terça-feira, 3 de junho de 2008

Oposição Afunda na Lama:"Nada Como Um Dia Após o Outro" 02/06/2008


Por Guina


Nos últimos dias três notícias escandalosas envolvendo políticos que são declaradamente opositores do Governo Lula, pipocaram na mídia em geral. E com isso veio a calhar um famoso ditado popular:"nada como um dia após o outro". Vejam só:
Primeiro, a denúncia contra o deputado federal Paulo Pereira da Silva (o Paulinho da Força do PDT/SP), que segundo está sendo noticiado, é acusado de desviar verbas do BNDES e que pode ter seu mandato cassado em pouco tempo. Este ex sindicalista, traidor da verdadeira esquerda nacional, que apoiou o tucano "abafa CPI" Geraldo Alckmin contra Lula nas últimas eleições presidenciais e que também se aproveitou do espaço dado na grande mídia para atacar o Presidente e o PT na época da farsa do mensalão e que sempre está ao lado de Kassab e outros golpistas da oposição, está tendo o que merece. A segunda notícia envolve o ex governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e sua esposa e também ex governadora Rosinha Garotinho, que segundo o que está sendo veiculado, teriam recebido doações ilegais de quadrilhas de máquinas caça-níqueis e do jogo do bicho. Estes também apoiaram Alckmin e sempre que podiam atacavam o Presidente Lula de forma caluniosa e maldosa. E a terceira notícia é a melhor. Pois se trata de mais um vergonhoso escândalo com dinheiro público realizado pelo PSDB de São Paulo, onde segundo é noticiado, contratos do Metrô de São Paulo no valor de R$ 556 milhões com a fornecedora de trens Alstom foram considerados irregulares pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado). A vergonha é tão grande e o descaso com o dinheiro do povo realizado pelos incompetentes do PSDB de São Paulo que (des)governam o estado há mais de uma década, segundo reportagem da IstoÉ desta semana, pode chegar a R$ 1,375 bilhões.
Não há o que investigar?
E o interessante é ver a "cara de pau" de Alckmin em reportagem na Folha de SP, dizer que "não sabia de nada". E o José Serra? O governador(?) disse categoricamente "que não há o que investigar". Vejam como são as coisas: a tucanada quando é pega "com a mão na massa" diz que não precisa investigar nada e que se aconteceu algo, eles "não sabiam de nada".
É muita cara de pau!
Onde Geraldo Alckmin e José Serra estavam quando essa roubalheira acontecia dentro dos seus governos?
Foram eleitos para quê?
Eles têm sim, obrigação de dar uma resposta ao povo de São Paulo. O duro vai ser justificar o tamanho do rombo aos cofres públicos do estado. Afinal são só R$ 1,375 bilhões.... É, nada como um dia após o outro.

Nenhum comentário: