sábado, 22 de março de 2008

Massa é pole e mantém domínio da Ferrari; Os pilotos da McLaren são punidos.

Ferrari domina e Massa crava pole na Malásia

Felipe comemora a décima pole-position na carreira: segunda seguida no circuito malaio de Sepang. Com uma performance surpreendente no Q3, Felipe Massa assegurou a pole position para o GP da Malásia de F-1. O brasileiro cravou o tempo de 1min35s748 na superclassificação e terá Kimi Raikkonen a seu lado na primeira fila, completando a dobradinha da Ferrari. No entanto, compárando os melhores tempos de todas as partes do treino deste sábado (22), Raikkonen merecia a posição de honra, já que foi o mais rápido em volta lançada, com a marca de 1min34s188 no Q2, 1s560 abaixo que o tempo que garantiu o primeiro posto a Massa. Já a McLaren, que apresentou uma queda de rendimento no treino da manhã, continuou devendo e teve de se conformar com a segunda fila. Desta vez, Heikki Kovalainen foi melhor e registrou o terceiro melhor tempo no Q3, deixando Lewis Hamilton para trás, em quarto. Jarno Trulli, a surpresa do fim de semana, colocou o carro da Toyota em quinto, enquanto Robert Kubica, da BMW, foi sexto e deixou o parceiro Nick Heidfeld para trás, em sétimo. Mark Webber, da Red Bull, Fernando Alonso, da Renault, e Timo Glock, da Toyota, fecharam os dez primeiros. No entanto, uma situação atípica e perigosa acontecida nos segundos finais pode resultar uma punição coletiva. Reprodução TV Com o cronômetro ainda rodando, muitos pilotos que completaram suas voltas finais simplesmente desaceleraram e andaram em bloco, ocupando os dois lados da pista, prejudicando outros que estavam atrás e buscavam uma última tentativa de volta lançada. Heidfeld e Alonso foram os mais afetados. O alemão e o espanhol foram atrapalhados claramente ao terem de desviar dos carros mais lentos na subida para a terceira curva. Entre os que reduziram velocidade e não alinharam para a parte de dentro da pista estão Kovalainen e Hamilton. Se forem punidos, correm o risco de caírem para nono e décimo, respectivamente. Ou, se bobear, até para a última. No segundo pelotão, destaque para a Honda, que quase colocou Jenson Button no Q3. O inglês ficou em 11º, enquanto Rubens Barrichello terminou na 14ª posição, fechando a sétima fila brasileira, já que, a seu lado, sai Nelsinho Piquet, da Renault, em 13º. Já a decepção, mesmo, foi a Williams. Nico Rosberg não passou da 16ª posição, enquanto Kazuki Nakajima foi apenas o 18º, mas terá de partir em último, por causa de uma punição de dez posições pelas trapalhadas na Austrália. E a chuva, que foi ansiosamente aguardada, não apareceu. Ferrari e McLaren trabalhavam piamente com a hipótese de chuva; a Renault chegou até a prever quando cairia: 14h09 locais; a BMW pediu para que seus pilotos fossem logo para a pista na parte final do treino, garantindo que viria água. Até a previsão apocalíptica fornecida pela FOM chegou a cravar, em determinado momento, que precipitaria. E o clima malaio pregou uma peça geral. O GP da Malásia está marcado para as 4h (de Brasília). Siga todos os detalhes em tempo real no Grande Prêmio.

Dupla da McLaren é punida em cinco posições

Conforme previsto, Heikki Kovalainen e Lewis Hamilton foram punidos por terem atrapalhado as voltas lançadas de Nick Heidfeld e Fernando Alonso na parte final da classificação para o GP da Malásia. Ambos perderam cinco posições cada no grid, com o finlandês caindo de terceiro para oitavo, uma posição à frente do companheiro inglês. A notícia foi confirmado pelo porta-voz da equipe, que adiantou: time não apelará da decisão dos comissários da FIA (Federação Internacional de Automobilismo). Curiosamente, Hamilton foi punido apenas por ter prejudicado Heidfeld, enquanto Kovalainen foi acusado pelo alemão e por Alonso. Com as mudanças, Jarno Trulli (Toyota) sobe para terceiro; Robert Kubica (BMW), para quarto; Heidfeld, quinto; Mark Webber (Red Bull), sexto; e Alonso, sétimo.

Nenhum comentário: