presidente Lula

Quer saber os partidos campeões de punição por compra de voto ou corrupção?
Os membros da K.G.B Lulista não se conformaram com a conversinha “me engana que eu gosto”, do Rodrigo Maia no programa eleitoral do DEM ontem, na TV. Disse o deputado: "Nenhum outro partido nos superou em coerência, disposição de luta e ética". Para ativar a memória empoeirada do filho do prefeito Cesar Maia, relembremos a pesquisa publicada aqui no site do Movimento de Combate à Corrupção, ou aqui no Estadão de 04/10/2007. Veja bem meus queridos leitores, isso há 4 meses atrás. O Democratas lidera a lista de políticos cassados por compra de votos e corrupção no Brasil entre 2000 e 2006, seguido de perto pelo PMDB e pelo PSDB. Essa é o resultado divulgado pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, entre 2000 e 2006. Neste período foram apurados 623 políticos em 339 processos. O Democratas é o campeão dos políticos cassados por compra de votos ou corrupção, com 69 casos. No total, foram cassados quatro governadores e vice-governadores, seis senadores e suplentes, oito deputados federais, 13 estaduais e 58 vereadores. Os governadores cassados foram Cassio Cunha Lima,PSDB da Paraíba e Flamarion Portela,(sem partido) de Roraima. A verdade é que quando fala-se em casos de corrupção, o partido mais corrupto do Brasil é o DEM,. É bom lembrar que, até a presente data a pesquisa não foi contestada por nenhum parlamentar do PFL/DEM. Segundo o Movimento de Combate a Corrupção o caso mais bizarro foi registrado em Campos Borges, no Rio Grande do Sul, onde o prefeito e o vice, que eram do PP, pagavam R$ 50,00 a cada pessoa pelo voto, mas só dava metade da cédula. A outra metade só se ganhasse a eleição. Os resultados de cassação são dados abaixo (dados do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral).
1) Democratas - 69 cassados.
3) PSDB - 58
Com a palavra, o deputado deputado Rodrigo Maia, que foi condenado, junto com a Rede Globo, por calúnia, difamação, dano moral ....No bom português: Por ser mentiroso...

Charge de Tacho para o jornal NH (RS)


Demos deveriam mudar o número de 25 para 171

 
Assim como os demos mudaram de nome, de PFL para "Demos", deveriam mudar o número de 25 para 171.
Na propaganda eleitoral gratuita do partido na TV, ontem, vimos um festival de enganação e escárnio com o cidadão brasileiro. Começa pela comemoração do fim da CPMF, no mesmo dia em que foi publicada uma pesquisa do Prof. Marcos Cintra (FGV) demonstrando que o dinheiro da CPMF ficou no bolso dos mais ricos, dos empresários que não diminuíram os preços. A diminuição de preços deveria ser, segundo este estudo: - Automóveis - 1,69% - Medicamentos - 1,49% - Eletro-eletrônicos - 1,74% - Serviços pessoais - 1,31% - Transportes - 1,33% - Café - 2,25% Em nenhum destes setores houve diminuição de preços. Resultado: o grande empresariado embolsou a CPMF que estava indo para a saúde pública e programas sociais para os mais pobres. Como os demos tem banqueiros, grandes empresários e ricos latifundiários em suas fileiras, suas contas bancárias tem muito o que comemorar com o fim da CPMF mesmo. Os concursos cancelados, os aumentos do funcionalismo civil e militar, e de aposentados, também sofrerão redução nos ajustes, "graças" a "vitória" dos demos. No resto do programa, vimos o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que já está há quase 2 anos na prefeitura, mostrando como "grande realização", um circuito fechado de TV para segurança, coisa que qualquer comerciante médio possui, e que não é mais do que obrigação uma cidade como São Paulo ter. Não em apenas alguns poucos pontos da cidade como ele mostrou, mas em vários. César Maia teve a cara de pau de mostrar obras inauguradas a 10 anos atrás, como a Linha Amarela, como se fosse realização de agora. Mostrou um parque infantil inaugurado há 4 anos atrás, antes de sua reeleição. Mostrou o Hospital de Acari que está pronto há 4 anos, e está parado porque o prefeito não contrata médicos e enfermeiros. E mostra como se fosse uma obra de agora, a ser inaugurada (coisa que ele está prometendo há 4 anos). Surrupiou também as obras do PAN construídas em sua grande maioria pelo governo federal e pelo governo Estadual, como se fossem todas dele. Ou seja, no Rio ele está queimado, a ponto dos contribuintes estarem se recusando a pagar o IPTU até que ele saia da prefeitura, porque o carioca já sabe que o dinheiro desaparece. Mas Cesar Maia quis mostrar uma imagem enganadora para o resto do Brasil que não conhece o que ele apronta no Rio. Praticamente nada do que ele mostrou foi feito neste atual mandato, o que siginifica que ele passou os 4 anos dedicando-se apenas ao blog dele. Para não ser injusto, há uma obra deste mandato: a cidade da música. É um elefante branco voltada para música clássica, elitista, construído em um bairro de ricos, e que carece de bom acesso por transporte coletivo. Por isso está condenada a ficar ociosa e ter pouco público. Detalhe: o Rio já tem 3 salas bem localizadas e que estão subutilizadas por falta de melhor apoio à cultura para os músicos e dançarinos clássicos: o Teatro Municipal, a Sala Cecília Meirelles, e o auditório da Escola Nacional de Música. A cidade da música deveria receber o nome de Cidade do Superfaturamento. Foi orçada em R$ 80 milhões, e seu custo está passando de R$ 470 milhões. O caso já está no Ministério Público. Como se não bastasse, César Maia, encomendou o projeto desta Cidade da Música a um escritório de arquitetura francês. Haja cabeça de colonizado! A arquitetura do Brasil é uma das mais respeitadas no mundo, a começar por Oscar Niemeyer, e ele encomenda um projeto estrangeiro! Mas talvez Cesar Maia tenha motivos inconfessáveis para encomendar o projeto em Paris e remeter pagamentos dos serviços para lá. O jornalista Hélio Fernandes já denunciou há tempos atrás a compra de um apartamento em Nova York, quando César Maia não tinha renda nem patrimônio para tanto. Espero que César Maia não esteja querendo escrever seu ex-blog, de um novo apartamento com vista para a Torre Eiffel. Blog os Amigos do Presidente.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

PSDB, teu passado te condena!

Desde de 2000 José Serra usa notas fiscais falsas na campanha eleitoral.
Consultando os arquivos da KGB Lulista, descobrimos a notícia abaixo, publicado em 2005, pelo jornal da Brasília. Naquela época o jornal denunciava crime eleitoral praticado pelo PSDB, por uso de documento falso, no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), para justificar gastos na campanha de 2000 quando Serra era candidato à Presidência. Percebam que novamente estava no foco do escândalos, Márcio Fortes- PSDB- e a empresa Marka Serviços de Engenharia Ltda na prestação de contas do PSDB. Jornal denuncia crime eleitoral tucano (2005) O Jornal de Brasília desta segunda-feira (5/12/2005) publica matéria sobre denúncia de crime eleitoral praticado pelo PSDB, por uso de documento falso, no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), para justificar gastos na campanha de 2000.A denúncia foi encaminhada no último dia 30 de novembro pelo procurador regional da República, Luís Wanderley Gazoto, à Procuradoria-Geral da República, após analisar as peças que compõem os autos de Procedimento Administrativo Criminal contra o PSDB. Segundo o jornal, em sua denúncia o procurador Gazoto responsabiliza o ex-senador Pedro Piva, o ex-deputado federal Nelson Otoch e o atual deputado federal Márcio Fortes ((PSDB-RJ) pela utilização de notas fiscais frias da empresa Marka Serviços de Engenharia Ltda na prestação de contas do partido. O caso mais representativo a que o jornal teve acesso é o de duas notas fiscais de serviço que somam R$ 280 mil, emitidas quatro anos após o cancelamento do CNPJ da empresa Marka Serviços de Engenharia Ltda, do Rio de Janeiro, pela Receita Federal. No mesmo processo, estão dois cheques do PSDB, assinados pelo deputado Márcio Fortes, em valores correspondentes às notas fiscais. "Trata-se de uma quantia considerável, discriminada em documentos emitidos no mês de agosto de 2000, sendo que o cancelamento da inscrição da empresa no Cadastro da Secretaria da Receita Federal se deu no mês de janeiro de 1996. Ambos os documentos foram apresentados como comprovantes de gastos efetuados pelo Diretório Nacional, utilizando-se dos recursos do Fundo Partidário", informa o laudo assinado pela analista judiciária Leonice Vera Severo Fernandes. Os amigos do Presidente

Procurador Eleitoral dá parecer favorável a cassação de tucano paraibano


O procurador geral eleitoral, Francisco Xavier Pinheiro Filho, ofereceu parecer favorável à cassação do governador Cássio Cunha Lima (PSDB). O parecer (publicado no final desta matéria, na íntegra) foi encaminhado ao TSE às 9h45 desta quinta-feira (21), em Brasília.

O parecer do procurador sugere que o segundo colocado nas eleições seja empossado, no caso o senadro José Maranhão (PMDB). Além disso, opina pela manutenção integral da decisão do TRE da Paraíba, que culminou na cassação, por cinco votos a um, de Cássio e o seu vice, José Lacerda, por abuso de poder e conduta vedada. O julgamento ocorreu no dia 30 de junho, após do processo tramitar por um ano no Tribunal.


Com o parecer pronto, o relator do processo já pode pedir pauta para o julgamento no TSE.

O Caso Fac é o processo da Ação de Investigação Judicial Eleitoral que apura o caso da distribuição de 35 mil cheques pelo Governo do Estado através da Fundação de Ação Comunitária (Fac) no ano eleitoral de 2006. Os cheques, no valor de 150 e 200 reais, foram entregues a eleitores residentes em comunidades carentes de diversos municípios da Paraíba.

Portal Correio da Paraiba

Charge de Iotti para o Zero Hora

Lula é o melhor Presidente do Brasil!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Cartão Corporativo de Serra Paga até 'Baladas' de Tucanos!

CARTÃO DE SERRA FOI USADO EM CASAS NOTURNAS.

Dados do Sigeo (Sistema de Informações Gerenciais da Execução Orçamentária), repassados ao Conversa Afiada pela liderança do PT na Assembléia, mostram que os cartões corporativos do Governo de São Paulo foram usados para pagar contas em choperias e casas noturnas.

O Sigeo mostra gastos feitos na Choperia Farol Assis e num estabelecimento chamado Comercial Santo Amaro. Os gastos realizados nesses locais e pagos com o cartão corporativo do Governo Serra somam R$ 1.031,00 e foram realizados em junho de 2006, julho de 2006 e agosto de 2007. O ramo de atividades desses estabelecimentos é discriminado no Sigeo como "casas noturnas".

Os gastos feitos na Choperia Farol Assis foram pagos por um servidor da Secretaria de Saúde no dia 31 de agosto de 2007, às 17h36, e somam R$ 366. Depois, no mesmo dia 31 de agosto de 2007, o mesmo servidor foi à Cachaçaria Água Doce, às 22h03, e gastou R$ 340 com o mesmo cartão corporativo que usou na Choperia Farol Assis. Um dia depois, no dia 01 de setembro de 2007, às 14h30, o mesmo servidor voltou à Cachaçaria Água Doce e gastou mais R$ 300 com o cartão corporativo do Governo de São Paulo.

Em maio de 2002 o cartão, que estava em nome de uma servidora, que na ocasião trabalhava na Secretaria de Ciência e Tecnologia, foi usado para pagar uma conta de R$ 8 mil na Estância Alto da Serra.

A Estância Alto da Serra é uma casa de shows e tem duas unidades: uma em São Bernardo do Campo e outra no Itaim Bibi, na capital paulista.

Outro dado do Sigeo que chamou a atenção do líder do PT na Assembléia, deputado Simão Pedro, foi o gasto de R$ 4 mil com o cartão corporativo, entre 2005 e 2007, para pagar táxi. O que chama a atenção é o fato de os gastos com táxi serem pagos a uma mesma empresa, a Chame Táxi.

Transcrito de:Por Um Novo Brasil
Gif animado extraido do Blog Tribuna Petista.

Operação Vampiro volta para assombrar José Serra

Os vampiros tucanos José Serra e Barjas Negri.
 

O Ministério Público Federal no Distrito Federal ajuizou ação de improbidade administrativa contra quatro pessoas e duas empresas acusadas de fraude a licitações do Ministério da Saúde. A ação é resultado da Operação Vampiro, deflagrada em 2004.

O MPF também quer a anulação de três contratos firmados em 2001 entre a União e as empresas Octapharma e LFB e a devolução de cerca de R$ 227 milhões aos cofres públicos. A ação é contra a União, as empresas fornecedoras de hemoderivados, seus representantes legais (Jaisler Jabour, Paulo Lalanda e Marcelo Pitta) e o ex-servidor do Ministério da Saúde, Luiz Cláudio Gomes. Eles são acusados de praticar atos de improbidade administrativa que resultaram em enriquecimento ilícito. (Processo por improbidade 2008.34.00.005180-5)



Contratos ilegais aconteceram quando Serra era ministro
Repararam na data dos contratos? 2001. O ministro da Saúde era o atual governador de São Paulo, José Serra. Segundo o MPF, R$ 227 milhões foram desviados nas barbas do ministro. E não foi por falta de aviso. Em 2001, uma denúncia anônima encaminhada diretamente a José Serra e protocolada no Ministério da Saúde. Segundo o relatório da PF, a denúncia "dá conta da prática de diversos crimes". Havia dois acusados. Um deles era Platão Fischer Puhler, diretor do Departamento de Programas Estratégicos e um dos homens de confiança do ministro. O outro era o empresário Jaisler Jabour, que mais tarde se descobriu ser o chefe do braço na iniciativa privada dos vampiros. Por falar em Jabour, a modelo e apresentadora da Rede Globo Ellen Jabour(namorada do também Global, Rodrigo Santoro), não quer nem ouvir falar em operação vampiro. O pai dela, o empresário e lobista Jaisler Jabour, chegou a ser preso como um dos líderes da máfia que superfaturava hemoderivados no Ministério da Saúde.
Máfia dos Vampiros nasceu em ninho tucano
A PF constatou que o então ministro Serra abriu e leu o documento com a denúncia. O que fez Serra? Mandou o próprio Platão - seu homem de confiança e envolvido na denúncia - investigar o caso. Ou seja, auto- investigar-se. Uma atitude socrática... O ajuizamento da ação de improbidade, no ultimo dia 18 de fevereiro, confirma o nascimento em ninho tucano do esquema que veio a ser desbaratado pela Operação Vampiro, em 2004 pela Pólícia Federal. Segundo o procurador da República Gustavo Pessanha, da Procuradoria Geral da República no Distrito Federal, as fraudes na compra superfaturada de remédios e hemoderivados tiveram início em 1998. Esquema dos vampiros só começou a ser investigado no governo Lula As investigações, que vieram a desbaratar a quadrilha, começaram apenas em 2003, no primeiro ano do governo Lula. Vamos ver como a notícia será tratada nos jornalões. Embora o ajuizamento tenha sido feito no dia 18, até o momento silêncio na mídia - Nada na Folha, Nada no Estadão, Nada no Globo. A nota está publicada só no site do Consultor Jurídico. Bem de acordo com o vampirismo - é sepulcral. Procuradoria denuncia quatro envolvidos na Operação Vampiro, desmotada em 2004 pela PF, por improbidade administrativa O Ministério Público Federal no Distrito Federal ajuizou uma ação por improbidade administrativa na 6ª Vara Federal de Brasília contra quatro pessoas e duas empresas envolvidas no esquema de fraude a licitações no Ministério da Saúde, desmontado em 2004 pela Operação Vampiro, da Polícia Federal. A operação investigou o envolvimento de empresários e funcionários do Ministério da Saúde na compra superfaturada de medicamentos que atuam no processo de coagulação do sangue, os hemoderivados. A procuradoria também quer a anulação de três contratos firmados em 2001 entre a União e as empresas Octapharma e LFB e a devolução de cerca de R$ 227 milhões aos cofres públicos. A ação é contra a União, as empresas fornecedoras de hemoderivados, seus representantes legais - Jaisler Jabour, Paulo Lalanda e Marcelo Pitta - e o ex-servidor do Ministério da Saúde, Luiz Cláudio Gomes. Eles são acusados, segundo o Ministério Público, de praticar atos de improbidade administrativa que resultaram em enriquecimento ilícito. Liminarmente, a Procuradoria pede o seqüestro e a indisponibilidade dos bens móveis e imóveis dos envolvidos. Já no mérito da ação, o Ministério Público pede a anulação dos contratos e a restituição integral de todos os valores recebidos. Outro tucano envolvido na máfia do sangue é Barjas Negri, hoje prefeito de Piracicaba (SP)Para você entender melhor o caso, leia aqui a Istoé de 2006.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Sucessão Municipal em João Pessoa-PB

GOVERNO SERRA DO PSDB...E que não invente mais um PROER

 
Jussara: Nada nas mão do PSDB vai para a frente. Privatizar é o mote.
Nossa Caixa tem prejuízo de R$ 14,5 milhões no trimestre final de 2007.
SÃO PAULO - O Banco Nossa Caixa perdeu R$ 14,501 milhões nos três últimos meses de 2007, o que representa uma reversão do lucro obtido um ano antes, de R$ 35,181 milhões. O prejuízo, porém, foi menor do que aquele verificado no terceiro trimestre do ano passado, de R$ 67,898 milhões.As receitas da intermediação financeira corresponderam a R$ 1,634 bilhão, acima da marca de R$ 1,614 bilhão do trimestre final de 2006, mas inferior aos R$ 1,673 bilhão de julho a setembro do exercício passado.As despesas de contingências cíveis, principalmente por conta de planos econômicos do passado, atingiram R$ 121,4 milhões no último trimestre do ano passado, o que contribuiu para o prejuízo da Nossa Caixa no período. Apesar do montante significativo, houve queda de 35,7% em relação ao volume do trimestre anterior. http://economia.uol.com.br/ultnot/valor/2008/02/19/ult1913u83870.jhtm

O GRANDE LUCRO DOS BANCOS EM 2007 E O ESQUECIDO PROER

Blog Democracia e Política
Nos últimos dias, li muitos artigos e ouvi muitos comentários negativos ao governo Lula, na mídia brasileira, devido ao grande lucro dos bancos brasileiros em 2007.

Como exemplo, cito o jornal Folha de São Paulo (FSP) de ontem. Publicou o artigo “Socialismo Jabuticaba”. Nele, critica o governo, comparando o dispêndio governamental em programas sociais em 2006 com o grande lucro dos bancos em 2007. 
Diz o colunista da FSP Clóvis Rossi ter o governo despendido R$ 21 bilhões em 2006 em todos os programas sociais, inclusive o Bolsa Família, enquanto que em 2007 quatro bancos (Itaú, Bradesco, Unibanco e Santander) lucraram R$ 21,1 bilhões.

O texto da FSP destaca: ...“números do pobre país tropical: em 2007, os lucros somados das quatro entidades financeiras que já divulgaram seus balanços foram de portentosos R$ 21,777 bilhões (Itaú, R$ 8,474 bi; Bradesco, R$ 8,010 bi; Unibanco, R$ 3,448 bi; e Santander, R$ 1,845 bi). Recapitulando, pois: para as 11 milhões de famílias beneficiárias da Bolsa-Família, R$ 21 bilhões; para quatro "famílias" financeiras, um pouco mais (R$ 21,777 bilhões)”. 

Completa o jornal: “Nunca neste planeta (ou qualquer outro) banqueiros se divertiram tanto com o ‘socialismo’ ”.


"Pior que os lucros dos bancos, seria a POPULAÇÂO ter que pagar mais um PROER para tirá-los da falência." - Presidente Lula.
Como tem sido muito comum a mídia brasileira esquecer fatos do passado recente, procurarei ajudá-la a lembrar. A revista “Isto É” nº 1574, de 01/12/1999, publicou que “o relatório da CPI dos Bancos sobre o Proer (Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional), divulgado na última quinta-feira 25, deixou o Banco Central em pânico.” Continua a revista: “Vários números constrangedores para o governo. Para sanear apenas seis bancos, o BC consumiu R$ 37,7 bilhões, o equivalente a 26 anos da contribuição previdenciária que o governo quer impor aos aposentados do setor público. Além dos R$ 22,8 bilhões do Proer gastos até abril deste ano – um número mais do que batido –, o BC acabou detalhando aos senadores a existência de um outro prejuízo. Quando os seis bancos quebraram, deixaram um buraco de R$ 12,9 bilhões nas chamadas reservas bancárias, uma espécie de cheque especial que cada banco tem junto ao BC. Ao fuçar o programa de socorro aos bancos, a CPI colocou uma lupa sobre a fatura, antes camuflada no papelório oficial. A comissão também confirmou a denúncia feita por ISTOÉ na edição 1504, de 29/7/98, que valeu o Prêmio Esso de reportagem econômica para o jornalista Ronaldo Brasiliense: o Proer está levando um calote. Em julho de 1998, as parcelas atrasadas somavam R$ 10 bilhões. Agora, diz a CPI, passam dos R$ 15 bilhões. Nessa conta, quem amarga o prejuízo é o Tesouro, que também terá de cobrir o que faltar nesse encontro de contas. Somando todos os micos, os senadores concluem que este rombo poderá passar de R$ 28 bilhões. “Parafraseando o próprio Armínio Fraga, essa conta vai mesmo sobrar para o meu, o seu, o nosso bolso”. Em resumo. O jornal FSP tenta agora atacar o governo Lula com o lucro dos bancos em 2007. Não explica que esse lucro veio de atividade comercial, de recursos privados. Essas atividades privadas têm sido muito mais intensas no país devido ao crescimento significativo da economia. O jornal compara, absurdamente, lucro de bancos privados, recursos não-públicos, com os dispêndios do governo em todos os programas sociais. A mídia esquece, todavia, um alarmante fato que ela muito pouco noticiou em passado recente. Foi o caso de ter o Tesouro Nacional amargado um prejuízo de R$ 50,9 bilhões (22,9 + 28 bilhões). Dinheiro público para ajudar banqueiros privados! Parafraseando o presidente do Banco Central daquele governo PSDB/PFL/FHC, aquela conta sobrou para o meu, o seu, o nosso bolso!... E o pior, com zero transparência! Aqueles recursos, bem como os mais de R$ 100 bilhões auferidos com as polêmicas privatizações foram gastos sem a mínima visibilidade da imprensa e do público. Diferentemente de hoje, jamais seria possível sabermos, por exemplo, que o Ministro Malan ou FHC compraram uma tapioca com aquele dinheiro.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Mídia Tucana-DEMoníaca desesperada. Sai nova Pesquisa CNT/Sensus.

Aprovação do Governo Lula subiu de 46,5% para 52,7%, é a melhor avaliação desde 2003

CNT/Sensus: Lula foi citado por 18,6% dos entrevistados em consulta espôntanea

Pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta segunda-feira (18) mostra que

18,6%

dos entrevistados votariam no presidente Luiz Inácio Lula da Silva se as eleições de 2010 fossem hoje - mesmo ele não podendo concorrer à reeleição.
Lula (PT) - 18,6%
JoséCard (PSDB) 5,1%
Aécio Neves (PSDB) 3,0%
G Alckim (PSDB) 2,1%
Ciro (PSB) 1,2%
fhc 1,0%
Os nomes de candidatos como Heloísa Helena (PSOL), Fernando Collor de Mello (PTB), Patrus Ananias (PT), Dilma Roussef (PT) e Marta Suplicy (PT) aparecem na pesquisa espontânea com menos de 1% das intenções de voto...E a Folha tem a cara de pau de dizer que quem lidera a corrida presidêncial é Serra! Com informações da Reuters

Avaliação do governo Lula é a melhor desde janeiro de 2003, diz CNT/Sensus

Segundo os dados, a avaliação positiva do governo passou de 46,5% em outubro de 2007 para >52,7% em fevereiro de 2008. Em janeiro de 2003, esse índice foi de 56,6%. E a aprovação do desempenho pessoal do presidente passou de 61,2% para 66,8%. Em dezembro de 2003, esse índice foi de 69,9%.
36,8% dizem votar em candidato apoiado pelo presidente Lula
Os candidatos às prefeituras municipais que tiverem o apoio do Presidente Lula nas eleições de outubro deste ano vão levar vantagem na corrida eleitoral. Pesquisa divulgada pela CNT/Sensus nesta segunda-feira aponta que 36,8% dos entrevistados poderia votar, ou votaria, no candidato apoiado pelo presidente da República. Outros 35% só votariam no candidato apoiado por Lula. Somente 24,9% dos entrevistados não votariam no candidato à prefeitura de seu município que receber o apoio do presidente. O diretor do instituto Sensus, Ricardo Guedes, explicou que o cenário é conseqüência da baixa rejeição registrada pelo Presidente da República em todo o país. Segundo Guedes, é possível concluir que Lula irá transferir seu capital de votos para os candidatos a prefeito que tiverem seu apoio nos municípios.

Mau cheiro: Rodrigo Soares pretende ‘desenterrar’ o Boa Nova na Paraíba

Cícero-PSDB "geriu" o Boa Nova até ser preso pela PF
 
 
 

O deputado Rodrigo Soares-PT se levar a frente à intenção de devassar o programa Federal Boa Nova na Paraíba vai desenterrar um escândalo que deixará no chinelo a farta distribuição de cheques que redundou na cassação do governador Cássio Cunha Lima-PSDB. Ele vai constatar que o esquema da Confraria mudou de endereço abandonando o Paço Municipal para instalar-se nos gabinetes da Cagepa.

De início, vai descobrir que os gestores da Confraria eram responsáveis pelo programa Federal na Paraíba. À época, o Secretário de Planejamento do Estado, era Cícero Lucena-PSDB e o diretor operacional do Programa executado pela Cagepa era Rubens Falcão, que veio com Cícero da Prefeitura para o estado. A partir daí ficará claro para o deputado a íntima ligação entre o Boa Nova e o esquema que surrupiou R$ 20 milhões da Prefeitura.

No mundo das construtoras paraibanas as histórias sobre o programa são de arrepiar. O volume extraordinário de recursos, mais de Rr$ 400 milhões foi loteado entre empreiteiros com fortes laços com o Governo inclusive de consangüinidade. 70% desse montante ficaram no bolso dessa turma e os 30% foi rateado com pequenos empreiteiros encarregados de tocar a obra.

O resultado dessa divisão leonina foi o abandono das obras por todo estado e a péssima qualidade do material empregado, o que vem impedindo que seja ligada a rede coletora incapaz de suportar a vazão dos dejetos. E quando isso acontece motivado pela impaciência da população, o que se vê é o estouro dos canos de 100ml enterrados nas ruas das diversas cidades paraibanas, inclusive na capital.

Aqui em João Pessoa, o bairro do Altiplano é um exemplo da farra que foi promovida com os recursos do Boa Nova. Há mais de três anos que os trabalhos de saneamento foram concluídos no bairro sem que a rede tenha sido interligada. Motivo: a qualidade do material empregado. 

São vários os ofícios da Seinfra municipal alertando a Cagepa para a qualidade do material que estava sendo empregado pelas construtoras sem resultado. Em muitos casos as valas foram abertas e fechadas sem que fossem colocados sequer os canos de 100ml.

Posteriormente, o atraso no pagamento dos 30% destinados aos pequenos empreiteiros decretou o abandono do Programa em todo Estado. Por isso, municípios como Santa Rita tiveram apenas 5% da rede coletora construída e, mesmo assim com material inadequado, que não permite a interligação do sistema de saneamento básico.

A Caixa Econômica em 2006 suspendeu o repasse dos recursos federais e a forma suspeita como vinha sendo gerido o Programa na Paraíba motivou a vinda de um dos diretores do órgão ao Estado que, à época, recusou-se a receber em audiência o governador Cássio Cunha Lima. Segundo informações do setor de Cidades, a Caixa teria promovido a remoção de todos os funcionários que trabalhavam com os recursos do Programa Boa Nova na Paraíba.



 

Fonte: redação 
 

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Lugar de CORRUPtasso Jereissati é na cadeia

Lugar de bandido é na cadeia e ambos Tasso Jereissati e fhc são bandidos sem qualquer respeito pelo que quer seja.


....(em 2005) O CorruptTasso Jereissati PSDB(CE), pediu impeachment do Presidente Lula, em uma declaração ao site no partido na Internet. "Se mais esta irregularidade ficar comprovada, é caso de impeachment", disse Tasso, referindo-se às denúncias contra o governo, publicadas pela Veja...

O jornalista Hélio Fernandes se refere ao senador Tasso Jereissati como "Corruptasso". Tasso Jereissati é um dos donos da TELEMAR, embora tenha simulado uma briga com o irmão Carlos Jereissati. A "família" é uma das principais acionistas da empresa e a vitória do consórcio TELEMAR, à época das privatizações das teles, no governo FHC, foi decidida na cama, em BH, quando era governador de Minas Eduardo Azeredo, hoje renegado por FHC.

Quando dos fatos Azeredo permitiu a FHC embolsar milhões de dólares em propina, levou uma pequena beirada (é um bocó, qualquer pirulito colorido resolve o problema dele) e a família Jereissati ficou com o troféu, associada a outros grupos. Mendonça de Barros, ministro das Comunicações chegou a chamar o grupo TELEMAR de "telegangue". Está no jornal folha de São Paulo da época, nas tais gravações divulgadas parcialmente. As conversas de FHC e Lara Resende sobre o assunto. Isso foi em 1998.

Jereissati é descendente de uma família que controla a política no Ceará há décadas. Seu pai foi senador, antes do pai avô, bisavô, mas os "negócios" são feitos em São Paulo. O Ceará é só um acidente para esse tipo de político. Uma espécie de latifúndio de onde partem para grandes empreitadas.

O pedido de impedimento do presidente Luís Inácio Lula da Silva feito por dois bandidos da pior espécie, FHC e Tasso Jereissati é golpe. Nenhum dos dois, nem o ex-presidente e nem o presidente do PSDB deveriam estar soltos.

Lugar de bandido é na cadeia e ambos são bandidos sem qualquer respeito pelo que quer seja.

Não estão preocupados com o Brasil ou os brasileiros. Estão querendo é a chave do cofre e a caneta que nomeia, demite e manda pagar. Isso porque é por aí que recebem as propinas de cada dia. Um dos grandes e inaceitáveis erros do governo Lula foi o de não ter determinado uma ampla e geral investigação sobre o processo de privatizações, no seu todo, no governo do chefe da quadrilha tucana, Fernando Henrique Cardoso.

Teria permitido aos brasileiros conhecer a verdadeira face dessa gente. Tasso, Serra, Aécio, Alckmin, lógico o ex-presidente. O País ficaria sabendo o que todos sabemos pelas entrelinhas. O quanto essa gente ganhou por vender o patrimônio público. Só não sabe, boa parte não sabe, que no construir os "negócios" muitos entraram de sócios, como a família Jereissati.

Os tucanos querem é só poder.
E outras. O ex-genro de FHC. Os filhos de FHC. Não tem santo nessa história. A falência é do modelo político e econômico. O que os tucanos querem é só poder. Venderam o Brasil e agora querem passar e assinar a escritura. Resumindo, é uma máfia de bandidos....



Laerte Braga

Ex-esposa de Pelé nega que tenha falado à revista 'Veja'


Agencia Estado
SÃO PAULO - A ex-esposa de Pelé, Assíria, divulgou nota hoje em que nega as informações divulgadas pela revista Veja desta semana. Ela nega ter concedido qualquer entrevista à revista ou a qualquer outro veículo de comunicação sobre a sua separação. Veja abaixo a nota na íntegra:"Diante das supostas ''entrevistas'' atribuídas a mim publicadas nos últimos dias na mídia - em especial na última edição da revista de maior circulação nacional, a ''Veja'' - quero esclarecer que:- Em nenhum momento dei declarações/ entrevistas/ depoimentos a qualquer jornalista ou veículo da mídia sobre o meu casamento, tampouco à repórter Sandra Brasil da revista ''Veja''. Não comento minha vida particular e nem trato em público o que é privado. Eu não cometeria essa deselegância. Portanto, toda declaração publicada e atribuída a mim nesses últimos dias é falsa e inescrupulosa e será tratada nas esferas jurídicas, conforme me faculta a Lei de Imprensa.- A tentativa da revista ''Veja'' de passar uma imagem minha de fanática religiosa é inteiramente absurda. Uma das marcas da minha família sempre foi a pacífica convivência religiosa. Tanto que casei-me em igreja evangélica e meus filhos gêmeos foram batizados em igreja católica. Quanto ao resgate das minhas raízes judaicas, isso é informação velha, de três anos atrás, requentada por profissionais da mídia quem não têm o que dizer.- Ao contrário do que foi noticiado, meus pais não vieram morar comigo nos últimos dois anos. Minha mãe, Gemima, que é divorciada, mora comigo desde que casei-me, há 14 anos. E meu pai Abelardo - que se encontra internado em uma clínica com Alzheimer - tem o seu próprio apartamento nas proximidades do meu, comprado com os seus próprios recursos.

Assíria Seixas Lemos do Nascimento"
http://www.estadao.com.br/geral/not_ger125685,0.htm

Jussara:
A Veja mente , inventa , manipula. O jornalismo da Veja não tem ética, não respeita seus leitores, suas notícias são falsas. Não leia a Veja, não compre Veja, não assine a Veja. Não jogue sue dinheiro no lixo, jogue a Veja no lixo.

PT de João Pessoa elabora planejamento em reunião do Diretório Municipal

O sindicalista Souza ao lado de Eliezer Gomes, velhos companheiros e parceiros políticos. Sempre participando dos eventos do partido.

Durante todo o dia deste sábado, 16/02, o Diretório Municipal do PT de João Pessoa esteve reunido com o objetivo de concretizar o seu planejamento para o primeiro semestre de 2008. Já no inicio dos trabalhos o Presidente Anselmo Castilho solicitou que os titulares de cada pasta apresentassem o seu arcabouço para que fosse discutido em plenário. 

Vários foram os relatos e discussões, desde as questões de finanças a participação partidária com mais ênfase nos movimentos populares, bem como a questão de gênero. 

Depois de um debate muito rico e ao mesmo tempo de muito consenso e absolutamente fraterno, a plenaria do Diretório Municipal foi definindo os encaminhamentos e um calendário para materialização das decisões alí tomadas.

Veja a seguir o calendário eleitoral do PT de João Pessoa para esse primeiro semestre. Os demais encaminhamentos serão divulgados proximamente através da elaboração da "memória" da reunião.

 


PARTIDO DOS TRABALHADORES – PT DIRETÓRIO MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA CALENDÁRIO ELEITORAL DO PT PARA 2008 (1º SEMESTRE) Reunido em 16/02/08, o Diretório Municipal do PT de João Pessoa aprovou a seguinte proposta de calendário eleitoral, de acordo com resolução do Diretório Nacional de outubro de 2007 e com o artigo 127 do estatuto partidário. Serão observadas as demais normas estatutárias e, no que couber, os termos da resolução da CEN de 14/02/08 inclusive para o processo de fiscalização. 20/02 – Reunião do GTE municipal com o GTE estadual. 23/02 – Reunião com os pré-candidatos a vereador. 15/03 – Reunião extraordinária do Diretório Municipal para discutir e apresentar a proposta de tática eleitoral para 2008. 12 e 13/04 – Encontro Municipal do PT para definir a tática eleitoral. 14 a 18/04 – Abertura de inscrição para pré-candidaturas á prefeito (caso tenha sido aprovado lançamento de candidatura própria no encontro municipal). Caso se inscreva mais de um nome, deverão ser realizadas prévias. 11/05 – Realização do 1o turno da prévia. 25/05 – Realização de 2o turno da prévia. 08/06 – Encontro para definição da chapa do PT e aprovação (ou não) de coligações proporcionais. A definir - Convenção partidária para homologação de candidaturas e possíveis coligações.
Do Portal Eliezer Gomes