quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Diário Oficial do Estado desvenda relações vantajosas do bispo com tucano cassado


Desvendado o mistério. E não foi preciso a interferência divina para que os paraibanos ficassem sabendo as razões da apaixonada defesa do representante de Deus na terra dos tabajaras em relação ao governador cassado Cássio Cunha Lima (PSDB). O diário oficial de ontem, último dia de Cássio frente ao governo paraibano, traz um convênio no valor de R$ 667.141,42 firmado entre o Estado a Arquidiocese da Paraíba instituição dirigida pelo arcebispo dom Aldo Pagotto.
A respeitável importância será gerida pelo religioso que pretende empregá-la na ajuda a pessoas carentes entre elas, crianças, gestantes nutrizes, idosos da periferia da capital. Dom Aldo tem se notabilizado pelo seu estreito relacionamento com o que tem de mais comprometido com a corrupção na política paraibana. Ele é íntimo do governador cassado Cássio Cunha Lima e do senador tucano, Cícero Lucena, preso pela Polícia Federal por envolvimento em crimes contra o patrimônio público. Um dos últimos atos do Governo Cássio Cunha Lima, publicado no Diário Oficial da terça-feira (17), data em que o TSE confirmou a cassação do mandato do governador, foi a publicação de um convênio que está dando muito o que falar, beneficiando a Arquidiocese da Paraíba. No valor de R$ 667.141,42, o convênio de número 0018/2009 foi selado entre o Fundo de Desenvolvimento do Estado da Paraíba e a Arquidiocese, a quem os recursos serão destinados. De acordo com o que foi publicado no Diário Oficial, os recursos resultantes do convênio serão destinados a Ação Social Arquidiocesana, em João Pessoa, para atender a crianças, gestantes nutrizes, idosos e pessoas carentes, nas comunidades da periferia de João Pessoa”. A repercussão do convênio, seja nas ruas, nos bares, nas redações e nas emissoras de rádio, é negativa: o que mais se enfatiza é o fato de o benefício ter sido autorizado por Cássio Cunha Lima (PSDB) no mesmo dia em que o arcebispo Metropolitano da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, deu declarações a imprensa totalmente favoráveis ao ex-governador paraibano sobre o processo de sua cassação. Na terça-feira, dia da publicação do convênio no Diário Oficial, horas antes da sessão do TSE em que foi confirmada a cassação, o arcebispo dom Aldo Pagotto manifestou a certeza de que a Justiça Eleitoral iria inocentar o governador porque, segundo ele, todas as acusações que recaiam sobre Cássio eram falsas. Em várias outras ocasiões o arcebispo dom Aldo Pagotto defendeu o ex-governador Cunha Lima de acusações. Mais que isso, o arcebispo Metropolitano da Paraíba, embora tenha desaconselhado os sacerdotes a participarem da política partidária, participou diretamente do Guia Eleitoral de campanha do então candidato ao Governo, Cássio Cunha Lima.
Fonte: redação com portais

2 comentários:

Lingua de Trapo disse...

Ratos de saia, nunca passaram disso esses eunucos vigaristas que vendem fé aos pobres e alienam suas mentes. Eu até gostaria que existisse inferno, pois seria para lá que iriam estes malacas que comandam esta máfia chamada de igreja.

Maybe Tomorrow disse...

Assustador Hélio! Chegou na igreja!Oremos. Abraços Yvy