domingo, 27 de abril de 2008

Raikkonen vence fácil. E Kovalainen bate feio

FRANCISCO LUZ
de Novo Hamburgo



O GP da Espanha seguiu à risca a tradição e viu uma monótona procissão que consagrou a vitória de Kimi Raikkonen neste domingo (27). O finlandês, dono da pole-position, não foi ameaçado em nenhum momento e fez barba, cabelo e bigode em Barcelona, pois também marcou a melhor volta. A monotonia só foi quebrada com o forte acidente de Heikki Kovalainen, que passa bem.

E, como tende a acontecer, as posições foram definidas já na largada. Fernando Alonso, que saiu do segundo lugar — e que escapou da pista na volta de apresentação —, foi batido por Felipe Massa antes da curva 1. Lewis Hamilton também largou bem e ultrapassou Robert Kubica, ficando atrás do espanhol.

Bem mais atrás no pelotão, Sebastian Vettel viu sua maré de azar continuar e foi abalroado por Adrian Sutil. O piloto da Force India tentou uma ultrapassagem sobre Sébastien Bourdais, mas foi afobado e acabou escapando da pista. Quando voltou, acertou o pobre alemão da Toro Rosso, que viu a corrida terminar na primeira volta pela terceira vez no ano.

Com isso, o safety-car entrou na pista até que os dois carros fossem recolhidos. Na relargada, as posições se mantiveram e o verdadeiro "trenzinho" fazia a festa da geração de imagens da corrida, mostrando todos os carros em seqüência.

Quem acabou com a bela cena foi Nelsinho Piquet. Décimo colocado no grid, o brasileiro mantinha a posição quando escapou da pista na quarta volta, retornando no 18º posto. Pouco depois, Piquet foi tentar ultrapassar Bourdais, mas os dois se tocaram na chicane. Fim de prova para o filho do tricampeão Nelson e para o francês, que ainda recolheu o carro aos boxes.

Antes da décima volta, mais um abandono — desta vez para Anthony Davidson, que sofreu uma pane mecânica no combalido Super Aguri. Com isso, cinco pilotos já haviam deixado o GP espanhol.

A monotonia prosseguia, sem nenhuma disputa por posições dentro da pista. A primeira troca de lugares aconteceu quando Alonso fez sua parada nos boxes, na 15ª volta. O bicampeão colocou bastante gasolina e retornou no 12º lugar, pouco atrás de Rubens Barrichello. Algumas voltas mais tarde, todo mundo realizou seus pit-stops, mas não houve alterações.

Quer dizer, quase todo mundo. Enquanto era líder, no 22º giro, Heikki Kovalainen passou por cima da zebra na curva 8 e, ao chegar na Campsa, viu seu pneu dianteiro esquerdo estourar. O finlandês passou reto pela caixa de brita e bateu forte na barreira de pneus, ficando preso por alguns minutos debaixo da proteção do muro e causando o acidente mais grave até agora em 2008.


Susto: Heikki ficou preso debaixo da proteção e foi removido de helicóptero para o hospital


A batida motivou uma nova entrada do safety-car, que percorreu o traçado de Montmeló por cinco voltas. Enquanto as imagens não mostravam Kovalainen — que, informou a FIA, está bem e não sofreu nenhuma lesão grave —, Nick Heidfeld foi obrigado a entrar nos boxes quando os mesmos estavam fechados. O alemão teve, mais tarde, de cumprir uma punição de dez segundos. Barrichello e Giancarlo Fisichella se engalfinharam na saída dos respectivos pit-stops, e o brasileiro levou a pior, quebrando a asa.

Na 32ª passagem, o grande público presente em Montmeló viu o motor de Fernando Alonso estourar. O asturiano encostou o carro, deu adeus à corrida e foi cumprimentar a torcida, que o aplaudiu bastante. Pouco depois, Rubens Barrichello e Nico Rosberg abandonaram, o representante da Williams com uma pane mecânica.

A partir daí, quase nada se alterou até o final da prova. Todos pararam novamente para reabastecimento e troca de pneus, e ninguém perdeu posições nos boxes. A última parte da corrida serviu, ao menos, para mostrar duas ínfimas disputas de pista.

Nick Heidfeld precisou de oito voltas para ultrapassar Giancarlo Fisichella — e o fez de maneira categórica —, enquanto David Coulthard conseguiu deixar Takuma Sato, heróico com a Super Aguri, para trás.

Assim, Kimi Raikkonen venceu sua segunda corrida na temporada. Felipe Massa ficou com o segundo posto, seguido de perto por Lewis Hamilton e Robert Kubica. Mark Webber, discreto mas eficiente, ficou em quinto, enquanto Jenson Button marcou os dois primeiros pontos da Honda com o sexto lugar. Kazuki Nakajima e Jarno Trulli completaram os oito primeiros.

O finlandês, aliás, aproveitou e assumiu a ponta na tabela de classificação, e a dobradinha vermelha serviu para catapultar a Ferrari ao primeiro posto no Mundial de Construtores. A F-1 volta aos trabalhos no próximo dia 11, em Istambul, para o GP da Turquia.

Nenhum comentário: