quarta-feira, 2 de abril de 2008

DEMgue e os TUCAnalhas são campões em Corrupção!

A CNBB E O RANKING DA CORRUPÇÃO NO BRASIL
 

Democracia & Politíca
Li hoje no blog “Por1novoBrasil”, de Jussara Seixas, a notícia de que a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em sua 46ª Assembléia Geral, vai elaborar documento para orientar o eleitor brasileiro a não votar em corruptos nas próximas eleições. Certamente, a CNBB já tomou conhecimento do documento elaborado pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), no final do ano passado, que indica os partidos mais corruptos do Brasil. O ranking da corrupção no Brasil foi o seguinte, medido pela quantidade de políticos cassados por corrupção desde 2000. Destacam-se no pódio dos campeões, com grande vantagem sobre os demais partidos, o DEM (1º), o PMDB (2º) e o PSDB (3º):

1º) DEM (69);

2º) PMDB (66);

3º) PSDB (58);

4º) PP (26);

5º) PTB (24);

6º) PDT (23);

7º) PR (17);

8º) PPS (14);

9º) PT (10);

10º) PV, PHS, PRONA e PRP ,empatados com (1).

Verifica-se, assim, que nessa medição de corruptos, os três maiores partidos da oposição PSDB/DEM/PPS vencem facilmente o PT, pelo ‘score’ avassalador de 141 x 10! A CNBB, certamente, considerará esses fatos. Vejamos a notícia de Jussara Seixas: “CNBB vai pedir que eleitor não vote em corrupto” (da Agência Folha, em Campinas) “A 46ª Assembléia Geral da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), que começa hoje em Indaiatuba (102 km de São Paulo), vai elaborar um documento para orientar o eleitor a não votar em candidatos envolvidos em casos de corrupção e a fiscalizar irregularidades na disputa deste ano. Além das eleições, cerca de 300 bispos vão discutir e aprovar, até o dia 11, as novas "Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil". Recordemos, também, a notícia de “O Globo Online”, publicada em 04/10/2007, que muito pequena divulgação teve na grande mídia: “DESDE 2000, 623 POLÍTICOS FORAM CASSADOS. DEM LIDERA RANKING” O Globo Online “RIO - De 2000 até agora, 623 políticos tiveram o mandato cassado por denúncias de corrupção. O balanço foi divulgado nesta quinta-feira pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e não inclui políticos que perderam cargos em virtude de condenações criminais. Dos 623 que foram cassados, quatro eram governadores e vices: Flamarion Portela, de Roraima, e Cássio Cunha Lima, da Paraíba, mantido no cargo por força de liminar do TSE. Os demais são senadores e suplentes (seis), deputados federais (oito), deputados distritais (13), prefeitos e vices (508) e vereadores (84). De acordo com a pesquisa, o DEM é o partido que lidera o ranking (69), reunindo 20,4% dos políticos cassados. O PMDB (66) aparece logo depois, seguido por PSDB (58), PP (26), PTB (24), PDT (23), PR (17), PPS (14) e PT (10). Na última posição está o PV (1), empatado com PHS, Prona e PRP. No ranking dos estados, Minas é que concentra o maior número de cassações (71), o equivalente a 11% do total. Em seguida, vem Rio Grande do Norte (60), São Paulo (55) e Bahia (54). O Rio de Janeiro está na 12ª posição, com 18 cassações neste período.”

Um comentário:

Jussara Seixas disse...

CASSAÇÃO JÁ!

O senador Álvaro Dias, do PSDB, cometeu quebra do decoro parlamentar e vários crimes contra o país.

Divulgou dados sigilosos para a imprensa, mentiu, omitiu, manipulou informações. Ocupou a pauta do Senado mediante fraude, desviando a instituição de suas atividades precípuas. Tramou para enxovalhar a honra de uma cidadã digna e tentou afastá-la do Ministério com um embuste. Enganou o povo, jogou sujo, menosprezou o próprio mandato.

Quando os documentos irregularmente desviados de um banco de dados sigiloso chegaram até suas mãos, deveria ter procurado a Casa Civil, mostrado para a ministra Dilma, ter informado a ela como os obteve e pedido esclarecimentos, pois eram documentos sigilosos. Ao invés disso, procurou a imprensa às escondidas e, em mancomunação com jornalistas inescrupulosos, usou os tais documentos para criar um pretenso dossiê que deveria prejudicar o governo Lula e até derrubar a ministra Dilma.

Tudo indica que os documentos chegaram a ele por encomenda, e sabe-se que foram usados para chantagem e extorsão.

Não possível manter esse sujeito, essa vivandeira de redações - se bem que a redação de Veja é menos que um prostíbulo, sem ofensa às prostitutas -, no cargo de senador da República. Não da mais para suportar canalhas dessa estirpe no Senado Federal, representando um estado, o povo desse estado. Ele tem que ser cassado pelo bem do Senado, do país e do povo brasileiro.
Jussara Seixas

Amigos e leitores
Estou enviando esse texto aos senadores, quem quiser um Brasil melhor, sem esses canalhas representando o povo brasileiro, pode copiar o texto, ou escrever um texto novo e enviar também aos senadores.