terça-feira, 7 de outubro de 2008

Mapa da eleição nas grandes cidades favorece Lula


O PMDB foi o partido que recebeu mais votos para prefeito neste domingo: 17,9 milhões em todo o país, seguido pelo PT, com 16,1 milhões, e o PSDB, 14,2 milhões. Já nas 26 capitais e no estratégico G-79 (grupo que inclui estas e mais 53 cidades com mais de 200 mil eleitores) o partido do presidente Lula figura em primeiro: chegou a 15 Prefeituras deste grupo e passou para o segundo turno em outras 15. A oposição (PSDB-DEM) elegeu 13 e vai ao segundo turno em 13.
. Veja o mapa e a tabela logo acima. O mapa indica as 26 capitais estaduais, na proporção de seu eleitorado. Das 15 que decidiram a eleição no primeiro turno, 12 são do campo do governo Lula (seis delas do PT) e apenas três da oposição – Curitiba, Teresina e Natal (onde foi eleita a candidata do PV, mas em coligação com o DEM e com postura oposicionista). A tabela mostra as posições conquistadas e as perspectivas dos partidos nas prefeituras do G-79. O partido de Lula conta atualmente com 17 cidades no grupo. Agora, a sigla já elegeu 13 prefeitos nesse universo. Está no segundo turno em outras 15 localidades no segundo turno. Pode, portanto, chegar a 28 cidades governadas. Em 11 segundos turnos disputados pelo PT o candidato da legenda obteve a classificação na posição de primeiro colocado. Em segundo lugar no G79 estão, empatados, PSDB e PMDB. Os tucanos e os peemedebistas já elegeram 9 prefeitos no primeiro turno cada. No segundo turno também estão idênticos, com 11 disputas. O PCdoB elegeu um prefeito de capital no primeiro turno (Edvaldo Nogueira, em Aracaju) e disputa outra no dia 26 (Flávio Dino enfrentará o tucano João Castelo em São Luís). Os comunistas também mantiveram a Prefeitura de Olinda (PE), que participa do G-79, ao eleger Renildo Calheiros no primeiro turno. O quadro da votação de domingo em geral favorece as forças da base de Lula. Mas o balanço político da eleição municipal ainda terá que esperar pelo segundo em São Paulo – maior metrópole do país, onde Gilberto Kassab (DEM+Serra) e Marta Suplicy (PT) travam uma disputa de resultado incerto. Da redação, com agências

Nenhum comentário: