domingo, 12 de outubro de 2008

F1- Nem tudo está perdido


Nervosismo, toques e emeções.

Antes da corrida, Massa disse que uma largada ótima seria aquela em que ultrapassasse mais de dois carros. Pois foi ruim, já que ficou onde saiu, em quinto. Mas, para felicidade do brasileiro, Hamilton conseguiu fazer pior. Perdeu a primeira posição para Raikkonen e, em vez de manter a calma, partiu de forma nervosa em cima do finlandês. Resultado: os dois escaparam, abrindo caminho para Kubica e Alonso tomarem os dois postos do topo da etapa.

David Coulthard e Kazuki Nakajima também se deram mal na saída tumultuada. O veterano escocês bateu feio, enquanto o japonês perdeu uma peça do carro e teve a atuação em casa arruinada.

Depois de uma volta, Felipe era o quinto, seguido do rival inglês. Naquele cenário, Lewis só perderia um ponto de vantagem. Mas, ao contrário do que propalou nos dias anteriores à prova, deixou se levar pelo ímpeto. Conseguiu ultrapassar o piloto da Ferrari, mas foi tocado pelo adversário logo em seguida. Rodou, ficou virado para o lado oposto da pista e caiu para a última posição.

Fotos: Kimimasa Mayama/EFE


Foi uma manobra bem discutível de Massa. Logo veio à mente o caso de Spa-Francorchamps, em que Hamilton foi punido por cortar uma chicane. Algumas passagens depois do incidente, veio a confirmação de que os comissários de pista analisariam confusões envolvendo os carros 1 (RAI), 2 (MAS) e 22 (HAM). 

Foram punidos com um drive-through Lewis, pela largada nervosa, e Massa, pelo toque no britânico. No frigir dos ovos, a McLaren se deu melhor com essa história porque era o ferrarista quem tinha de tirar uma desvantagem no campeonato.

Na mesma volta em que Hamilton foi punido, Heikki Kovalainen abandonou com problemas mecânicos. Péssimo dia para Ron Dennis e companhia limitada.

Boa tática + velocidade = segunda vitória 

Com Massa e Hamilton na rabeira, as atenções na ponta do GP se voltaram para Kubica e Alonso. O polonês da BMW Sauber estava na frente, e o bicampeão teria de se virar para roubar a liderança. Mas, assim como em Cingapura, o asturiano brilhou tanto na pista, como no pit-lane.



Fernando partiu para uma estratégia ousada. Enquanto Kubica colocou bastante combustível na parada realizada na 18ª volta, o piloto da Renault resolveu deixar o carro mais leve, para ganhar vantagem e fazer o segundo pit-stop antes do adversário. O mecânicos ajudariam não fazendo bobagem nos boxes. A parte de Alonso era meter o pé no acelerador.

E o espanhol acelerou muito. Em média, foi 0s4 mais rápido do que Robert em cada volta após a parada inicial. Quando voltou aos boxes, na passagem 44, tinha pouco mais de dez segundos de vantagem. Que foi ideal. Kubica parou três giros depois. E foi superado.

A partir daí, tudo o que Alonso fez foi manter a primeira posição, sem sobressaltos, até o fim. Lógico que novamente contou com uma boa dose de sorte, que acompanha os campeões. E não quer largar do bicampeão.

Já o polonês da BMW teve de segurar firme a segunda posição, após algumas investidas de Raikkonen.


Renault e Toro Rosso em alta

Entre os demais pilotos na zona de pontuação, grande destaque para Nelsinho Piquet. O brasileiro também contou com uma bela estratégia de boxes realizada pela Renault. Com bom rendimento, garantiu a quarta colocação.

Jarno Trulli acabou em quinto, seguido por Bourdais. Ambos tiveram a honra de ser líder durante a corrida, no instante da primeira parada de Alonso e Kubica. O italiano pôde, assim, ter um momento de alegria com os torcedores da Toyota, proprietária do circuito de Fuji. Já o francês comemorou com Sebastian Vettel outro excelente desempenho da Toro Rosso. O alemão acabou em sétimo. Mas a festa seria estragada.

Felipe Massa. Um ponto suado mais um de presente

Massa ainda conseguiu abocanhar um pontinho nas últimas voltas. Teve de lutar bastante por ele contra Mark Webber. Em um prova marcada pelo imprevisível, todo cuidado era pouco. Mas o piloto da Ferrari saiu ileso a essa disputa, apesar de alguns arranca-rabos.

Só que o imponderável agiria de novo. Duas horas depois da bandeirada, o francês da Toro Rosso foi punido em 25 segundos por conduta imprópria em uma manobra que fez o brasileiro rodar. Mais um ponto na conta do ferrarista. O australiano da Red Bull ganhou um oitavo lugar de presente, assim como Vettel herdou a sexta colocação.



Agora, Hamilton tem 84 pontos contra 79 de Felipe. A próxima etapa será o GP da China, em Xangai, no próximo domingo (19). Uma corrida que pode decidir definitivamente a temporada 2008. A não ser que o “Sobrenatural de Almeida” queira estender a passagem dele nesse negócio chamado F-1. 



Nenhum comentário: