terça-feira, 16 de setembro de 2008

Professores param em todo o país em defesa do piso salarial criado por Lula



Os professores vão parar suas atividades nesta terça-feira (16) para chamarem atenção sobre a necessidade da implantação o mais rápido possível do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) nos estados e nos municípios. Desde que a lei foi sancionada há um movimento, liderado pelos governos tucanos do Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais, para impedir sua implementação.
Os argumentos dos governadores não se sustentam, a não ser pela opção política de continuarem a oferecer uma educação barata e de pouca qualidade, diz o chamamento da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). O presidente da CNTE, Roberto Leão, destaca que a paralisação é a primeira etapa de uma ampla campanha nacional que busca garantir o cumprimento da lei. Até o final do ano, sempre no dia 16, serão realizados atos públicos, assembléias, mobilizações e paralisações em defesa do piso. A mobilização será uma forma de inibir ações dos estados para derrubar pontos da lei do piso. As eleições municipais de outubro também vão contribuir em função do desgaste que representam. E a boa notícia é que os governadores de Pernambuco e Piauí já decidiram instituir o piso de R$950,00. Após as eleições municipais serão organizadas caravanas a Brasília para pressionar o Congresso contra projetos de lei que possam propor alteração da legislação do piso e audiências públicas em Câmaras de Vereadores e Assembléias Legislativas para debater a implantação do piso.
Apoio dos parlamentares.
A CNTE destaca que vários parlamentares já se posicionaram a favor do piso nacional. O deputado Severiano Alves (PDT-BA), considera inoportuna qualquer discussão sobre a inconstitucionalidade do piso. Segundo ele, não haverá do Congresso Nacional nenhum apoio neste sentido. Outro que apoia o piso dos educadores é o deputado Gastão Vieira (PMDB-MA): ''vou defender o novo piso custe o que custar e serei contrário a qualquer alteração no texto original''. A senadora Ideli Salvati (PT-SC) avisou que ''não vamos deixar que um retrocesso atinja essa conquista. Para isso, lutaremos junto com os trabalhadores e o Ministério da Educação para que o piso seja aplicado em todos os estados''. Para Leão, defender a adoção do Piso Salarial Nacional é lutar pela qualidade da educação no país. ''A sociedade precisa saber que o Piso é um importante passo para que o Brasil possa oferecer uma educação de qualidade a crianças, jovens e adultos, independente de seu município ou estado'', finaliza.
Acompanhe a programação.
Ceará: Concentração às 9h na Assembléia Legislativa. Às 14h - Debate sobre o Piso Salarial, no Auditório da FTD; Distrito Federal: Mobilização em frente à Câmara Legislativa para pedir a implantação imediata da Lei de Piso; Goiás: Manifestação às 9h na Secretária da Fazenda; Maranhão: Mobilização nas escolas de São Luis e panfletagem em vários pontos da cidade; Minas Gerais: Assembléia às 15h, no pátio da Assembléia Legislativa de Minas Gerais e passeata até o Palácio da Liberdade; Pernambuco: Audiência em defesa do piso na Assembléia Legislativa do estado; Piauí: A partir das 8 horas, Seminário no Auditório Mestre Dezinho, no Centro de Artesanato e assinatura de carta compromisso aos candidatos a Prefeito e Vereadores nas eleições de outubro solicitando a implantação do piso nos municípios; Rio Grande do Sul: Paralisação em todo estado, no horário de funcionamento das escolas; Rondônia: Passeata pelas principais ruas da capital, com realização de assembléia para discutir a pauta de reivindicações 2009; Santa Catarina: Mobilização em todas as escolas estaduais e municipais. E no dia 17, às 8h30, Seminário sobre o Piso Nacional no CEDUP, em Lages; São Paulo: Seminário Jornada e Diretrizes da Carreira Docente, de 9 às 14h, na Assembléia Legislativa; Sergipe: Ato público a partir das 8h, em frente à Caixa Econômica Federal, no calçadão da Rua João Pessoa, em Aracaju.

Nenhum comentário: