sábado, 30 de agosto de 2008

Mainardi da Veja: Ou paga ou vai para o presídio.

PiG ABSOLVE MAINARDI

Paulo Henrique Amorim

Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.
. O PiG não deu uma única linha sobre a condenação de Diogo Mainardi na Justiça Criminal de São Paulo. . Diogo Mainardi foi condenado a três meses de cadeia. . Se tiver dinheiro, pode converter a pena em dinheiro. . O mais importante, porém, foi Mainardi perder a “primariedade”. . O que significa que, se for condenado de novo, por não ser mais primário, vai ter que ir, obrigatoriamente, em cana. . Do ponto de vista das instituições, a decisão por 3 x 0 manda um sinal a todos os colonistas e “jornalistas” do PiG. . A “liberdade de imprensa” não é escudo para se “censurar pela calúnia”, como disse um dos juízes da ação. . A “liberdade de imprensa” não é escudo para cometer crimes. . A “liberdade de imprensa” não é “liberdade DA imprensa” – ou seja, não é só o PiG que tem direito à liberdade. . O PiG e a Associação Nacional dos Jornais – seu lobby em Brasília – tentam impor a doutrina de que a liberdade de imprensa é ilimitada. . A dupla condenação de Mainardi no Crime – já tinha sido condenado no Cível, também em segunda instância e também por unanimidade – fixa limites legais à liberdade do PiG. .Tanto assim que o PiG preferiu ignorar a condenação. . Mainardi escreve na revista de maior circulação do país, a Veja, a última flor do Fascio, uma revista inescrupulosa – clique aqui para ler o que Luis Nassif já escreveu sobre como funcionam as entranhas dela –, em que o leitor não distingue comércio de informação. . Mainardi escreveu um livro best-seller, que, no título, chama o Presidente da República de anta. . Mainardi participa de um programa na tevê a cabo, de alcance nacional. . Não é um desconhecido. . Ele é um símbolo dessa imprensa que flagela o Brasil. . E, por isso, por ela foi absolvido.

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Operação Cascavel desbarata gangue que atuava dentro do Detran

Em cima de queda coice. Depois de uma discussão pública entre o Secretário de Segurança, Eitel Santiago (DEM-PB) e um delegado, por diferenças quanto à condução de uma operação policial, agora, o aparelho de Defesa Social do Governo Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) volta às manchetes, com mais um escândalo envolvendo despachantes, revendedores de automóveis, donos de sucatas, policiais militares e funcionários do DETRAN, entre eles, Aureliano Delfino, diretor de Registro de Veículos Hoje, pela manhã, 35 pessoas foram presas acusadas de falsificação de carteiras de habilitação e roubo de veículos. A quadrilha operava em três Estados, e tinha ramificação em Campina Grande, Catolé do Rocha, e na capital.
Em cima da queda, coice. Depois de uma discussão pública entre o Secretário de Segurança e um delegado, por diferenças quanto à condução de uma operação policial, agora, o aparelho de Defesa Social do Governo Cássio Cunha Lima volta às manchetes, com mais um escândalo envolvendo despachantes, revendedores de automóveis, donos de sucatas, policiais militares e funcionários do DETRAN, entre eles, Aureliano Delfino, diretor de Registro de Veículos Hoje, pela manhã, 35 pessoas foram presas acusadas de falsificação de carteiras de habilitação e roubo de veículos. A quadrilha operava em três Estados, e tinha ramificação em Campina Grande, Catolé do Rocha, e na capital Com mais de 30 prisões, inclusive de cinco funcionários do Detran em João Pessoa e, entre eles, Aureliano Delfino, diretor de Registro de Veículos do órgão de trânsito do Estado, a Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (29) a Operação Cascavel na Capital, Campina Grande e Catolé do Rocha e em mais dois Estados. Ao todo, deverão ser cumpridos 35 mandados de prisão e 60 mandados de busca e apreensão, solicitados pela PF com apoio do Ministério Público Estadual e expedidos pelo juiz da 6ª Vara Criminal de João Pessoa. Além de servidores do Detran, estariam sendo presos também policiais militares, revendedores de automóveis e donos de sucatas de automóveis. Com essa Operação, a PF desbaratou uma quadrilha que roubava, fraudava e esquentava documentos para dar aparência legal aos carros. Segundo a PF, "as investigações começaram em fevereiro de 2008, tendo como objetivo inicial o acompanhamento de um grupo de assaltantes que atuavam neste Estado da Paraiba e no Estado de Pernambuco roubando veículos. Após serem furtados, os veículos tinham seus sinais identificadores modificados, normalmente em várias sucatas localizados neste Estado da Paraiba, para serem legalizados, através de estelionatários e despachantes que obtinham Certificados de Licenciamento e Registro dos Veículos – CRLV(s) expedidos pelo Detran-PB". Entre as prisões, já estaria confirmada também a do chefe da Ciretran em Catolé do Rocha. A reportagem do programa Correio da Manhã, da 98 FM, que acompanhou a Operação desde o início, às 3h30 da madrugada desta sexta, revelou que os funcionários do Detran foram presos em suas residências e levados para o xadrez da Superintendência da PF na Torre. Uma equipe de agentes federais esteve na sede do Detran em Mangabeira, de 5 às 8h, e de lá saiu com centenas de documentos. Há notícias ainda sobre apreensão de 30 automóveis. Segundo a PF, os acusados presos na Paraíba teriam cúmplices em Pernambuco e Alagoas, onde mais prisões deverão ser efetuadas nesta sexta. Desde fevereiro deste ano a PF investiga o bando, tendo constatado a existência de dois esquemas criminosos dentro do Detran, que tinham o objetivo de regularizar a expedição do licenciamento dos veículos roubados, com dados fictícios e falsas perícias, além da expedição de carteiras de habilitação. Todos os detalhes da Operação Cascavel serão expostos em uma entrevista coletiva que o superintendente da PF deverá conceder às 15h de hoje, juntamente com a procuradora geral de Justiça do Estado, Janete Ismael, o comandante da Polícia Militar, coronel Kelson Chaves, e dirigentes da Polícia Rodoviária Federal. Fonte: ascon-pf

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

LEMBRE-SE

LEMBRE-SE: Se pretende votar nos candidatos do PSDB/DEM, é preciso lembrar que:

– o DEM é rabo do PSDB, ou vice-versa, onde tem governo do PSDB, tem junto o partido mais corrupto do Brasil, o DEM. – eles são contra o Brasil e o povo brasileiro. – eles são contra o Piso Nacional para os professores, estão entrando na justiça para contestar. – cidades e estados governados por eles têm a pior avaliação na educação e na saúde. – eles foram contra o aumento do salário mínimo. – eles foram contra o aumento da licença-maternidade para 6 meses. – quando foram governo, por 8 longos anos, afundaram o país – eles foram responsáveis pelo maior desemprego já visto no país. – eles foram responsáveis pelo apagão. – eles permitiram, quando foram governo, que o FMI mandasse e desmandasse na nossa economia. – por não investir, por serem irresponsáveis, por só pensarem em privatizar, foram responsáveis pelo afundamento da plataforma petrolífera P36. – eles são contra o Bolsa Família, contra o Luz para Todos, contra o PROUNI, contra todos os programas sociais do governo Lula. – sob o governo Alckmin, por descaso e negligência, provocaram o pior e mais violento ataque do PCC em SP – eles engavetaram mais de 60 CPIs para investigar denúncias de corrupção em seus governos. – Kassab foi secretário de finanças do Pitta, quando este desviou muita grana de SP para paraísos fiscais. – Kassab chama trabalhador de vagabundo. – Alckmin extinguiu um cursinho pré-vestibular gratuito (Pró-Universitário) ao deixar de investir R$ 3 milhões e impediu a matrícula de 5.000 alunos que agora estão muito mais longe da formação superior graças ao PSDB. – todos eles passaram mais de 5 anos atacando o presidente Lula, o governo Lula, e agora, para tentar se eleger, estão todos querendo o apoio do presidente Lula, o melhor presidente que o Brasil já teve. Jussara Seixas

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

CORREIO BRASILIENSE: Efraim diz que não é citado em inquérito, mas, relatórios o contradizem


- O senador Efraim Morais (DEM-PB) quebrou ontem o silêncio e afirmou aos jornalistas que seu nome não é citado nas investigações sobre a Operação Mão-de-Obra. “O que eu posso adiantar e repito com todas as letras: no processo que envolve Ministério Público, Justiça Federal e a Polícia Federal, o nome do senador Efraim Morais não é citado, conseqüentemente não tem nenhum inquérito”, disse. 
Três relatórios do serviço de inteligência da Polícia Federal contradizem o parlamentar. São documentos que constam no inquérito da PF, anexado à ação por improbidade administrativa do Ministério Público que corre na 1ª Vara da Justiça Federal de Brasília, sob o número 2008.34.00.009164-8. 
As folhas 169 a 192 dessa ação trazem dois desses relatórios, de números 58/06 e 61/06. Os documentos “citam” várias vezes o nome do senador ao descrever os passos do lobista Eduardo Bonifácio Ferreira, acusado no processo de negociar o resultado das licitações com as empresas Conservo e Ipanema. 
Agentes da PF chegaram a entrar no então gabinete de Efraim para conferir de perto a atuação do lobista. Em 14 de julho de 2006, flagraram-no trabalhando numa sala com mesa e computador à sua disposição, sendo que ele não era funcionário do Senado na época. “Trabalhos de vigilância constaram (sic) que diariamente Eduardo Bonifácio vai ao Senado, tendo inclusive as chaves que dão acesso a uma das salas que compõem o gabinete do senador Efraim Morais”, diz um trecho do documento. 
Conforme o Correio já revelou, o relatório 55/06, que faz parte do inquérito, diz que a PF presenciou Ferreira abrindo com a própria chave o gabinete de Efraim. “O alvo desceu do carro e se deslocou em direção à porta que dá acesso direto do estacionamento ao gabinete 21, tomou umas chaves no bolso, abriu a citada porta e entrou no gabinete. Ou seja, o alvo entrou no estacionamento privativo do Senado Federal, depois entrou no gabinete do senador Efraim Morais.” 
Indagado 
O senador disse ainda que não prestou qualquer esclarecimento à polícia. “Não fui ouvido pela polícia, não fui convocado e, pelo contrário, tenho consciência tranqüila e a certeza de que, ao ter o apoio de toda a minha bancada, terei o apoio dos demais companheiros da Casa”, afirmou. 
Um documento da PF, também anexado à ação na Justiça Federal, o contradiz novamente. Em ofício de número 198, de 15 de agosto de 2006, Efraim responde a três perguntas feitas pelo delegado Matheus Rodrigues, que atuou no caso. 
O delegado perguntou qual era a função administrativa exercida pelo parlamentar, que respondeu apenas ser o primeiro-secretário. Depois, ao ser indagado sobre sua relação com o lobista Eduardo Ferreira, ele responde: “Conheço o senhor Eduardo há cerca de 10 anos, quando exercia o mandato de deputado federal”. Perguntado ainda se Ferreira tinha alguma função em seu gabinete, Efraim disse “não”. A papelada em que Efraim é citado está sendo analisada pela procuradora Luciana Marcelino, do Ministério Público Federal em Brasília. O Correio já a procurou para comentar o assunto. A procuradora informou que só vai se manifestar ao fim da investigação. 
Ontem, a reportagem conversou com Efraim e pediu uma entrevista. Ele solicitou que as perguntas fossem enviadas por escrito, o que foi atendido. No total, foram encaminhadas 12 perguntas ao parlamentar. No início da noite, sua assessoria informou que as respostas seriam dadas somente depois da apresentação do relatório do corregedor, Romeu Tuma (PTB-SP).
Leandro Colon e Marcelo Rocha
Da equipe do Correio

terça-feira, 26 de agosto de 2008

CORREIO BRASILIENSE: Lobista tinha mesa e computador no gabinete do senador Efraim Morais, segundo a Polícia Federal Nova matéria do jornal Correio Brasiliense, edição desta terça-feira, 26, revela que a Polícia Federal seguiu o lobista Eduardo Bonifácio Ferreira dentro do Senado Federal e flagrou o lobista cumprindo expediente no gabinete do senador Efraim Morais em 14 de julho de 2006, 12 dias antes da Operação Mão-de-Obra. Logo depois de ser visto trabalhando no gabinete, o lobista se dirigiu com o CD e o envelope ao terceiro andar do Anexo I sem usar o elevador, preferindo as escadas. O serviço de inteligência da PF o seguiu pelo trajeto e o flagrou entrando na sala do diretor-geral do Senado, Agaciel Maia.
Marcelo Rocha e Leandro Colon Da equipe do Correio Leia a matéria do Correio Brasiliense, na íntegra: “Agentes da PF seguem Eduardo Ferreira e descobrem que o lobista acusado de fraudar licitações na Casa ocupava uma mesa no gabinete do senador no mesmo período em que negociou resultado das concorrências Ronaldo de Oliveira/CB/D.A Press - 6/8/08 Efraim Morais: senador nomeou Ferreira para um cargo comissionado na liderança da minoria O lobista Eduardo Bonifácio Ferreira, acusado de intermediar o resultado das licitações no Senado, não só tinha a chave do gabinete do primeiro-secretário, Efraim Morais (DEM-PB), como trabalhava no local, com mesa e computador à sua disposição. É que o revela o relatório de inteligência 61/06 da Polícia Federal, obtido ontem pelo Correio. A PF flagrou Ferreira cumprindo expediente no gabinete em 14 de julho de 2006, 12 dias antes da Operação Mão-de-Obra. Oficialmente, ele não era funcionário da Casa na época. Uma equipe da polícia seguiu o lobista dentro do Senado, chegando a entrar no gabinete de Efraim para confirmar se ele realmente trabalhava no local. “Por volta das 11h45, uma equipe entra no gabinete 21 (então ocupado pelo senador), desce até a parte inferior e visualiza o alvo (Ferreira) numa mesa com computador, dentro de uma sala localizada em frente à porta de entrada da parte inferior do gabinete, mexendo em algo que parecia ser um CD e um envelope”, descreve a polícia. A PF afirma que, mesmo não sendo funcionário, Ferreira fazia parte da “equipe” do senador. “Tendo inclusive as chaves que dão acesso a uma das salas que compõem o gabinete do senador Efraim Morais”, diz a polícia. Logo depois de ser visto trabalhando no gabinete, o lobista se dirigiu com o CD e o envelope ao terceiro andar do Anexo I sem usar o elevador, preferindo as escadas. O serviço de inteligência da PF o seguiu pelo trajeto e o flagrou entrando na sala do diretor-geral do Senado, Agaciel Maia. “Por volta das 12h25, o alvo sai do gabinete do diretor do Senado sem nada nas mãos”, relata a PF. Em depoimento à polícia, Agaciel disse que Ferreira o procurava para pedir emprego a parentes. Na semana passada, o Correio revelou que a polícia havia flagrado, em 29 de junho de 2006, Ferreira abrindo com chave própria uma porta de acesso reservado ao gabinete de Efraim. Agora, descobre-se que ele comparecia diariamente para trabalhar no Senado, segundo a apuração policial feita em julho daquele ano. De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, o lobista negociou com as empresas Ipanema e Conservo o resultado de licitações para o fornecimento de mão-de-obra terceirizada ao Senado. Primeiro-secretário, Efraim prorrogou esses contratos sob suspeita até 2009. Os agentes federais monitoraram encontros de Ferreira com os empresários investigados durante o processo licitatório no primeiro semestre de 2006. Mas o lobista também se reuniu com eles após as concorrências. Em 12 de julho daquele ano, por exemplo, ele saiu de casa, na Asa Norte, passou no Senado e foi para a sede da Ipanema, no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). Nomeação Filiado ao DEM, Ferreira trabalhou oficialmente na Casa entre 2003 e 2005, ocupando cargo comissionado na Liderança da Minoria. Foi Efraim quem o nomeou para o posto, quando era o líder desse bloco. O parlamentar tem se negado a dar explicações sobre sua relação com o lobista. Ferreira, no entanto, passou uma procuração a Efraim, transferindo ao senador da Paraíba cotas de capital numa empresa de consultoria. Nos relatórios da Operação Mão-de-Obra, a PF levanta a suspeita de que essa empresa seja de “fachada”, supostamente usada para encobrir alguma ilicitude. A bancada de senadores do DEM tem reunião marcada para hoje. A expectativa é a de que os parlamentares peçam uma resposta de Efraim. A crise em torno dele deve entrar na pauta do encontro. “Não tem como não discutir isso”, afirmou o senador Demostenes Torres (DEM-GO). Ao lado do líder da legenda, José Agripino (RN), Demostenes tem cobrado explicações públicas de Efraim sobre suas ligações com o lobista”.

sábado, 23 de agosto de 2008

Massa é Pole no GP da Europa

23/08/208 -10:23 Horas. Em primeira Mão, só aqui no Helio Jampa.

Operação I-Licitação deixa o Governo do Estado da Paraiba (PSDB-DEM) com ‘as barbas de molho’

Governo do Estado silencia sobre irregularidades no programa Boa Nova

A Operação I-Licitação botou o Governo do Estado notadamente a Cagepa com as barbas de molho. Um silêncio profundo paira sobre toda e qualquer indagação a respeito do Programa Boa Nova e ninguém dá explicações para as interrupções e irregularidades na execução das obras de saneamento básico, que custou aos cofres públicos, recursos na ordem de R$ 400 milhões
A Operação I-Licitação botou o Governo do Estado notadamente a Cagepa com as barbas de molho. Um silêncio profundo paira sobre toda e qualquer indagação a respeito do Programa Boa Nova e ninguém dá explicações para as interrupções e irregularidades na execução das obras de saneamento básico, que custou aos cofres públicos, recursos na ordem de R$ 400 milhões A Operação recentemente levada ao conhecimento público revelou um esquema de sonegação de impostos e de fraude nas licitações de obras públicas que se alastrava por mais de cem municípios da Paraíba. A mídia ligada ao Governo Estadual apressou-se em vincular pessoas e prefeituras ao esquema numa estratégia de afastar o foco das investigações ou pelo menos a atenção da opinião pública para bem longe do Governo. Porém, empresários da construção civil insatisfeitos com a exclusão na concorrência de obras do Programa Boa Nova e que já haviam alertado há muito tempo a este portal sobre as irregularidades cometidas no Programa recrudesceram nas denúncias e afirmam que os métodos revelados pela Polícia Federal na Operação I-Licitação são os mesmos adotados para surrupiar os recursos do programa de saneamento básico. Eles iniciam um movimento para levar ao conhecimento da PF as irregularidades cometidas no programa que resultou no abandono de obras por todo estado. “A estratégia é a mesma: licitações dirigidas que contemplam certo número de empresas formadas por pessoas ligadas a personalidades do Governo para depois repassá-las a terceiros que receberiam valor correspondente a 30% do total da obra”, diz um dos empresários. Outro empresário sugere que a Polícia federal amplie o foco das investigações e se debruce sobre o Boa Nova “que vai chegar ao maior escândalo deste Governo” A Cagepa, órgão responsável pela execução das obras de saneamento básico adotou o silêncio como resposta a aflição da população. Até agora, apesar da enxurrada de denúncias e reclamações por todo estado e, principalmente na capital, a Cagepa não se pronunciou sobre o assunto. A direção do órgão não foi capaz de explicar porque bairros como o Altiplano, onde as obras foram interrompidas há mais de três anos, não tiveram a rede de coleta de dejetos ligada e nem o porquê de não ter sido construída a estação elevatória do sistema implantado. No bairro do Alto do Mateus a situação é idêntica, com valas que tiveram de ser fechadas pelos moradores para que o trânsito de veículos e de pessoas pudesse retornar. A Cagepa jamais deu satisfação sobre essas interrupções dos trabalhos, causando revolta e indignação na população quando vê o governador contabilizar como obras da sua administração o caos instalado em ruas, bairros e cidades do Estado. O Bessa é o grande exemplo desse festival de corrupção e irresponsabilidade com o dinheiro público. Infestado de placas alusivas aos trabalhos de pavimentação e drenagem os moradores sofrem com a realidade dos buracos, da lama no inverno e da poeira no verão. Moradores de ruas como a Randal Cavalcante Pimentel no bairro ouviram perplexos as explicações “cínicas” dos responsáveis pelos trabalhos que, depois de escavacarem a rua, colocarem as manilhas, dar como explicação que a ligação da rede coletora só seria possível depois de construída a estação elevatória, que não era da responsabilidade deles e que não havia prazo para isso. Trocando em miúdos, o bairro continua sem saneamento básico, a exemplo dos demais da capital, desmoralizando de vez o maior programa de saneamento da história tão propalado pelo Governador Cássio Cunha Lima.
Cícero, quando foi preso, era Secretário de Planejamento e gestor do programa Boa Nova.
A Randal Cavalcante Pimentel serve como exemplo para o bairro todo que já foi penalizado pela irresponsabilidade do ex-prefeito Cícero Lucena. Segundo a PF, Cícero desviou mais de R$ 20 milhões de obras destinadas a solucionar os problemas de saneamento básico da cidade. Cícero saiu da Prefeitura, foi para a Secretaria de Planejamento e passou a administrar, com a mesma equipe que tinha na prefeitura, os recursos do Boa Nova. Na condição de Secretário de Estado e de gestor desses recursos é que foi preso pela Polícia Federal acusado de chefiar uma quadrilha especializada em fraudar licitações e embolsar dinheiro público.

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Pegadinha: Como ganhar U$ 738,55 por Dia no Adsense

Receita simples para quem quer ENGANAR seus visitantes com a falsa imagem de que ganha muito com o adsense. Cá pra nós, eu mesmo passo muita raiva com este programa. Leiam que vale a pena e é um alerta de nosso amigo do site MÁQUINA DO DINHEIRO
A todos os que lêm este post garanto-vos que tenho uma página aberta no browser neste momento onde tenho registado esse montante, e como prova coloco aqui um printscreen. É fácil de comprovar que não é nenhum tipo de photoshop, visto que quem meu amigo é e que lê o meu blog (apesar de não comentar) sabe que eu não percebo nem um pouco de design, logo seria muito complicado fazer algo como isto via photoshop. A todos vós que lêm, resta-vos uma conclusão que vos é obtida das premissas que coloquei, é dinheiro verde mesmo. Hm…HUH! Mas ficam todos com a dúvida: Como é que ele consegui fazer tudo isso num dia??? E isso…só eu sei explicar. Mas eu vou fazê-lo e GARANTO-VOS que TODOS vão conseguir FAZER $738,55 em poucos segundos. O que peço a todos vós são…esses segundos. Explica lá…lol…também quero ficar rico!!! É fácil, não requere photoshop, mas tem um inconveniente, não vos fará ficar ricos!!! Abram o vosso browser na página do Google Adsense: https://www.google.com/adsense/report/overview Na caixa dos links do vosso browser escrevam: javascript:document.body.contentEditable='true'; document.designMode='on'; void 0 De seguida cliquem “Enter”. A partir deste momento podem editar a vossa página de Reports da Google Adsense ao vosso gosto, podem mudar os valores, podem fazer tudo. Ah boa!!!! Xiça….como é que nunca tinha pensado nisso…???!!! Se repararem este acaba por ser um truque um tanto “Blackhat”, visto que existe muito boa gente que escreve ebooks, com provas, com imagens e vídeos de que fazem um X no Google Adsense. Essa boa gente está-nos a enganar, as provas são falsas e são ou feitas com photoshop ou via esse código javascript. Ah e tal…com um vídeo é mais difícil enganar… Sim, é verdade. É mais difícil, mas não deixa de ser fácil. Basta focarmos o nosso camtasia no nosso browser depois de alterarmos os valores, é só filmar: Com jeito consegue-se. Todavia, existe gente que faz esse dinheiro, é preciso é distinguir quem faz e que não faz! É Blackhat…. Ou seja, pelo caminho do BlackHat esta é uma excelente forma para começar a vender o seu ebook sobre “Fique Milionário com o Adsense”, pelo caminho da “segurança” e pela “aprendizagem legal”, é uma forma de tentarmos detectar quem são as pessoas que nos querem vender unicamente um livro e quem são aquelas que querem vender verdadeira experiência! Consegui provar que tinha uma janela com esse valor no adsense, não é? Provei também que todos vocês conseguem fazer isso, certo? Então vá!!!!!! e a maneira legal…. Por outro lado, vocês podem usar o código em qualquer site, no vosso por exemplo: Imaginem que querem apagar um menu, retirar uma imagem, etc. e não sabem como ha-de ficar, se bonito, se feio, podem apagar usando esse código javascript! Há sempre a forma legal e ilegal de usar uma ferramenta. O critério é vosso e as responsabilidades são vossas! Serve isto como disclaimer.

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Informação Sexual

Orgasmo - Como atingir?

É definido como a sensação de maior excitação durante o ato sexual ou a masturbação. Muitas mulheres tem dificuldade em atingir o orgasmo e este é um problema sério que afeta também a vida do casal. Toda mulher que se estimula sexualmente chega ao orgasmo, ou seja, é atraves da masturbação, a melhor maneira de se ter um organsmo. A mulher tem que saber como é se tocar, descobrir as partes de seu corpo mais sensíveis. Com isso a mulher passa a conhecer seu corpo, e poderá até mostrar e indicar ao companheiro o que deseja. A masturbação é a forma mais fácil que a mulher tem para chegar a sentir um orgasmo. Alguns dos fatores que podem colaborar para que as mulheres tenham dificuldade em atingir o orgasmo são os problemas hormonais, a presença de alguma doença, o uso de certas drogas ou medicamentos ou a depressão. Há também os fatores de fundo psicológico, na maioria das vezes relacionados ao próprio companheiro e aos preconceitos. Para resolver este tipo de problema é bom estar bem informada, ler artigos escritos por profissionais ou então procure um médico, ele poderá te ajudar. Algumas dicas de como chegar lá: - Não pressione o companheiro(a) Ao pressioná-lo ou recriminá-lo você pode por tudo à perder... - Relaxe e aproveite cada momento. Não fique se preocupando com quando ele vai chegar. - Você deve se sentir bem, tudo o que causa mal-estar ou pressão deve ser evitado. - Experimentar, sempre! Se não existe um problema fisiológico que explique a dificuldade de chegar ao clímax, qualquer um pode treinar sua capacidade de atingir o orgasmo. Texto Fonte: http://monikabaumann.blogspot.com

Salário médio do trabalhador cresceu 22% em cinco anos

Chora a Mídia Golpista
Chora a Oposição truculenta
Nos solos do Brasil.


O salário médio do trabalhador brasileiro cresceu 22,36% nos últimos cinco anos. O índice é apontado no estudo do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pela primeira vez pelo ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, no Rio de Janeiro, na última quinta-feira (14). O rendimento médio de admissão do trabalhador nos seis primeiros meses do ano passou de R$ 568,88, em 2003, para R$ 696,10, em 2008.

Fonte: Paraibeaba

terça-feira, 19 de agosto de 2008

QUE MENSALÃO?

Fonte:
Por Um Novo Brasil

Todos devem lembrar do tal mensalão apregoado por Roberto Jefferson. Como fez a denúncia e não comprovou o que disse, R. Jefferson foi cassado. Mensalão é uma palavra que causa frisson na oposição e na mídia. Transformaram no tal mensalão um empréstimo em bancos privados, Rural e BMG, feito pelo PT para pagar dívidas de campanha. Na época, ao depor nas CPIs, o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, afirmou repetidamente que o dinheiro do empréstimo não era para pagar os deputados e senadores para votarem a favor do governo. Era dinheiro para pagar dívidas de campanhas eleitorais. Resumindo, caixa 2. Dinheiro não contabilizado, valores que não foram passados nas prestações de conta ao TSE. Mas notem que caixa 2 não é privilégio do PT: PSDB, DEM, PTB e outros também fizeram e fazem uso decaixa 2. Não vou entrar aqui no mérito da questão, se o PT errou ou não. O que interessa é uma matéria que está na FSP de hoje, 19/08, que prova que o tal mensalão não existiu.
Leiam aqui: Receita Federal multa PT em R$ 1,39 mi por caixa 2 Partido é acusado de sonegar IR e CSLL de receitas recebidas e não contabilizadas Maior parte de receitas omitidas foi destinada a pagamentos de dívidas da legenda feitos por meio de agência de Marcos ValérioA Receita Federal autuou o PT em R$ 1,39 milhão por omitir valores arrecadados que ingressaram no caixa do partido e foram usadas para pagar despesas da legenda.Segundo a Receita Federal, o partido sonegou IR (Imposto de Renda) e CSLL(Contribuição Social sobre Lucro Líquido) referentes às receitas recebidas e não contabilizadas, além de juros e multa sobre o valor principal devido,que é de R$ 619,88 mil, referente ao período entre 2002 e 2005. As receitas omitidas somam R$ 2,47 milhões, dos quais R$ 1,47 milhão vêm comprovadamentedas contas de Marcos Valério. Os fiscais chegaram ao valor em análise feita por amostragem. O PT apresentou sua defesa à Receita, e o processo segue emfase de cobrança administrativa.De acordo com a Constituição, os partidos políticos gozam de imunidade tributária, desde que se mantenham dentro das regras do Código Tributário Nacional. Para a Receita, o PT infringiu as normas. Principalmente a que obriga os partidos políticos "a manterem escrituração de suas receitas e despesas em livros revestidos de formalidades capazes de assegurar sua exatidão", como diz o código. Nesse quesito, a infração está no fato de o PT não ter contabilizado os valores recebidos e repassados a credores. Ainda conforme o código, a imunidade que lhes é dada pela Constituição nãoexclui dos partidos políticos a responsabilidade "pelos tributos que lhes caiba reter na fonte" de terceiros -caso dos recursos de Marcos Valério. Em 31 de outubro do ano passado, o PT foi intimado a apresentar documentação referente aos exercícios financeiros de 2002, 2003, 2004 e 2005. Não foi oúnico. Em dezembro de 2008, a Receita confirmou oficialmente que suspendeu parcialmente a imunidade tributária de sete partidos políticos: PT, PP, PTB,PR, DEM, PMDB e PSDB. Conforme a Folha revelou em fevereiro deste ano, feita a análise fiscal das contas do PSDB, os tucanos foram autuados em R$ 7 milhões. A Receita detectou notas fiscais frias emitidas por uma empresa fantasma e por outra inidônea para o PSDB e a campanha à Presidência em 2002 de José Serra, no valor de R$ 476 mil. Caixa paralelo Feita a análise da contabilidade petista, fiscais da Receita concluíram que a SMPB, de Marcos Valério, pagou R$ 400 mil para a empresa Focal, que estampou camisetas para o PT. Outros R$ 620 mil foram utilizados para cobrir débitos de campanha do PT doPará, principalmente da campanha do deputado Paulo Rocha (PT-PA), um dos beneficiários do mensalão, que renunciou ao mandato na Câmara.Também saíram das contas de Marcos Valério R$ 450 mil para pagar o escritório de Junqueira, Alvarenga e Fonseca Advogados S/C, comandado pelo ex-procurador-geral da República Aristides Junqueira. A contratação foi feita para defender e cuidar da imagem do PT durante o chamado "caso Santo André", que se refere às suspeitas surgidas por ocasião do assassinato do prefeito Celso Daniel de que teria havido crime político. Segundo a página 27 do "Termo de Constatação Fiscal" obtido pela Folha, "ovalor de R$ 450.000,00 [pago ao escritório de advocacia], comprovadamente,foi pago pelo PT com recursos estranhos à contabilidade do partido [...]".Entre os recursos não contabilizados, também está o pagamento de R$ 1 milhãofeito à Coteminas, a empresa da família do vice de Lula, José Alencar. O valor, sem origem definida, corresponde à primeira parcela de uma dívida total do PT de R$ 11 milhões referente à compra de camisetas em 2004. Mesmo de posse dessas informações, a FSP insiste no tal mensalão. Um trecho da matéria: "Conforme documentos obtidos com exclusividade pela Folha, as omissões de receitas recebidas, em sua maioria, decorrem de pagamentos dedívidas do PT feitos pela agência de publicidade SMPB, do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, o principal articulador do mensalão, a mesada paga a congressistas da base aliada do presidente Lula em troca de apoio aogoverno, escândalo que estourou em 2005." Pergunto: 1) Quais foram os nobres congressistas da base aliada que receberam mensalão? 2) Se eram da base aliada, que recebeu vários cargos no governo, para que o mensalão? 3) Se eram petistas para que mensalão? Pagar petistas para votar com um governo petista? Não faz o mínimo sentido. Diz a matéria: "Outros R$ 620 mil foram utilizados para cobrir débitos de campanha do PT do Pará, principalmente da campanha do deputado Paulo Rocha (PT-PA), um dos beneficiários do mensalão, que renunciou ao mandato na Câmara." Vejam a discrepância: escrevem que R$ 620 mil foram utilizados para cobrir débito de campanha e em seguida dizem que ele foi beneficiado pelo tal mensalão. Que mensalão? Mensalão seria dinheiro pago todo mês - por isso o nome de mensalão -, o que comprovadamente não ocorreu. Ocorreu quitação de dividas eleitorais que extrapolaram o permitido pela lei eleitoral, e para quitar a divida tiveram que obter recursos através de empréstimos bancários. Empréstimos obtidos por Marcos Valério, que já tinha prestado o mesmo serviço ao PSDB do senador Eduardo Azeredo em 1998, usando inclusive as estatais de MG.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Efrain é uma das estrelas do time dos ficha-sujas

A Paraíba tem forte representação no time dos políticos fichas-sujas
A representação política paraibana está repleta de fichas-sujas, como passaram a ser designados os parlamentares com problemas diante da Justiça. Além do governador Cássio Cunha Lima, cassado duas vezes e impedido de ser julgado pelo STF graças a subterfúgios e artimanhas promovidas por sua representação na Assembléia Legislativa, ainda temos dois dos nossos senadores, Cícero Lucena e Efrain Morais, envolvidos em escândalos que alimentam o noticiário nacional. A Paraíba, que já pontificou no cenário nacional com nomes como José Américo de Almeida, resume-se hoje a personalidades controvertidas que não abandonam o noticiário policial. O senador Cícero Lucena, ex-prefeito da capital, devido a sua gestão como administrador público foi preso pela Polícia federal envolvido num escândalo batizado de Confraria, onde recursos na ordem de milhões sumiram pelo ralo de licitações fraudulentas. O outro, Efrain Morais, depois que assumiu a secretaria do Senado passou a ser figurinha carimbada do noticiário sensacionalista da grande imprensa do sul que não poupa espaços para destacar as “peraltices” do senador de Santa Luzia. Efrain vem sendo acusado de manipular licitações que beneficiaram empresas prestadoras de serviços ao Congresso Nacional reeditando o estilo do colega tucano Cícero Lucena. A Paraíba tem ainda reforçando o time dos fichas-sujas três deputados federais, Armando Abílio (PTB), Rômulo Gouveia (PSDB) e Whellington Roberto ( PR) todos com envolvimentos em operações nebulosas com recursos públicos. Fonte: redação

Manual para Golpistas!

Por Guina
Tudo começa com um sonho.
O anti-petista inicia uma ousada empreitada pretensiosa para aumentar o número de simpatizantes da “sofisticada organização golpista” (PIG), que atualmente é composta por meia dúzia de jornalistas pagos por grandes grupos da mídia comercial para escrever mentiras e calúnias contra o PT e o governo Lula – número que o anti-petista considera muito baixo. Como a maioria esmagadora dos cidadãos não acreditam no que diz os anti-petistas, o golpista fica epidermicamente revoltado e conclui que essas pessoas precisam de uma reeducação já que, obviamente, não entenderam o que é o anti-petismo.

O golpista então cria o seu blog. Começa escrevendo no canto superior direito: “blog para divulgar que o Brasil está nas mãos de terroristas (ou outras babaquices do gênero)”. Os primeiros lugares que ele se lembra de procurar uma notícia favorável à “sofisticada organização golpista” (PIG), são nos sites do PSDB, DEM, Reinaldo Azevedo, Olavo de Carvalho, Ternuma. Então o golpista faz o conhecido control copy, control paste e então, já tem a sua primeira notícia publicada. Ele fica animado com o resultado, e já imagina quantas novas pessoas ele conseguiu iludir contra o PT com o seu novíssimo blog – uma? duas? três? não, muito cedo ainda, ele acha que até agora convenceu apenas uma nova pessoa.

Aí o golpista descobre que há pelo menos 100 blogs iguaizinhos ao dele. Tem este, este, este, este, e por aí vai. Mas, ao contrário do que se imagina, ele fica ainda mais animado e já sonha com a nova pesquisa de avaliação do governo Lula – que deve recompensar os seus esforços, levando o anti-petismo a superar a preferência da população brasileira pelo PT e pelo Presidente Lula. Com tantos blogs idênticos ao dele, com as mesmas notícias copiadas do site da “sofisticada organização golpista” (PIG), o golpista descobre que é mais fácil copiar diretamente as notícias dos outros blogs e aumentar uma ou outra linha – com mentiras ou boatos sobre o PT. Depois de muito tempo passado, o golpista descobre que existem blogs petistas e vem nos encher o saco. Mas ele não argumenta. Ele não sabe argumentar. Então o que o golpista anti-petista faz?
Control copy, control paste na nossa caixa de comentários

Tribuna Petista.


Efraim (DEM-PB) não sai das manchetes policiais

Efraim Morais pode estar envolvido nas fraudes das licitações, suspeita PF

As investigações da Polícia Federal esbarraram em indícios de envolvimento do senador Efraim Morais (DEM-PB) nas fraudes em licitações no Senado. É o que revela relatório da Diretoria de Inteligência Policial (DIP), obtido pelo Correio. No documento, os policiais grifam e destacam em letras garrafais citações telefônicas a João Pessoa, capital da Paraíba, estado que elegeu Efraim. "A pessoa não quis tratar esse assunto aqui em Brasília. Quer tratar lá em João Pessoa". Essa frase aparece no relatório e é atribuída pela PF ao empresário José Araújo, dono da Ipanema, especializada em fornecimento de mão-de-obra terceirizada. Em 26 de abril de 2006, num diálogo ao telefone com seu então braço direito na empresa, Paulo Duarte, Araújo explicou como tentaria resolver um problema surgido nas milionárias licitações do Senado que estavam em andamento naquela época. O responsável pelos contratos na Casa é o primeiro-secretário, no caso, Efraim. Naquele dia, segundo o relatório da investigação, os donos das empresas Ipanema, Conservo e Brasília Informática discutiram desde o início da manhã como resolver um impasse criado num suposto esquema atribuído a elas para ganhar as concorrências no Senado. Segundo denúncia do Ministério Público Federal, as empresas investigadas fraudaram essas licitações com a ajuda de servidores públicos. Araújo e Paulo Duarte chegaram a ser presos pela Polícia Federal durante a Operação Mão-de-Obra, realizada em julho de 2006 para desarticular esquema de fraudes em licitações na Esplanada dos Ministérios. Antes de atuar na Ipanema, Duarte exerceu a mesma função na Conservo. Araújo telefonou às 12h07 de 26 de abril daquele ano para seu subordinado Duarte, que exercia a função de gerente comercial da Ipanema. Na conversa, eles falam sobre a pressão que Márcio Pontes, da Brasília Informática, estaria fazendo para que o esquema das empresas no Senado desse certo. De acordo com o MPF, havia um acordo "por fora" para dar uma compensação financeira aos perdedores. Araújo disse a Paulo: "Ele (Márcio) falou assim: ‘Mas Araújo, como é que tá? A coisa vai ficar comigo ou contigo?’ Eu disse: ‘Ó, Márcio, eu tenho uma reunião dia 1º de maio em João Pessoa para poder tratar este assunto." O dono da Ipanema revela, então, que "a pessoa" não queria resolver o problema em Brasília: "A pessoa não quis tratar esse assunto aqui em Brasília. Quer tratar lá em João Pessoa. Eu falei: ‘Tudo bem, eu vou para João Pessoa". Diário Oficial - O senador Efraim estava em Brasília naquele 26 de abril. Em plenário, pediu a palavra para comentar a reta final da CPI dos Bingos,(conhecida também como a CPI do fim do mundo) presidida por ele. Em 9 de maio, 13 dias após o telefonema entre Araújo e Paulo Duarte, a Ipanema ganhou a concorrência pública no Senado para administrar um contrato de R$ 2 milhões por ano. No dia 28 de julho, Efraim o prorrogou por mais 12 meses. De acordo com o MPF, a Ipanema chegou a pagar para outras empresas desistirem dessa licitação. Não só a Ipanema se deu bem depois daquela última semana de abril. No dia 5 de maio seguinte, o Diário Oficial publicou a vitória da Conservo em concorrência de R$ 450 mil mensais, cujo contrato também foi prorrogado até o ano que vem pela primeira-secretaria do Senado. Entre sexta-feira à tarde e ontem, o Correio tentou contatar Efraim pelo menos quatro vezes. A assessoria do senador informou que ele estava no exterior, em missão oficial, e que tentaria localizá-lo, mas até o fechamento desta edição não houve retorno. Em 6 de agosto, Efraim subiu à tribuna do plenário para negar envolvimento nas irregularidades apuradas pela PF. Um dia depois, o presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), decidiu fazer novas concorrências para substituir, em até 60 dias, os contratos suspeitos, que somam R$ 35 milhões. Pressionado por causa das renovações, ele quer interrompê-los até o fim do ano, prazo estipulado para concluir as licitações. Leandro Colon e Marcelo Rocha. Da equipe do Correio Brasiliense Do Paraibeabá

domingo, 17 de agosto de 2008

BRASIL PODE ULTRAPASSAR A ARÁBIA SAUDITA E SE TORNAR O DETENTOR DAS MAIORES RESERVAS DE PETRÓLEO DO MUNDO


Esse Post vi no Blog do coxipodaponte, (Está entre os meus favoritos), e passo para todos.

Voltando ao tema de um post anterior, comento uma matéria da Folha de São Paulo, do dia 13.08.2008, no caderno Dinheiro. Na matéria, há uma entrevista com o  engenheiro de petróleo Newton Monteiro. Segundo Monteiro, ex-diretor da ANP, as reservas do pré-sal brasileiro poderiam somar algo em torno de 360 bilhões de barris de petróleo (alguns analistas falam em meio trilhão de barris), ultrapassando a Arábia Saudita e se tornando o detentor das maiores reservas do mundo! Em um post anterior, eu dizia o seguinte: 

"O mapa acima elenca as bacias sedimentares brasileiras. Desde que a Petrobrás descobriu a província petrolífera do pré-sal, várias teorias vem sendo tecidas sobre as reais dimensões das jazidas brasileiras de petróleo. 

Uma que chama a atenção pelo ineditismo e pelas gigantescas implicações geopolíticas e econômicas no tabuleiro energético mundial é uma que corre nos bastidores e de boca em boca dos Velociraptors do Pentágono: as reservas brasileiras das bacias sedimentares off-shores, de Barreirinhas (Maranhão) até Pelotas (Rio Grande do Sul) conteriam reservatórios grandes de hidrocarbonetos, acima da camada de sal. Mas que seriam, tais reservas, apenas a pontinha de um enorme iceberg de petróleo, que teria vazado da imensa camada de sal. E que sob a capa de sal, jazeria uma única e gigantesca jazida de petróleo leve, que a despeito da impossibilidade de uma avaliação quantitativa, estaria deixando os Falcões da era Bush com as penas eriçadas, pois poderia conter centenas de bilhões de barris, algo como a metade das reservas mundiais provadas!"

Agora, com essa entrevista com o engenheiro e ex-diretor da ANP, e com as chances reais dessa teoria estar se realizando, aumenta a sensação de júbilo e de preocupação. Júbilo: o Brasil possuir quase a metade das reservas mundiais provadas de petróleo! Preocupação: a 4ª Frota Americana está bem aí, à porta de nosso litoral cheio de petróleo! Por que será hein?

 
 
Roberto Ilia Fernandes

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Daniel abriu a boca na CPI. Por que calou na Justiça?

Parlamentares petistas rebatem insinuações de Daniel Dantas

Deputados do PT rebateram nesta quarta-feira insinuações do banqueiro Daniel Dantas de que integrantes do governo federal o teriam pressionado a desistir do controle acionário da Brasil Telecom. Sem apresentar provas, o empresário sugeriu que pessoas ligadas ao ex-ministro da Secretaria de Comunicação do Governo Luiz Gushiken tentaram forçá-lo a repassar a participação acionária na Brasil Telecom para fundos de pensão. Daniel Dantas prestou depoimento à CPI das Escutas Telefônicas Clandestinas.Para o deputado Domingos Dutra (PT-MA), o banqueiro depôs “com o claro objetivo político de atingir o atual governo”. “Ele veio para bater no nosso governo. Quis insinuar que o governo atual tem interesse de diminuir o poder dele sobre o sistema de telefonia. Tenta negar que todo o poder que ele acumulou foi justamento no processo de privatizações do governo Fernando Henrique Cardoso”, afirmou.Durante o depoimento, Daniel Dantas acusou a Polícia Federal de montar a operação Satiagraha para prejudicá-lo. Investigado por crimes financeiros, o banqueiro foi preso em julho deste ano por policiais federais. A deputada Iriny Lopes (PT-ES) rebateu as acusações do empresário. “Não me parece que a Polícia Federal seja uma mercearia onde se encomendam coisas. É uma instituição que vem fazendo investigações nunca realizadas, mesmo que algumas delas ainda estejam inconclusas”, disse.O deputado Luiz Couto (PT-PB) criticou o fato de Daniel Dantas não ter apresentado qualquer prova para as insinuações feitas contra integrantes do governo federal. “Foi um depoimento todo fundamentado em expressões como ‘me disseram’, ‘ouvi dizer’, ‘soube disso’. Quero que ele apresente documentos para essas acusações. O senhor Daniel Dantas veio aqui com um objetivo: falar sobre uma teoria conspiratória e alegar que está sendo perseguido. Não podemos concordar com isso”, afirmou. Indagado pelo deputado Nelson Pellegrino (PT-BA) , relator da CPI das Escutas Telefônicas Clandestinas, Daniel Dantas negou que tenha contratado a empresa Kroll para fazer grampos no Brasil. “O assunto foi investigado pela Operação Chacal da Polícia Federal. Mas o fato de não termos tido acesso ao conteúdo do inquérito prejudica nossa investigação, porque não temos conhecimento de quais denúncias constam contra Daniel Dantas”, afirmou.A Operação Chacal, realizada em 2004, desvendou um esquema de escutas telefônicas clandestinas feitas pela Kroll. As escutas teriam sido encomendadas por Daniel Dantas durante a disputa com a Telecom Itália pelo controle acionário da Brasil Telecom. A investigação demonstrou que a Kroll também investigou autoridades brasileiras. Agência Informes (www.ptnacamara.org.br)

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Deputado do PT-PB denuncia armação em eleição na Paraiba

sem chance nas urnas, oposição quer ganhar na armação
Luiz Couto denuncia plano contra as candidaturas de Ricardo(PSB-João Pessoa)e Veneziano(PMDB-Campina Grande).

O deputado Luiz Couto (PT-PB) revelou, em pronunciamento na Câmara Federal, que foi procurado por um paraibano que lhe contou de um processo que vem sendo montado para tentar ganhar as eleições nos municípios de João Pessoa e Campina Grande, no tapetão. 

 

Depois de sustentar que o informante é de confiança, tem credibilidade e que não diz o nome para que a pessoa não seja perseguida e ameaçada, Luiz Couto conclamou a Justiça Eleitoral e o Ministério Público a ficarem atentos “porque vão tentar, por todos os meios, ganhar no tapetão o que não conseguirem com o voto livre e soberano do povo”.

 

O parlamentar narrou que um desses planos é colocar pessoas nos eventos, como se fossem aliadas, para solicitar dinheiro e obter promessa de atendimento a pleitos. “Elas carregam microfone embutido para ver se o prefeito diz: "Está bom, amanhã". Ou: "Estou dando". Essa é uma arma para tentar encontrar meios para impugnar as candidaturas de Ricardo Coutinho e Vitalzinho”, delatou.

 

Outra ação, segundo Luiz Couto, é criar um sistema de acusações vazias contra os prefeitos usando, inclusive, sites, blogs e portais na Internet. Para ele, esse tipo de acusação pode trazer um mal porque é uma mentira que se espalha e quando a verdade vem à tona ela já alcançou o objetivo que é o de deixar as pessoas com informações vazias e levianas.

 

“Também se planeja a construção de dados forjados para enlamear a vida dos prefeitos de Campina Grande, João Pessoa e de outros municípios, mas, principalmente, dos dois maiores municípios da Paraíba”, completou.

 

De acordo com Luiz Couto, isso já ocorreu inclusive numa festividade quando o sindicato dos motoristas e dos proprietários de transportes prestava homenagem e lá entrou alguém que filmou e, depois, disse que era da fiscalização do Judiciário, mas não apreendeu nada. “O próprio Juiz Aluízio Bezerra não caiu nessa armadilha”, ressaltou.

 

O deputado petista afirmou que irá publicar mais dados sobre esses esquemas e outras situações “que estão armando para tentar destruir as candidaturas vitoriosas de Ricardo Coutinho e Veneziano”.

Fonte: www.luizcouto.com 
 
 

domingo, 10 de agosto de 2008

Exército tira transposição do Rio São Francisco do papel

Cruz de latas, idealizada pelo Padre Djacir Brasileiro, forte defensor da transposição do São Francisco
Presença de militares e investimentos federais em saneamento reduzem as resistências ao projeto

Ribamar Oliveira e Wilson Pedrosa

A igrejinha branca e azul nos arredores de Cabrobó (PE), onde o bispo d. Luiz Flávio Cappio, em 2005, fez a primeira greve de fome contra a transposição do Rio São Francisco, está fechada. Na região, não há mais manifestações contrárias à obra e os tratores de esteira e as escavadeiras do Exército rasgam o sertão em ritmo acelerado, começando a abrir os dois canais que vão levar água do "Velho Chico" para as bacias hidrográficas do Ceará, do Rio Grande do Norte, da Paraíba e do agreste de Pernambuco.

Depois de nove meses de trabalho, os dois batalhões de engenharia e construção que estão na área já concluíram cerca de um terço das obras a cargo do Exército. Nada menos do que 1,6 milhão de metros cúbicos de terra, rochas e outros sedimentos já foram escavados - o que equivale a 18 Maracanãs cheios.

Os protestos contra a transposição acabaram por vários motivos. Em primeiro lugar, o Supremo Tribunal Federal (STF) cassou todas as liminares concedidas por juízes de primeira instância que impediam o início das obras. Além disso, a presença dos militares ajudou a dar credibilidade ao projeto.

"A estratégia de começar as obras com o Exército foi muito boa", admitiu o padre Ceslau Broszecki, da Diocese de Cabrobó. "Aqui tudo se acalmou, ninguém fala mais nada (contra a transposição)", disse o padre. A presença do Exército representou também segurança para os moradores, pois a rodovia que passa por Cabrobó e Floresta é conhecida como "rota da maconha", utilizada por traficantes.


SANEAMENTO

Outra razão para o apaziguamento na região é o grande investimento que o governo federal está fazendo na revitalização do São Francisco. Um dos programas prevê o saneamento básico nas cidades ribeirinhas. Atualmente, os esgotos dessas cidades são despejados no rio. Nesse programa, o governo prevê aplicar R$ 1 bilhão.

Há 72 municípios com obras de saneamento em andamento. As de outros 44 estão em processo de licitação. Além desses, o governo pretende atender mais 78. Cabrobó, por exemplo, espera concluir suas obras no próximo mês e aumentar de 33% para 99% a parcela de residências atendidas por saneamento básico, segundo o secretário de Infra-Estrutura Urbana e Habitação da cidade, Paulo Teógens de Oliveira. "Sem a transposição, essas obras não aconteceriam", admitiu.

Há quem acredite que a morte do senador Antonio Carlos Magalhães (DEM), ex-governador da Bahia e ferrenho adversário da transposição, também tenha aplacado os protestos contra o projeto. Mas nota-se que permanece na região o temor do que poderá acontecer com o São Francisco. "Tem gente que acha que o rio vai secar", disse o secretário Oliveira.

O capitão Andreos Souza, que comanda o destacamento do 2º Batalhão de Engenharia e Construção, conta que a primeira pergunta que lhe fazem, nas palestras que realiza na região, é justamente sobre essa questão. "Procuro mostrar que não estamos desviando o rio. A água que será retirada equivale a 1,4% da vazão."

Cada um dos batalhões do Exército está abrindo um canal que captará as águas do São Francisco. Um deles fica no eixo norte do projeto, perto de Cabrobó, que ligará o rio ao reservatório de Tucutu. Depois, por canais que ainda serão iniciados, a água será levada para Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. Até a semana passada, o destacamento do capitão Andreos já tinha aberto 1.790 metros do canal, do total de 2.000 metros que cabem ao Exército, faltando aprofundá-lo e colocá-lo no perfil adequado.

O outro canal está no eixo leste, localizado próximo à cidade de Floresta (PE), e levará água para o reservatório de Areias. Depois, por outros canais, a água chegará à Paraíba e a algumas áreas do agreste de Pernambuco. As barragens de Tucutu e de Areias também estão sendo construídas pelo Exército. "A previsão de conclusão dessas obras é dezembro de 2009", disse o capitão Andreos.

Para se ter uma idéia do ritmo das obras, os dois batalhões do Exército estão utilizando 170 viaturas e máquinas pesadas - tratores de esteira, motoniveladoras, escavadeiras, caminhões e veículos de transporte - e mantêm 470 pessoas trabalhando, incluindo pessoal civil e trabalhadores terceirizados.

Um consórcio de empresas privadas, denominado Águas do São Francisco, já trabalha no primeiro lote do eixo norte, que é uma parte do canal até o reservatório de Tucutu. O consórcio conta com 311 pessoas e mobiliza 120 viaturas e máquinas pesadas. Depois de concluído, o eixo norte terá 516 quilômetros e 31 reservatórios de água, três estações de bombeamento, nove túneis, 33 aquedutos e seis hidrelétricas, com potência estimada em 175,5 megawatts. Depois que as águas são bombeadas até determinada altura, passam a correr pelo canal por gravidade, o que permite a instalação de hidrelétricas. A previsão é de que todo o eixo norte seja concluído até 2014.

O eixo leste é menor. Terá 287 quilômetros e o presidente Lula pretende inaugurá-lo até 2010. Nele, serão construídos 15 reservatórios, seis estações de bombeamento, nove aquedutos e sete túneis.

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Efraim (DEM-PB), o maior Gazeteiro do Senado, quer passar de ano de qualquer jeito!

Pense em 3 coisas ruins,
Cássio, Cícero e Efraim!

Efraim estaria ameaçando quem ameaça levá-lo ao Conselho de Ética

O senador Efraim Morais (Dem-PB) estaria fazendo ameaças veladas aos colegas que pretendam levá-lo ao Conselho de Ética, onde seria apurado o suposto envolvimento do parlamentar paraibano em escândalos de nepotismo, empreguismo e fraudes em licitações no Senado. A informação está em nota do Painel da Folha de S. Paulo, edição desta sexta-feira (8). A coluna, assinada pela jornalista Renata Lo Prete, diz que Efraim estaria praticando o "Estilo Renan" de pressão sobre os senadores. A nota não cita, mas esses senadores pretensamente ameaçados seriam os mesmos que se esforçam para resgatar a imagem do Senado, extremamente desgastada por não ter cassado, em 2007, o ex-presidente Renan Calheiros (PMDB-AL), acusado de enriquecimento ilícito e ligações promíscuas com empreiteiras.

As notas do Painel

Antes de se dirigir explicitamente a Efraim, a coluna faz menção ao fato de que empresas supostamente favorecidas pelo senador da Paraíba em contratos de terceirização de mão-de-obra seriam, também, contratadas do governo federal. Veja as duas notas, na íntegra. Em todas. Investigadas pela PF sob suspeita de participação em esquema de fraudes no Senado, as empresas Conservo Brasília e Ipanema, de terceirização de mão-de-obra, receberam R$ 360 mi desde 2004 do governo federal. Prestam serviços de limpeza e segurança para uma dezena de ministérios. Estilo Renan. O primeiro-secretário, Efraim Morais (DEM-PI), cujo nome foi citado por empresários da Conservo em escutas, tem feito ameaças veladas a quem pensa em levar o caso ao Conselho de Ética. Ele e o diretor-geral da Casa, Agaciel Maia, têm forte influência sobre a Secretaria de Controle Interno, espécie de "caixa preta" dos gastos dos senadores.

Demitindo a filha

O senador Efraim Morais anunciou ontem, através do portal Wscom, de João Pessoa, que está demitindo a sua filha caçula, a jornalista Caroline Morais, 21 anos, do emprego que lhe arranjou no seu próprio gabinete e pelo qual a jovem recebia R$ 3.600 por mês. A demissão, que deverá ser publicada neste sábado pelo setor de Atos do Senado Federal, acontece quase dois anos após a admissão de Caroline e 72 horas depois que a Folha de S. Paulo divulgou a relação dos parentes e amigos que Efraim empregou como senador e primeiro secretário da Casa. Ao Wscom, Efraim declarou que está "cortando na própria pele" para mostrar ao Brasil e à Paraíba que convive bem "com as adequações do novo tempo". Anteontem, da tribuna do Senado, o senador defendeu que o Congresso aprove uma lei antinepotismo válida para todo o país, todos os poderes e esfera de poder.

A lista de Efraim

Segundo a Folha de S. Paulo, em sua edição de terça-feira (5), "articulador da criação de mais 97 cargos comissionados no Senado, Efraim Morais (DEM-PB) mantém em seus gabinetes na Casa pelo menos sete familiares, além de seis parentes de seus aliados políticos". Caroline, sobrinhas e sobrinho do senador fazem companhia na folha do Senado a parentes de aliados do senador como o governador Cássio Cunha Lima (PSDB) e seu primo Arthur Cunha Lima, deputado estadual e presidente da Assembléia, do mesmo partido, e o vice-governador José Lacerda Neto (Dem), entre outros. Veja quem são os principais favorecidos com os empregos dados por Efraim no Senado:
Caroline Morais, filha, R$ 3.600;
- Delano de Oliveira Aleixo, casado com Ana Cristina Souto Maior Aleixo, sobrinha do senador, com salário não revelado;
- Ana Karla, sobrinha (salário não revelado);
- Ana Karina, sobrinha (salário não revelado);
- Glauco Morais, primo, salário de R$ 6.400 e sócio de um portal que recebia R$ 120 mil por ano para manter um banner do Senado;
- Raissa Lacerda Aquino, filha do vice-governador José Lacerda, de salário não revelado;
- Roberto Aquino, marido de Raissa Lacerda, que substituiu a mulher na folha do Senado;
- Ronaldo Cunha Lima Filho, o Ronaldinho, irmão do governador Cássio Cunha Lima, empregado com um salário de R$ 8.000 mensais, depois reduzidos para R$ 6.300;
- Lúcio Cunha Lima, filho de Arthur Cunha Lima, salário de R$ 6.400;
- Bruno Catão, filho de Fernando Catão, com salário de R$ 2.600;
- Pedro Catão, filho de Fernando Catão, que substituiu o irmão na folha do Senado, provavelmente com o mesmo salário.
Da Redação Do Portal, www.portalcorreio.com.br

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Mais uma de Efraim (DEM-PB)

Entidade denuncia 'mutretas' de Efraim no interior

Há duas semanas com seu nome exposto de forma negativa na grande mídia nacional, o senador Efraim Morais (Dem-PB) enfrenta agora acusação de manipular concessões de rádios comunitárias no interior da Paraíba. Segundo denúncia da Abraço - Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária na Paraíba (Abraço-PB), Efraim teria manobrado para obter a licença de mais uma emissora comunitária, dessa vez em Jericó, em favor de uma entidade por ele controlada. Leia a denúncia na íntegra, a seguir, conforme está publicada no portal da Abraço-PB. AS MUTRETAS DE EFRAIM O senador Efraim Moraes, que está na mira da imprensa nacional por denúncias de maracutaias no Congresso, é conhecido pelos seus métodos pouco éticos na forma de fazer política. Se no Congresso, rodeado pela imprensa, ele faz do que faz, imagine no interior da Paraíba! Da pequena cidade de Jericó, no sertão paraibano, chegou à ABRAÇO-PB denúncia de que o senador e seus asseclas andaram aprontando em processo de outorga de licença para rádios comunitárias. Sabe-se que o senador controla inúmeras rádios ditas comunitárias, entregues a cabos eleitorais. Em Jericó, 4 entidades participaram de concorrência para obter licença de funcionamento de rádio comunitária: 01- Associação de Radiodifusão Comunitária de Jericó 02- Associação Comunitária Sociedade de Jericó 03- Associação Amigos doi Bairro ASSAB 04- Associação Comunitária dos Moradores de Jericó. A cidade tem pouco mais de sete mil habitantes, e cada uma dessas associações conseguiu abaixo-assinado de apoio com mais de 2 mil assinaturas. Comenta-se que a entidade vencedora, ligada a Efraim Moraes, pegou assinaturas de pessoas que não residem na localidade. Resultado: a única entidade realmente comunitária, do povoado de Vertentes, foi preterida. Mas já está apelando ao Ministério das Comunicações para ter sua rádio comunitária. São esses os métodos de fazer política do senador Efraim Moraes. É assim que se dá o processo de licença para rádios comunitárias em todo o Brasil. Uma vergonha! O Portal tentou entrevistar o senador Efraim Moraes por telefone, por volta das 11h, mas o aparelho acionou a caixa de mensagem. Um de seus assessores informou que ele estava em audiência, em Brasília, com o ministro da Justiça, Tarso Genro. Do Portal www.correiodaparaiba.com.br

Agaciel Maia e o primeiro-secretário Efraim Morais (DEM-PB) correm risco de cair por causa de contratos de terceirização

O diretor-geral do Senado, Agaciel Maia, corre o risco de perder o cargo por conta de escândalo em contratos de terceirização de mão-de-obra na Casa. Investigação da Polícia Federal descobriu que empresários negociaram um esquema de fraudes em licitações milionárias no Senado para esse tipo de contratação, com base em informações privilegiadas repassadas por funcionários da Casa.

Gravações telefônicas feitas com autorização da Justiça revelam como as empresas Conservo, Ipanema e Brasília Informática tramaram juntas para excluir concorrentes e vencer as licitações para fornecer mão-de-obra terceirizada. Com a ajuda de servidores do Senado, as empresas descobriam quem estava interessado em determinada concorrência, faziam acordos "por fora" com compensações financeiras e decidiam com antecedência o resultado da licitação. Os diálogos, muitos com o uso de códigos, demonstram intimidade entre os empresários e os funcionários da Casa. Agaciel e o primeiro-secretário da Mesa, Efraim Morais (DEM-PB) são citados nas gravações da Operação Mão-de-Obra da PF

Ele passou para a Mesa Diretora a decisão de suspender três contratos suspeitos de fraude, ao responder à proposta feita pelos senadores Aloizio Mercadante (PT-SP) e Demóstenes Torres (DEM-GO), como meio de "melhorar a imagem do Senado".

Um desses contratos de terceirização de funcionários, firmado com a Ipanema, chamou a atenção do Ministério Público pela diferença entre o valor do salário do trabalhador e o que é repassado pelo Senado para a empresa. A diferença entre o que ganha o trabalhador e o que recebe a empresa é bem superior à média de dois e meio salários - considerado o ideal pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Ou seja, para um salário de R$ 1 mil, o correto seria repassar de R$ 2,5 mil a R$ 3 mil, o que cobriria o gasto com o pagamento dos encargos e o lucro da contratante.

Assinado em 2005, na gestão de Renan Calheiros (PMDB-AL), esse contrato foi renovado até março de 2009 e custa R$ 2,15 milhões por mês ao Senado. Prevê a contratação de 313 servidores, a maior parte sem qualificação superior. Se o valor saísse direto da instituição, possibilitaria a cada um dos contratados ter um salário de R$ 6,8 mil.

Entre os cargos terceirizados, um produtor-executivo da Rádio Senado, por exemplo, recebe R$ 4,03 mil - isso corresponde a menos da terceira parte dos R$ 13,96 mil que a Casa paga à Ipanema para contar com esse trabalhador. O salário dos nove arquivistas de mídias é de R$ 2,6 mil, quase quatro vezes menos do que os R$ 8,6 mil que o Senado entrega à empresa.

Efraim ganhou notoriedade nos últimos meses como autor da proposta para introduzir um novo cargo de confiança no Senado, com salário de R$ 9,7 mil - além dos seis já existentes com salário do mesmo valor e outros seis, de remuneração um pouco inferior. O senador também é o responsável pelos contratos que obrigam o Senado a repassar a quatro pequenos portais da internet de empresas da Paraíba R$ 4 mil por mês, como pagamento pela exibição da marca da instituição e pela divulgação de notícias da Casa. É o mesmo o que fazem os demais órgãos de comunicação de graça. O valor anual com cada uma das empresa é de R$ 48 mil, ou R$ 192 mil pelos quatro. Gravações envolvem o diretor da Casa e o senador Efraim Morais- DEM.Leia mais 

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Vergonha. Efraim do DEM da Paraiba é citado em grampo da PF

De novo: Efraim citado em grampo da PF sobre 'máfia das licitações' no Senado 



O senador Efrain Morais continua dando espetáculo no noticiário da grande imprensa, que vem fazendo uma marcação cerrada no parlamentar paraibano. Morais tem um longo histórico de "peraltices" que o caracterizam como um político de métodos que não se preocupam muiito com a lisura. Dessa vez ele é manchete no Correio Braziliense, que abre generoso espaço na sua página principal para registrar as espertezas do senador paraibano, que estaria envolvido com suposta máfia para fraudar licitações.
Matéria principal de capa do Correio Braziliense, principal diário de Brasília (DF), em sua edição desta quarta-feira (6), informa sobre a participação de altos integrantes do Senado Federal em suposta máfia que promovia fraudes em licitações. Os servidores flagrados em conversas telefônicas pela Polícia Federal, e, denunciados pelo Ministério Público, são Aloysio Brito Vieira e Dimitrios Hadjinicolaou, lotados na Secretaria de Compras e Administração em 2006. As gravações mencionam, ainda, o senador Efraim Morais, Primeiro Secretário do Senado, e o diretor geral, Agaciel Maia. Na seqüência, na íntegra, a matéria de capa do Correio Braziliense. Máfia recebe ajuda de servidores no Senado As fraudes em licitações no Senado, denunciadas pelo Ministério Público, contam com a participação de servidores da Casa, segundo gravações telefônicas feitas pela PF. Os diálogos revelam que as empresas Conservo, Ipanema e Brasília Informática faziam acertos para eliminar concorrentes e vencer contratos de fornecimento de mão-de-obra especializada. A investigação aponta o envolvimento de altos integrantes do Legislativo no esquema. Aloysio Brito Vieira e Dimitrios Hadjinicolaou, lotados na Secretaria de Compras e Administração em 2006, são acusados de repassar informações privilegiadas às empresas terceirizadas. Trechos das gravações também mencionam o diretor-geral, Agaciel Maia, e o primeiro-secretário, senador Efraim Morais (DEM-PB). A matéria completa Na matéria veiculada nas páginas internas do Correio Braziliense, os jornalistas Leandro Colon e Marcelo Rocha revelam como empresas terceirizadas fechavam acordo com a cúpula da Casa para ganhar licitações. Tudo consta em processo movido pelo Ministério Público. Na íntegra, a matéria das páginas internas do Correio Braziliense, a seguir. "Tema do dia - Operação mão-de-obra O caminho da fraude no Senado Empresas terceirizadas fechavam acordo com a cúpula da Casa para ganhar licitações, segundo o MP Leandro Colon e Marcelo Rocha - Da equipe do Correio “Vamos beber vinho”. Com esse código, empresários negociaram um esquema de fraudes em licitações milionárias no Senado que contou com informações privilegiadas repassadas por funcionários da Casa. Gravações telefônicas feitas pela Polícia Federal com autorização da Justiça revelam como a Conservo, a Ipanema e a Brasília Informática tramaram juntas as jogadas para excluir concorrentes e vencer as licitações para fornecer mão-de-obra terceirizada. Com a ajuda de servidores do Senado, as empresas descobriam quem estava interessado em determinada concorrência, faziam acordos por fora com compensações financeiras, e decidiam com antecedência o resultado da licitação. Os diálogos, muitos com o uso de códigos, demonstram intimidade entre os empresários e os funcionários da Casa. Em 11 de abril de 2006, Aloysio Brito Vieira, então secretário de Compras do Senado, recebeu uma ligação de Victor João Cúgola, dono da Conservo. O servidor do Senado chama o empresário de “irmãozinho” nessa conversa. Segundo o MP, Cúgola telefonou para reclamar que o Senado estaria dificultando a vida da Conservo. “Puxaram meu tapete”, disse. No dia 5 de maio daquele ano, o Diário Oficial da União publicou a vitória da empresa na licitação para condução e manutenção de veículos do Senado por R$ 456 mil por mês. Em 2 de julho passado, o Correio revelou que esse contrato deveria terminar em 1º de junho deste ano, mas foi prorrogado sem licitação até 31 de maio de 2009. No diálogo, Aloysio Vieira, que hoje cuida da Secretaria de Fiscalização e Controle do Senado, conta a Cúgola que o dono da Ipanema, José Carlos Araújo, o informou que teria um “contrato” com o colega da Conservo. Para o MP, isso confirma que Aloysio sabia que havia um acordo entre as duas empresas: a perdedora receberia uma compensação financeira. Em 24 de março de 2006,a Ipanema assinou contrato para prestar serviços de mão-de-obra indireta para a Secretaria de Comunicação Social e outros órgãos do Senado. Seis dias depois, Victor Cúgola, da Conservo, admite ter “combinado” uma compensação de R$ 4 milhões da Ipanema referente a essa concorrência, segundo a denúncia do MP. Esse contrato, aliás, foi prorrogado até 30 de março do ano que vem. As transcrições das conversas aparecem em relatórios do Ministério Público Federal com base em inquérito da PF. No material, obtido pelo Correio, surgem dois nomes de alto calibre: o diretor-geral do Senado, Agaciel Maia, e o primeiro-secretário, senador Efraim Morais (DEM-PB). Ambos são citados pelos empresários e por funcionários da Casa. Esses contratos sob suspeita somam mais de R$ 35 milhões e foram prorrogados este ano sem licitação, o que atende ao desejo do esquema, segundo o MP. Isso porque, diz a denúncia feita pelos procuradores da República, o objetivo das empresas é se perpetuar dentro do Senado. “As apurações evidenciam a existência de uma grande organização criminosa”, destaca o documento. Segundo os relatórios, um ex-servidor do Senado, Eduardo Bonifácio Ferreira, era o intermediário das negociações. De acordo com a investigação, ele e os donos das empresas marcaram encontros no Parque da Cidade entre fevereiro e março de 2006 pela manhã e à tarde para beberem “vinho”. Na interpretação dos investigadores, a bebida seria um código usado para disfarçar a negociação pelas concorrências do Senado. As autoridades que comandaram a investigação levantaram a possibilidade de que o pagamento de propina teria sido feito nesses encontros. Numa conversa com Márcio Fontes, da Brasília Informática, Paulo Duarte diz que está com um “menino lá dentro” do Senado. Para o MP, isso reforça a tese de que os funcionários da Casa repassavam informações privilegiadas aos empresários. O esquema começou na gestão de Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência da Casa e teria continuado agora na gestão de Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN). Os donos da Conservo e da Ipanema, e os servidores do Senado Dimitrios Hadjinicolaou e Aloysio Vieira foram denunciados em março deste ano por improbidade administrativa. O documento foi baseado na investigação feita em 2006 pela PF e pelo MP". Correio lembra Operação Mão-de-Obra, da PF Em matéria coordenada nas páginas internas, o Correio Braziliense lembra a Operação Mão de Obra, da Polícia Federal, que cumpriu mandados de prisão expedidos pela Justiça contra empresários das empresas envolvidas nas licitações do Senado. Na integra, a matéria. Memória: PF desmonta golpe A Operação Mão-de-Obra ocorreu em 26 de julho de 2006. Foram mobilizados 170 agentes federais para cumprir mandados de prisão expedidos pela Justiça contra servidores públicos e empresários, entre eles os empresários Victor João Cúgola (dono da Conservo) e José Carlos Araújo (dono da Ipanema). Houve buscas e apreensões de documentos em cinco órgãos federais — Agência Brasileira de Inteligência (Abin), ministérios da Justiça, do Trabalho e da Ciência e Tecnologia, Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e Senado. A ação teve origem em denúncia sobre fraude em licitações e superfaturamento de contratos desses órgãos com três empresas fornecedoras de mão-de-obra terceirizada — Conservo, Ipanema e Brasília Informática. A primeira denúncia lançava suspeitas apenas sobre contratos na pasta da Justiça. Depois, a investigação abarcou todos os locais em que elas haviam vencido licitações. A PF indiciou 19 pessoas, atribuindo a elas crimes como formação de quadrilha e cartel, fraude em licitação e corrupção. Baseado no inquérito policial, a Procuradoria da República no Distrito Federal denunciou 18 acusados à Justiça Federal — a acusação foi transformada em ação penal. Tramitam também ações contra elas por atos de improbidade administrativa". Efraim coloca a culpa em Tião Viana, diz colunista do Correio Nota da colunista Denise Rothemburg, do CB, diz que o senador Efraim Morais tem colocado a culpa das denúncias nos ombros do também senador Tião Viana, do PT do Acre. Leia, na íntegra. Virou alvo - Pré-candidato a presidente do Senado, Tião Viana (PT-AC) leva sua primeira flechada da oposição. E vem direto do senador Efraim Morais (DEM-PB), o primeiro-secretário da Casa, citado em denúncias que vão desde a contratação de agência de publicidade a parentes. Em conversas com outros senadores, ele tem colocado a culpa no petista, hoje primeiro-vice presidente do Senado. É o primeiro passo do DEM no sentido de tirar fôlego da candidatura de Viana. Senador deve ser pronunciar ainda hoje Segundo informações veiculadas em portais de João Pessoa, Efraim Morais deve se pronunciar ainda nesta quarta-feira (6) sobre as denúncias envolvendo o seu nome. Da Redação, com Paraibeabá

terça-feira, 5 de agosto de 2008

João Pessoa - PATRIMÔNIO CULTURAL NACIONAL

05 de Agosto, João Pessoa faz 423 anos e se transforma em Patrimônio Cultural Nacional.

Iphan homologa nesta terça-feira o tombamento de João Pessoa

Imagem: Site www.romulogondim.com.br

Efraim do DEM-PB faz a festa no Senado

DEM FAZ A FESTA NO SENADO 
Senador do DEM emprega 7 parentes em seus gabinetes
Primeiro-secretário da Casa, Efraim Morais contratou ainda 6 parentes de aliados
Democrata foi o articulador da fracassada tentativa de criar mais 97 novos cargos comissionados no Senado, com salário de R$ 10 
Articulador da criação de mais 97 cargos comissionados no Senado, Efraim Morais (DEM-PB) mantém em seus gabinetes na Casa pelo menos sete familiares, além de seis parentes de seus aliados políticos.Em 2005, ao se tornar primeiro-secretário (posto responsável pela contratação de obras e serviços), Efraim ampliou seu poder de nomeação: na Primeira Secretaria, ele detém no mínimo 14 cargos.A partir de 2005, o número de parentes de Efraim na Casa aumentou. Entre 2003 e 2004, a reportagem identificou quatro parentes -três sobrinhas e um sobrinho. Já como primeiro-secretário, os parentes subiram para sete -nomeou mais três sobrinhas e até a filha caçula. Estudante de jornalismo, Caroline Morais, 21, tem salário de R$ 3.600 mensais e foi lotada no gabinete do senador.Ainda na Primeira Secretaria, Efraim colocou Delano de Oliveira Aleixo, que é casado com Ana Cristina Souto Maior Aleixo, outra sobrinha do senador. Em 2003, as irmãs dela, Ana Karla e Ana Karina, foram empregadas no gabinete pessoal de Efraim.Em 2006, Efraim nomeou para seu gabinete o primo Glauco Morais, ganhando R$ 6.400 mensais. Em 2005, a Folha já revelara que o portal do qual Glauco era sócio tinha contrato de R$ 120 mil por ano com o Senado para ter um banner do site da Casa. Após a reportagem, Efraim cancelou o contrato, mas outros quatro sites da Paraíba ainda mantêm contratos com o Senado no valor de R$ 48 mil por ano.Em março de 2007, Glauco deixou o Senado para se tornar chefe-de-gabinete do vice-governador da Paraíba, José de Lacerda (DEM). Em junho daquele ano, Efraim deu à filha de Lacerda, Raissa Lacerda Aquino, um cargo AP-4. Neste ano, ela será candidata a vereadora em João Pessoa pelo DEM e teve de deixar o posto. Para o cargo, Efraim nomeou o marido de Raissa, Roberto Aquino.Efraim também agradou o governador Cássio Cunha Lima (PSDB) nomeando Ronaldo Cunha Lima Filho, irmão de Cássio, como assessor técnico (R$ 8.000 mensais, depois reduzidos para R$ 6.300).O presidente da Assembléia Legislativa da Paraíba, Arthur da Cunha Lima (PSDB), tem o irmão, Lucio, como funcionário do gabinete de Efraim: ele é secretário parlamentar, com salário mensal é de R$ 6.400.Primeiro suplente de Efraim, Fernando Catão arranjou emprego para os filhos no Senado. Em períodos diferentes, Bruno Catão e Pedro Catão foram lotados no gabinete do senador e na liderança da minoria. Bruno deixou o Senado em 28 de outubro de 2005, mesmo dia em que irmão foi nomeado para uma vaga de AP-3, com salário de R$ 2.600 por mês. Fernando Catão foi escolhido em 2007 conselheiro do TCE da Paraíba.Segunda suplente de Efraim, a prefeita de Bananeiras, Marta Ramalho, nomeou o filho, Ricardo Sérgio, secretário de Obras local. Em Brasília, emplacou o neto Ricardo Sérgio Filho no gabinete de Efraim.
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc0508200815.htm
Isso que é Família, Tradição e Propriedade

domingo, 3 de agosto de 2008

F1 - Imagem do GP da Hungria

Motor tira a vitória de Massa que cai para terceiro no Campeonato, enquanto que L Hamilton mantem a liderança e K Haikkonen pula para a vice liderança.
Depois de perder a vitória no GP da Hungria por três voltas, Felipe Massa apareceu para a entrevista coletiva junto aos jornalistas calmo e resignado.

O piloto da Ferrari, que fez uma de suas melhores corridas na temporada, partiu em terceiro e tomou a liderança de Lewis Hamilton por fora na primeira curva, abrindo uma diferença gradual para o rival inglês da McLaren.

Quando Hamilton foi obrigado a antecipar sua parada por causa de um pneu furado, Massa tinha a vitória na mão. Mas, de acordo com o jargão popular, uma corrida só acaba após a bandeira quadriculada. E o brasileiro sentiu isso na pele.

A três voltas do fim, com uma vantagem segura para Heikki Kovalainen, da McLaren, e poupando o equipamento, Massa foi surpreendido com uma incomum quebra no motor Ferrari em plena reta dos boxes. Sem ter o que fazer, Felipe estacionou e só pôde lamentar o infortúnio.

"Aconteceu completamente sem aviso, sem indicação. Estava administrando a corrida, sem tomar nenhum risco", explicou. "Estou muito frustrado, pois tinhamos um bom carro e tudo foi perfeito até a antepenúltima volta."

"Infelizmente, o automobilismo pode ser cruel. Demos tudo de nós, mas coisas assim acontecem. No entanto, precisamos reagir rapidamente. Existem sete corridas e 70 pontos em jogo. Dá tempo para melhorar", continuou Massa, que elogiou os rivais.

"Nossos concorrentes estão fortes, mas mostramos neste fim de semana que estamos no mesmo nível que eles", encerrou o brasileiro, que caiu para terceiro no Mundial com 54 pontos, oito a menos que Lewis Hamilton, o líder.

Palavra de Presidente.

Lula diz que é hora de trabalhador reivindicar salário.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um discurso inflamado neste sábado, 2, durante a posse da nova direção do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. A centenas de sindicalistas presentes, Lula disse que "esta é a hora de se reivindicar salários, aumentos de conquistas e mais direitos trabalhistas". Lula complementou que a economia cresce, os salários crescem, e o emprego sobe como jamais subiu e esse "é o momento em que você (os trabalhadores) deve conquistar salários". O presidente disse ainda que é preciso saber a hora, porque quando a economia deixar de crescer o que o trabalhador terá é desemprego. "Estou falando quase como presidente do sindicato, mas é assim mesmo", afirmou. Lula ressaltou, no entanto, que o mundo vive um momento preocupante. Ele explicou aos sindicalistas que a crise norte-americana, começou no mercado imobiliário no ano passado, fará com que os pobres paguem a conta. "Eles estavam no cassino nos Estados Unidos e agora pularam para o mercado especulativo futuro do petróleo e dos alimentos. Aí veio a inflação mundial", afirmou. Desta vez, no entanto, segundo o presidente Lula, o Brasil está mais preparado. Ele reiterou que a crise dos alimentos é um problema para alguns, mas é uma oportunidade extraordinária para o Brasil. O governo, segundo ele, está investindo forte em agricultura a ponto de fazer com que "até aquele nordestino deixe de plantar macaxeira e tenha máquinas para alimentar o Brasil e o mundo". Falando ainda sobre economia, o presidente citou aos sindicalistas que o investimento privado até 2012 totalizará US$ 400 bilhões e foi listando as obras em andamento para justificar o bom momento vivido pela economia. Até março de 2009, disse, serão anunciadas quatro novas siderúrgicas, duas refinarias de petróleo - uma no Maranhão e outra no Ceará - e destacou também a licitação do trem bala Rio-São Paulo-Campinas, investimento no valor de US$ 9 bilhões. Lula disse ainda que serão investidos US$ 6 bilhões em duas hidrelétricas, além de uma refinaria em Pernambuco em parceira com a Venezuela. "A palavra de ordem é aumento do investimento em produção", disse o presidente, destacando ainda uma nova fábrica da Toyota em Sorocaba e a intenção da montadora coreana Hunday abrir outra fábrica no Brasil. Ainda sobre a questão da inflação, que ele considera preocupante, Lula disse que o governo está tomando todos os cuidados necessários para mantê-la sob controle.