quinta-feira, 27 de março de 2008

Fica Lula!

Lulista pede terceiro mandato de Lula, durante a visita do Presidente em Recife nesta quarta feira. Lula encontrou o presidente da Venezuela para visitar obras da refinaria Abreu e Lima e lançou obras do PAC na cidade do Recife.
 
Os Amigos do Presidente Lula

Durante o discurso Lula disse "se a oposição pensa que vencerá a disputa eleitoral em 2010 apenas com discurso, "pode tirar o cavalinho da chuva". "Apenas fazendo discurso não vão nos derrotar", disse Lula. "Eles [a oposição] têm que trabalhar mais que nós e dizer o que eles fizeram antes de nós. Eles não são marinheiros de primeira viagem. Eles já passaram 500 anos governando este país". "Nós vamos fazer o sucessor" disse Lula. "O PAC vai estimular o crescimento do país. "Com o PAC, aprendemos que o país não vai mais parar. Ele aprendeu a andar e, daqui a pouco, vai aprender a correr. Eu acho que nós vamos nos transformar em uma grande economia mundial", disse Lula. Lula manda a oposição “tirar o cavalo da chuva” Tendo Dilma Rousseff no palanque, presidente faz discurso inflamado para anunciar obras do PAC e diz que vai fazer seu sucessor O Presidente Lula aproveitou a cerimônia de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no Recife, para advertir os adversários. “A oposição pensa que vai eleger o (meu) sucessor, mas pode tirar o cavalinho da chuva porque vamos fazer a sucessão para continuar governando este país”, destacou. “Se alguém pensa que vai atrapalhar o projeto de desenvolvimento, pode saber que terá de lutar e trabalhar muito”, afirmou. “Só fazendo discursos, não vai nos derrotar”, acrescentou arrancando aplausos da platéia e das autoridades. O Presidente voltou a defender o programa Bolsa-Família, um dos alvos da oposição; mencionou o ex-candidato à Presidência e governador de São Paulo, José Serra (PSDB), ao citar a suposta uniformidade do tratamento dado aos diversos estados do país; e fez referência ao ex-presidente da Câmara dos Deputados, o ex-deputado pernambucano Severino Cavalcanti (PP), sugerindo que os representantes da oposição “trataram de derrubá-lo com a mesma facilidade com que o elegeram”. Severino deixou a Presidência da Casa após o chamado escândalo do mensalinho, que envolvia o recebimento de uma suposta propina a um empresário. A ministra da Casa Civil Dilma-Rousseff, foi uma das estrelas no lançamento do PAC e recebeu honras de pré-candidata Foi elogiada por outros ministros, distribuiu autógrafos e mandou beijinhos de longe. Chamada de mulher “arretada” pelo ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, e classificada como uma pessoa competente para tirar projetos do papel, segundo o governador Eduardo Campos (PSB), Dilma discursou para a comunidade do Jordão, um dos bairros mais carente do Recife. “Estamos trabalhando para que, em Pernambuco, nenhum candeeiro esteja aceso até 2010”, disse a ministra, repetindo discurso tradicional do chefe dela nos grotões. Depois, ela usou a metáfora da locomotiva, para explicar os “vários vagões”, isto é, os vários setores beneficiados pelo PAC. Logo no início do pronunciamento, o Presidente deixou claro que estava disposto a tratar de temas político-partidários. Nas primeiras frases do pronunciamento, ao elogiar o governador Eduardo Campos (PSB), entrou em confronto com o ex-governador do estado e senador Jarbas Vasconcelos (PMDB). Antes cauteloso ao referir-se a Jarbas, Lula ontem lhe ofereceu tratamento de adversário. No âmbito federal, o senador faz parte da ala oposicionista do PMDB. “A briga e a teimosia das pessoas às vezes são tão irracionais que a gente não percebe que, no meio da briga de dois gigantes, o povo está lá como se fosse uma fatia de mortadela esmagada, sendo engolida” disse Lula. O Presidente também falou sobre a campanha local, ao assegurar ter “fé” de que deixará o governo, mas continuará vendo o governador Eduardo Campos (PSB) governando Pernambuco

Nenhum comentário: