segunda-feira, 20 de outubro de 2008

A Ferrari exagerou: De todos os seus erros, esse foi o maior!

A expressão de Massa foi a mesma do torcedor nas arquibancadas: de decepção.

Desta vez a Ferrari se superou em erros: Depois de sair de uma corrida mesmo com minguados 2 pontos do Japão como favorita na China, A Ferrari de Felipe Massa, precisou de uma troca de posição com K Raikkonen para só depois de 14 segundos (Uma eternidade na F1) aparecer em segundo e a partir dai, sonhar que a MacLaren repita no Brasil, o que fez no ano passado, depois de atrapalhadas de L Hamilton, não marcar ponto nenhum. Utopia? Realidade? Na F1, a linha que separa todas as possibilidades, é tênue, imperceptível, tudo pode acontecer entre um piscar de olhos, mas também, a lógica determinada pelos engenheiros antes das corridas e sobretudo nos treinos, pode correr com toda precisão, e nesse momento, apesar da Ferrari já está cantando de galo como favorita no GP do Brasil, tudo pode já está sendo previsível pela MacLaren, que também canta para todo mundo ouvir, que basta apenas chegar em quinto lugar (situação essa aceita por qualquer pessoa) que leva o campeonato de Pilotos. Bastando para a Ferrari, mais um campeonato de Construtores e a incomoda situação de Vice.
Apática. Desta forma é possível sintetizar como foi a corrida de Felipe Massa em Xangai. Depois de quase perder a terceira posição na largada, o brasileiro, em nenhum momento, se mostrou candidato à vitória na China. A segunda posição na prova veio como um grande presente de Kimi Raikkonen, que ali devolveu o favor do GP do Brasil de 2007, quando o brasileiro cedeu a vitória e permitiu ao finlandês conquistar o título. Mas para Felipe, a situação neste ano é bem diferente. "Foi bem difícil, mas o carro estava bom de guiar. Hoje fizemos o máximo para brigar com a McLaren, mas uma delas estava bem mais rápida que nós", afirmou Massa, que, curiosamente, não citou o nome do vencedor Lewis Hamilton. "Optamos por largar com pneus macios, pois não tínhamos aderência suficiente com os duros e sabíamos que todos largariam com pneus duros", explicou o brasileiro, justificando o fato de ter usado uma tática diferente de Hamilton e Raikkonen. A ultrapassagem "fake" sobre o parceiro finlandês também foi comentada por Massa. "Foi no melhor momento da corrida para mim, pois estava bem rápido." Agora, o piloto da Ferrari sonha com um resultado quase utópico em São Paulo: para ser campeão, ele precisa vencer e torcer para o rival chegar em sexto, no máximo. "Vamos para a final com a cabeça erguida." "Nada acabou e muitas coisas podem acontecer em uma corrida. Será nossa corrida 'caseira' e seria um sonho conquistar o título lá", completou.

Nenhum comentário: