quarta-feira, 22 de abril de 2009

Besteirol do Jabor


Excelente texto retirado do Blog FBI.
Besteirol do Jabor continua: Lula não fez nada além de se aproveitar da 'herança maldita' Vamos examinar, ponto por ponto, as besteiras faladas pelo Jabor. Ao final de cada comentário, perguntaremos ao leitor: é ignorância ou má-fé? 1. Diz o Jabor: o que fez o governo Lula, além de se aproveitar do que ele chamava "herança maldita"? Os dois primeiros anos de governo foram para reconhecimento do terreno e discussão ideológica... Penso que o Jabor ficou fora do país, no período 2003-2204. Quem estava aqui constatou algumas realizações importantes do governo Lula. Citarei apenas duas, de alto impacto, que transformaram os limões em limonadas: a) juntou meia dúzia de programas assistenciais existentes, que não tinham organicidade e não possibilitavam tirar as famílias da miséria, e criou o Bolsa-Família. Este tem critérios, metas e monitoramento. É considerado, mundialmente, um dos mais eficazes programas para a superação da miséria e da pobreza. Relatório PNUD 2007-2008 (pág. 181): O BFP (Programa Bolsa Família), que representa um direito legal ao subsídio, em caso de elegibilidade da família, reduziu a vulnerabilidade e apoiou avanços no desenvolvimento humano, numa cobertura abrangente, permitindo às famílias gerir os choques sem tirar os filhos da escola (caixa 4.3). b) No governo FHC, os navios e plataformas da Petrobras seriam construídos na Ásia, caso o Serra vencesse as eleições, gerando emprego e renda lá. Lula determinou que tudo fosse construído aqui, revitalizando a falecida indústria naval e gerando emprego e renda aqui. (Clique aqui para ler o boletim do Sindipetro que resumiu a luta contra essa política de FHC) O FBI pergunta: é ignorância ou má-fé? O Jabor, ou Já Bobo, como todos sabem, além de cineasta fracassado, faz parte da gigantesca e bem remunerada assessoria de comunicação do governador de São Paulo e quase-presidenciável, José Serra. Ele, assim como Míriam Leitão e outros assessores serristas, ganham uma fortuna em palestras para empresários que só têm um projeto na cabeça: recuperar para os tucanos e pefelistas o comando do país. Um outro ponto importante a considerar: Suzana Villas Boas, esposa de Jabor, é assessora efetiva do Serra. Então, o Jabor, antes de iniciar qualquer texto ou fala, deveria informar aos seus leitores/ouvintes/telespectadores: eu adoro o Serra, odeio o Lula e sou um militante 24 horas da campanha "Serra Presidente 2010". E não sou amador, sou muito bem remunerado! A partir daí, deitaria a sua falação parcial, metendo o pau no Lula, no PT e nas suas demais lideranças, o que tanto agrada a quem o remunera. Com esse comportamento, deixaria de ser hipócrita e ficaria transparente a partir de que crença, valores e visão política ele fala. Da forma como é feita, ele se coloca acima de todos os mortais. O rei da moralidade e do interesse público! Dou um doce para quem encontrar - em texto, vídeo ou áudio - qualquer crítica, por menor que seja, à dupla FHC/José Serra. *** O título deste post refere-se ao programa diário do Jabor, na CBN. O Jabor não consegue ter foco no seu besteirol e atira para tudo que é lado, de forma leviana e criminosa. Nessa curta fala, foram inúmeras as besteiras sem qualquer fundamentação. A primeira coisa que chama à atenção é o caráter autoritário e elitista do Jabor, igual ao da outra militante do Serra, a Míriam Leitão. Reparem a forma como eles consideram o povo brasileiro: iletrado, burro, manipulável, mesquinho, egoísta, e por aí vai. Nos seus textos, esse é o pano de fundo. "Nós entendemos de tudo - escrevem eles - e vc, leitor miserável culturalmente, não entende de nada.

Nenhum comentário: