domingo, 19 de outubro de 2008

Lula em SP: ''há tempo para vencer, quero a vitória da Marta''


No ato de campanha da candidata do PT à Prefeitura de São Paulo, realizado neste sábado (18), na Casa de Portugal, na Liberdade, Centro de São Paulo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que Marta Suplicy tem tempo suficiente para vencer a eleição, mas reconheceu que a virada não será fácil. ''Daqui para frente, não tem mole. A Marta vai estar sempre bem equilibrada, simpática, bonita. Eu faço aniversário dia 27 e vocês me darão de presente a vitória da Marta'', disse Lula.
Lula pediu empenho e dedicação para a reta final Para o presidente, a candidata Marta foi vítima de preconceito na repercussão causada pelos comerciais da campanha petista que questionavam questões pessoais da vida do adversário Gilberto Kassab (DEM). ''Eu estava fora (em viagem ao Exterior) quando vi outro preconceito contra essa mulher, tentando passar a idéia de que essa mulher tem preconceito contra o homossexualismo. Exatamente essa mulher, que quando todos nós tínhamos preconceito, ela já estava no TV Mulher, defendendo as minorias desse país”, disse o presidente no evento. Segundo Lula, Marta, uma “guerreira”, foi transformada em “acusadora”. “Eles conseguiram transformar uma guerreira defensora de todas as minorias desse país em acusadora dessas mesmas minorias. E muitas vezes nós assimilamos a bordoada que eles nos dão e não revidamos. Quem é que participa das passeatas na Avenida Paulista, que é que endeusada na Avenida Paulista? Quem é que já foi vítima de preconceito porque defendia a minoria? Exatamente a Marta Suplicy'', argumentou. Lula disse que também já foi vítima de preconceito. “Ah, meu Deus do céu, se a imprensa me defendesse cada vez que fazem uma pergunta difamatória para mim. Se me defendesse cada vez que alguém pergunta: 'sabe falar inglês?', então não pode governar o Brasil.” Pesquisa. Ao comentar a pesquisa Datafolha divulgada na noite desta sexta-feira (18), em que Marta aparece com 37% das intenções de voto e Kassab com 53%, o presidente disse que há “tempo suficiente” para vencer a eleição. “Precisamos é saber que essa pesquisa publicada agora, feita na quinta ou na sexta-feira, ela nos dá o tempo suficiente para ocupar cada canto dessa cidade e convencer os companheiros e companheiras a votar na companheira Marta”, disse. Como estratégia de campanha, o presidente afirmou que não é preciso “falar mal do outro” candidato, e sim falar bem dela. “A gente só fala mal do outro quando não tem algo melhor para apresentar. Mas quando a gente tem um produto político melhor que o adversário, o que nós precisamos é apresentar corretamente”, concluiu. ''É importante lembrar que no segundo turno, cada voto que a gente ganhar é um voto que a gente tira deles. O que é dez vira cinco, o que é vinte vira dez, o que é 17 vira 8,5.'' No entanto, Lula reconheceu que a virada não será fácil e disse que ''daqui para frente, não tem mole”. “A gente não pode fazer como a seleção brasileira: ganha um jogo bom e no outro dia não joga nada. A gente precisa jogar bem todo dia. Essa eleição tem mais dois debates. A Marta vai estar sempre bem equilibrada, simpática, bonita. Eu faço aniversário no dia 27 e vocês me darão de presente a vitória da companheira Marta'', disse Lula. Marta se mostra confiante na virada Após o presidente Lula fazer seu discurso, Marta deixou o salão da Casa Portugal e foi saudar as aproximadamente 500 pessoas que estavam do lado de fora. Embora a pesquisa aponte distância de Kassab (DEM), Marta demonstrou confiança em uma virada. ''Não vamos falar mal do candidato. Vamos falar bem o que a gente fez'', destacou. A petista também fez duras críticas a atual administração municipal. ''Eles não querem perder a última trincheira do país. São Paulo tem um enorme abismo social. E eles não estão nem aí para quem acorda às 5 horas da manhã'', declarou. O evento, que começou com quase duas horas de atraso, além da presença do presidente Lula, contou com a participação de ministros, senadores e deputados petistas. ''Não vem querer ganhar a eleição na véspera, que não vão ganhar. Se alguém foi invadida e discriminada nesta cidade foi a Marta'', enfatizou o senador Aloizio Mercadante (PT).
Leia também: - Lula critica Serra e diz que greve reflete democracia Foto: Antonio Milena/AE

Nenhum comentário: