quinta-feira, 29 de maio de 2008

A matemática da 'Folha': PT e PSDB, 2 pesos e 2 medidas

'Folha': antipetismo de novo "A cada R$ 1 doado ao PT, empresas recebem R$ 54".
 


O que vai a seguir é mais uma colaboração deste observador para a série "Como a grande imprensa manipula o noticiário". A Folha de S.Paulo de segunda-feira (26/5) publicou na primeira página a chamada a seguir:<
Por Luiz Antonio Magalhães, no Observatório da Imprensa Pois bem, o leitor vai lá para dentro do jornal e lê a matéria, publicada na página A4, com os seguintes título e linha-fina (grifos meus): "Governo paga a empresas 54 vezes o que doaram ao PT" "Só das 20 maiores contribuintes, partido recebeu R$ 8,7 milhões no ano passado" "No segundo mandato de Lula, empresas receberam R$ 473 milhões do governo federal; PT foi o partido que mais obteve contribuições" Mas eis que o distraído leitor vira a página e se depara com a seguinte preciosidade (grifos novamente meus): "Doadoras do PSDB obtêm contratos de R$ 3,4 bilhões" "Andrade Gutierrez e Odebrecht ganharam licitações em Minas Gerais e São Paulo" "Construtoras doaram ao todo R$ 2,4 milhões ao partido nacional em 2007; empresas dizem que doação foi feita de acordo com a lei" Ora, para chegar nos tais R$ 54 que as empresas doadoras do PT receberam a cada R$ 1 doados ao partido, a Folha dividiu o total recebido (R$ 473 mi) pelo total doado (R$ 8,7 mi). No caso do PSDB, a mesma divisão mostra que, a cada R$ 1 doado aos tucanos, as empresas receberam exatos R$ 1.416. Mas o jornal paulistano achou que os 54 contos do PT merecem mais destaque do que os R$ 1.416 do PSDB. Uma manchete justa talvez fosse a seguinte: "Doação ao PSDB dá às empresas retorno 26 vezes maior do que doação ao PT" Assunto para Carlos Eduardo Lins da Silva, o novo e competente ombudsman da Folha.

Nenhum comentário: