Ser covarde, é...

Ser covarde, é...

domingo, 27 de maio de 2012

Marcha das Vadias ganha segunda edição em São Paulo


A segunda edição da Marcha das Vadias aconteceu neste sábado (26), em São Paulo. O ato é inspirado no movimento mundial chamado de 'Slut Walk', criado em abril de 2011.
Na ocasição, um policial em Toronto, no Canadá, afirmou que, para evitar estupros, as mulheres deveriam parar de 'se vestir como vadias'.
O protesto, que pede mais liberdade para as mulheres, teve início na praça do ciclista, na avenida Paulista, na região central de São Paulo.

sábado, 26 de maio de 2012

F1 - Schumacher trava a pole em Mônaco. Volta por cima ou....

Schumacher é pole, mas punição dá 1º lugar no grid a Webber em Mônaco. Massa larga em 7º


Schumacher trava a pole em Mônaco. Será a volta por cima ou confirmação da tendência de fazer a cada corrida, um vencedor e um pole diferentes?
Michael Schumacher conquistou a pole do GP de Mônaco, neste sábado (26). Entretanto, o alemão, que foi punido pelos comissários da F1 com a perda de cinco posições no grid, vai largar só em sexto. Mark Webber herdou a ponta em Monte Carlo. Felipe Massa larga em sétimo e Bruno Senna parte em 13º
FERNANDO SILVA.

Justamente quando conseguiu a pole, Schumacher não levou (Foto: Red Bull/Getty Images)

A sessão classificatória do GP de Mônaco apenas indicou o grande equilíbrio que a F1 vive nesta temporada. Em momento algum despontou um favorito claro à conquista da pole, neste sábado (26), nas ruas do Principado. Felipe Massa pintou como candidato, principalmente pelo bom rendimento no Q2. Mas tudo mudou no terceiro segmento do treino. Em sessão absolutamente equilibrada, imprevisível e, por isso mesmo, emocionante, Michael Schumacher cravou a pole-position do GP de Mônaco. O piloto da Mercedes cravou 1min14s301. Entretanto, o heptacampeão ganhou, mas não levou a pole. Isso porque o veterano, de 43 anos, foi punido pelos comissários da F1 com a perda de cinco posições no grid da corrida do Principado por conta da batida em Bruno Senna na última etapa do Mundial, na Espanha. Dessa forma, Mark Webber, segundo colocado, que em momento algum esboçou ter chance de lutar pela ponta, herdou a posição de honra no grid e largará na frente em Mônaco.
Nico Rosberg, companheiro de equipe de Schumacher, tratou de colocar a Mercedes na primeira fila, ainda que na segunda colocação. O jovem alemão ocupou a ponta na maior parte do Q3, mas já com o cronômetro zerado, perdeu a chance de marcar sua segunda pole graças a Michael e, principalmente, Webber, que o superou antes do heptacampeão.
Lewis Hamilton, da McLaren, abre a segunda fila do grid e terá Romain Grosjean ao seu lado em Mônaco. O franco-suíço despontou como o grande favorito à pole, principalmente pelo seu rendimento ao longo de todo o fim de semana, mas não conseguiu obter o melhor rendimento dos pneus supermacios nas ruas do Principado. Fernando Alonso deu mais uma amostra da reação da Ferrari e colocou a F2012 em quinto lugar, abrindo a terceira fila do grid, tendo ao seu lado o primeiro grande rival na F1, exatamente Schumacher.
Felipe Massa conquistou seu melhor grid na temporada 2012. Pela primeira vez neste Mundial, o brasileiro conseguiu avançar ao Q3. Antes, no segundo segmento da sessão, Felipe registrou o melhor tempo, fato que o credenciou para lutar até mesmo pela pole. Entretanto, Massa marcou 1min15s049 e ficou só em sexto, mas perdeu uma posição por conta da punição de Schumacher.
Kimi Räikkönen garantiu o sétimo tempo, mas em momento algum o finlandês foi mais rápido que seu companheiro de equipe na Lotus, Grosjean. O nórdico vai largar ao lado de Sebastian Vettel, outro que foi discretíssimo em Mônaco. Acostumado a lutar pela pole há pouco tempo atrás, dessa vez o bicampeão sofreu para entrar no rol dos dez primeiros. Sebastian avançou uma posição já que o nono colocado, Pastor Maldonado, também foi punido pela direção de prova com a perda de dez posições no grid. Fato que possibilitou, também, a ida de Nico Hülkenberg ao grupo dos dez primeiros. Bruno Senna parte da 13ª posição.
Praticamente todos os pilotos deixaram os boxes tão logo a luz verde foi acionada para autorizar a liberação da pista em Monte Carlo. O grande problema da primeira parte da classificação foi o tráfego: 24 carros dividindo a pista mais apertada do calendário, dificultando ainda mais a já difícil missão dos pilotos no Principado.
Com cinco minutos de sessão no Q1, Alonso estabeleceu a melhor volta, com 1min17s128, tempo bastante alto em comparação com a marca de Nico Rosberg pela manhã, no terceiro treino livre: 1min15s159. Mas a tomada de tempos foi interrompida com bandeira vermelha por conta da batida de Sergio ‘Chapolin’ Pérez no S da Piscina.
O mexicano, que vinha em bom ritmo ao longo do fim de semana, teve um problema na suspensão dianteira esquerda do seu C31, o que acabou causando a batida no guard-rail. Pérez e vai largar no fim do grid — já que não chegou a abrir volta cronometrada —, comprometendo desde já a possibilidade de conquistar um bom resultado no domingo.
Não foi definitivamente o sábado esperado para os latino-americanos da F1, visto que Pastor Maldonado perdeu dez posições no grid de largada por bater justamente em Pérez no terceiro treino livre, pela manhã.
A sessão foi retomada pouco mais de seis minutos depois da batida de ‘Checo’ e boa parte dos pilotos na pista. E as marcas seguiam despencando em Monte Carlo. O tempo de Alonso foi superado logo no reinício da sessão. Nenhum piloto, ainda, havia optado pelos pneus supermacios no treino. Schumacher cravou 1min15s873 e subiu momentaneamente para a liderança, seguido pelo companheiro de Mercedes, Nico Rosberg. Massa vinha bem e era o terceiro, seguido por Maldonado. Por sua vez, Alonso era o oitavo, e Senna, o 13º.
Primeiro a deixar os boxes com pneus supermacios, Hülkenberg subiu fácil para a primeira colocação ao anotar 1min15s418. Grosjean, com macios, foi exatamente 0s3 mais lento que o alemão da Force India e subiu para segundo. Senna, também com os compostos mais rápidos do fim de semana, conseguiu boa volta — 1min15s923 — e subiu de 13º para quinto da sessão, à frente de Massa, faltando dois minutos para o fim do Q1.
No fim do treino, Vettel finalmente conseguiu efetuar uma boa volta e saltou de 16º para quarto lugar, graças também aos compostos supermacios. Dessa forma, o rol dos dez primeiros foi composto por Hülkenberg em primeiro e seguido por Kobayashi, Grosjean, Vettel, Schumacher, Räikkönen, Rosberg, Senna, Massa e Webber. Button foi muito mal e fez só o 16º tempo, escapando da eliminação no Q1 por apenas 0s1.
Ficaram de fora do Q2, além de Pérez, os mesmos de sempre: Heikki Kovalainen e Vitaly Petrov, da Caterham, Timo Glock, da Marussia, e Pedro de la Rosa, da HRT, Charles Pic, também representante da equipe russa, e Narain Karthikeyan, companheiro do veterano catalão na nanica escuderia de Madri.
Massa reage e vai ao Q3 pela primeira vez em 2012
Ao contrário do início do Q1, nesta segunda fase da classificação todos deixaram os boxes usando os compostos supermacios. O primeiro a estabelecer volta rápida foi Jean-Éric Vergne, com a Toro Rosso: 1min16s885. Entretanto, foi Rosberg, mais rápido do terceiro treino livre, o responsável por destruir a marca do francês e subir para a liderança com o melhor tempo do fim de semana até então, 1min15s022.
Massa seguia em bom ritmo e conseguia andar em ritmo um pouco melhor que o de Alonso. O brasileiro era o quarto colocado quando faltavam nove minutos para o fim do Q2, só atrás de Rosberg, Webber e Hamilton e imediatamente à frente de Fernando.
Na tentativa de fazer um tempo melhor e se garantir no Q3, Vergne, que faz uma homenagem ao compatriota Jean Alesi em seu capacete, bateu no guard-rail na saída do túnel e danificou a asa dianteira do seu STR7. Vettel, da coirmã Red Bull, também não se encontrou em Monte Carlo. O melhor que o bicampeão do mundo pôde fazer com o composto supermacio foi o nono tempo, com 1min15s851. Mas ainda faltavam cinco minutos para o término do Q2.
A Lotus foi a equipe que não conseguiu nem de longe um bom rendimento, sobretudo com os pneus supermacios. Outrora considerados favoritos, Grosjean e Räikkönen tentavam, sem muito sucesso, entrar no grupo pilotos que vão para o Q3. Em contrapartida, Massa estava muito bem no Principado. O brasileiro da Ferrari foi o primeiro a andar abaixo de 1min15s ao registrar sua volta em 1min14s911. Outro destaque era Maldonado, com 1min15s026.
Na 'bacia das almas', as duas Lotus conseguiram avançar ao Q3, com Grosjean em oitavo e Räikkönen em décimo. Entre os aurinegros, o bicampeão Vettel. O restante do top-10 foi composto por Massa, o mais rápido, Rosberg, Maldonado, Webber, Schumacher, Alonso e Hamilton. A diferença entre o tempo de Massa para o de Kimi, décimo, foi de menos de 0s4, o que denota o equilíbrio como a tônica da F1 atual.
Pior para Jenson Button, que em momento algum conseguiu andar bem em Mônaco e fez companhia a Hülkenberg, Kobayashi, Di Resta, Ricciardo e Vergne. Senna andou 0s7 mais lento em relação ao seu companheiro de Williams, Maldonado, e não passou da 14ª colocação, dividindo a sétima fila do grid com o piloto da McLaren.
Schumacher ganha pole, mas não leva; Webber surpreende e larga na frente Rosberg foi o primeiro a cronometrar volta em Mônaco no Q3. Em sua primeira tentativa, o germânico anotou 1min18s852, marca muito ruim, já que, na sequência, Maldonado subiu para primeiro ao registrar 1min15s245. Nem Hamilton pôde com o tempo do venezuelano e ficou 0s55 acima do piloto da Williams.
Aí veio Grosjean e estabeleceu a melhor volta do fim de semana. De maneira incrível, o franco-suíço levou a Lotus à ponta com 1min14s639. Parecia um tempo imbatível, mas Rosberg tratou de provar o contrário ao cravar 1min14s572 e recolocar a Mercedes na pole em Monte Carlo. Alonso, Massa, Vettel e Räikkönen ainda não haviam feito voltas rápidas no Q3. Expectativa no Principado.
Em sua primeira tentativa de volta rápida, Felipe fez só o oitavo tempo ao marcar 1min15s379, bem acima do tempo registrado no Q2. Alonso foi um pouco melhor que seu companheiro de equipe e colocou a Ferrari em quinto, mas muito acima do tempo de Rosberg, 0s4 mais lento. Webber, com uma Red Bull que em momento algum se mostrou capaz de lutar pela pole, surpreendeu e tomou a pole de Rosberg. Mas Schumacher tratou de recolocar a Mercedes na ponta com o excepcional tempo de 1min14s301.
No entanto, por conta da punição imposta pelos comissários da F1 graças à batida em Bruno Senna no GP da Espanha, Schumacher ganha, mas não leva a pole. Webber herda a posição de honra do grid e sai em primeiro no GP de Mônaco, no domingo, de maneira surpreendente.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

PB - Protestos criativos contra RC invadem as redes sociais

Não bastassem os deputados da oposição e até mesmo alguns da situação comungar sobre o Impeachment do governador Ricardo Coutinho (PSB). Agora é a vez das redes sociais criativamente emplacarem no Facebook e Twitter mensagens satirizando a impopularidade do socialista na Paraíba.
As mensagens chamam a atenção por sua criatividade e daí para alcançar o mundo através das redes sociais, basta um clique. Internautas compartilham, curtem e comentam os posts que partem de perfis identificados, como é o caso do chargista pessoense Regis Soares até fakes (perfis falsos).
Veja abaixo algumas dessas postagens que estão invadindo as redes sociais contra o governador Ricardo Coutinho:

Justiça confirma que goleiro Bruno já tem direito à liberdade condicional

23/05/2012 | 17h01min.

A Vara de Execução Criminal de Contagem confirmou na tarde desta quarta-feira que o goleiro Bruno já tem direito à liberdade condicional desde o dia 6 de janeiro pela condenação de cárcere privado, lesão corporal e constrangimento ilegal da modelo Eliza Samudio, em outubro de 2009.
Condenado a quatro anos e seis meses, Bruno foi preso em julho de 2009 e já está na cadeia há dois anos e 10 meses, por isso ganhou direito à progressão da pena. Mas a decisão da sua soltura só poderá ser tomada após o Ministério Publico devolver o processo do jogador, o que deve acontecer até amanhã.
Com o processo em mãos, o juiz Afonso José de Andrade que substitui o titular Wagner Oliveira Cavalieri, vai decidir o futuro do jogador. Como o goleiro tem bom comportamento na penitenciária Nelson Hungria e não cometeu nenhuma falta grave, dificilmente ele não terá direito a liberdade condicional.
“O juiz vai decretar. Ele já tinha direito desde janeiro”, garantiu o advogado do goleiro, Francisco Simim, na manhã desta quarta.
Se ganhar a liberdade condicional, pelo crime de cárcere privado, o goleiro poderá conquistar a liberdade se conseguir o habeas corpus em Brasília. Anteriormente ele precisaria ser transferido para o Rio para cumprir o restante da sentença por cárcere privado.
Em 2009, a ex-amante do atleta registrou queixa na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher, acusando-o de sequestro, agressão e ameaça. Elisa Samudio dizia que o goleiro queria obrigá-la a abortar um filho que seria dele. Bruno nega as acusações.
Nesta quinta, o outro defensor do goleiro, o advogado Rui Pimenta, vai ao Supremo Tribunal Federal, em Brasília, verificar como está o andamento do habeas corpus do jogador acusado de homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudio.
“Ele vai verificar se o processo está em pauta. Se estiver poderá até ser julgado amanhã. Estamos otimistas, a liberdade do Bruno está cada vez mais próxima”, disse Simim.
O Dia Online

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Ponte feita de garrafas plásticas sobre açude atrai curiosos na Paraíba

16/05/2012 09h29 - Atualizado em 16/05/2012 09h49.

Instalação artística quer conscientizar sobre poluição e resgatar cultura.


Visitantes podem fazer travessia em Campina Grande até domingo (20).

Karoline Zilah
Do G1 PB

Visitante faz travessia sobre ponte feita de garrafas plásticas no Açude Velho, em Campina Grande.
(Foto: Karoline Zilah/G1)

Caminhar sobre as águas do Açude Velho, um dos cartões postais de Campina Grande, poderia parecer impossível para moradores e turistas na cidade, mas se tornou uma ideia real na segunda-feira (14), quando uma ponte feita de garrafas plásticas foi aberta para travessia. Por iniciativa de um coletivo cultural da região, oito mil garrafas pet de dois litros foram reutilizadas, compondo 50 blocos que ligam duas extremidades do açude, do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca) à Casa da Cidadania, na Avenida Doutor Severino Cruz.

O projeto tem atraído curiosos e grupos de professores e estudantes, que são orientados sobre a necessidade de revitalização da lagoa e os problemas da poluição.
Para o adesivador Fernando de Lima Filho, a experiência foi emocionante porque antes de começar a caminhar na estrutura ele pensou que poderia afundar, mas quando fez a travessia percebeu que poderia confiar. "É importante porque, se a quantidade de garrafa que a população usa por dia é suficiente para construir uma ponte, imagina o que dá pra fazer com o que é acumulado em um ano", falou.
Segundo Nivaldo Rodrigo, artista envolvido no projeto, a quantidade de garrafas usadas é aproximadamente o que se consome em refrigerantes por dia na cidade. "Quando você entra no açude se conscientiza sobre o que está fazendo, que é caminhar sobre a água suja com o suporte de garrafas pet. Você tem outra perspectiva diferente do cartão postal da cidade", explicou.
A instalação foi montada com a inspeção do Conselho Regional de Engenharia (Crea) e as visitas acontecem sob a monitoria diária de uma equipe do Corpo de Bombeiros. O material utilizado foi arrecadado com a ajuda de alunos de escolas públicas, catadores e uma empresa de reciclagem. O projeto recebeu um financiamento de R$ 40 mil do Fundo de Incentivo à Cultura, do governo estadual, e todo o material será reaproveitado no final. As garrafas serão devolvidas aos catadores, as madeiras usadas no suporte serão trabalhadas em oficinas de xilogravura e as grades serão reutilizadas em oficinas de escultura.
Enquanto muitos faziam fila, o estudante de Direito Francisco Júnior preferiu ficar na calçada do açude observando as pessoas que viviam a aventura. Ele disse ter curiosidade e pretende participar. "Toda a iniciativa que venha para colaborar com o meio ambiente e a conscientização é benvinda. Tenho curiosidade de andar e sentir a água batendo nos pés. Não tenho medo. Aqui está muito seguro com os bombeiros acompanhando", brincou.
Segundo Nivaldo Rodrigo, outro objetivo da intervenção artística no açude é resgatar a cultura da cidade e relembrar Roldão Mangueira, fundador da casa de caridade Jesus do Horto, em Campina Grande. Ele explicou que em 1979 o líder religioso anunciou à comunidade que o mundo teria data para acabar e surgiu uma série de boatos de que ele iria caminhar sobre as águas do açude, o que nunca aconteceu. A ideia do coletivo atualmente é desmistificar as más impressões criadas sobre Roldão Mangueira e homenageá-lo, criando uma ponte que, enfim, permitiria a travessia sobre as águas.
Para a estudante Dayanne dos Santos, voluntária do projeto, a passagem é uma oportunidade para que as pessoas se interessem pela cultura da cidade e a política ambiental.
Segundo os organizadores, as visitas poderão ser feitas até domingo (20). O prazo foi recomendado pelo Crea devido ao tempo de utilidade das garrafas pet, para que não haja risco da estrutura afundar. Ao final do período, os organizadores pretendem encaminhar à prefeitura um abaixo-assinado feito pelos visitantes para cobrar a revitalização e projetos de combate à poluição do Açude Velho.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Professores da UFPB entram em greve, quinta, 17

Professores da UFPB entram em greve nesta quinta.


Mais de 40 mil alunos ficam sem aulas.
Professores da UFPB lançam indicativo de greve para esta quinta-feira.

Os professores da Universidade Federal da Paraíba decidiram lançar um indicativo de greve pra a próxima quinta-feira (17). A decisão foi tomada após uma assembléia da Associação dos Docentes da UFPB na manhã desta terça-feira (15), no campus de João Pessoa.

Com o movimento grevista, cerca de 22 mil estudantes ficarão sem aulas nos três campi da instituição - João Pessoa, Bananeiras e Areia. Também na quinta-feira, 20 mil alunos da UFCG não terão aulas, somando mais de 40 mil estudantes prejudicados.

Após a reunião, os professores foram para o portam principal da universidade e ocuparam a pista, parando o trânsito no local. Eles fazem uma mobilização com panfletos e cartazes. A greve será de tempo indeterminado, sendo retirada apenas com uma negociação.

Cerca de 2,4 mil docentes vão cruzar os braços a partir de quinta-feira.

Pedro Callado

O Evangelho de Tomé

Em dezembro de 1945, alguns felás (beduínos egípcios) deslocavam-se com seus camelos por perto de um rochedo chamado Jabal al-Tarif, que margeia o rio Nilo, no Alto Egito, não muito longe da moderna cidade de Nag Hammadi. Eles estavam procurando um tipo de fertilizante natural na área, chamado sabaque. No sopé do Jabal al-Tarif começaram a cavar em torno de uma pedra que caíra no talude, e, sem esperarem, encontraram um jarro de armazenagem com um recepiente selado na parte superior. Um dos felás, chamado Muhammad Ali Samman, quebrou o jarro com uma picareta na esperança de encontrar algo valioso, talvéz um pequeno tesouro. Deve ter ficado um tanto quanto decepcionado ao ver que, em vez de ouro ou algum tipo de objeto de igual valor, no jarro só havia fragmentos de papiros. Muhammad Ali Samman, sem querer ou se dar conta, havia descoberto treze livros de papiro (códices), a que hoje chamamos de a biblioteca copta de Nag Hammadi, dois anos antes de outra descoberta famosa, a dos Manuscritos do Mar Morto, conjunto de documentos encontrados na Palestina e que haviam pertencido a uma comunidade judáica que professavam uma forma ascética diferente de judaísmo, conhecido como essênios. Porém, apesar destes últimos manuscritos terem tido maior divulgação, serem mais famosos e terem sido alvos de debates, os primeiros possuem, todavia, caráter muito mais revolucionário, em especial por estarem ligados diretamente ao cristianismo. Além de outras obras valiosas, entre estes papiros estava algo muito interessante: o chamado Evangelho de Tomé, que é uma coletânea de sentenças de Jesus que teriam sido compiladas, segundo a primeira frase deste Evangelho, por Judas Tomé, O Gêmeo. Antes desta descoberta excepcional, os estudiosos dos evangelhos já tinham algumas referências dos pais da Igreja referentes a um documento denominado Evangelho de Tomé (ou de Tomás). Porém, o conteúdo deste documento punha em xeque alguns posicionamentos dogmáticos da Igreja. Cirilo de Jerusalém, em suas Catequeses 6.31 afirmava que o Tomé que escreveu este Evangelho não era um seguidor de Jesus, mas um maniqueu - um maniqueísta, portanto, seguidor gnóstico e místico de Mani, mestre herético do século III. Só que, atualmente, é quase consenso de que o texto de Nag Hammadi foi bem escrito antes do movimento maniqueísta ter vindo à lume e, ainda mais, tudo indica que a cópia copta deste evangelho se baseia em um texto ainda mais antigo, provavelmente escrito em grego e/ou aramaico, a língua falada por Cristo. Além dos testemunhos dos chamados padres da Igreja, temos fragmentos de três papiros gregos - encontrados num monte de lixo em Oxirronco, atual Behnesa, no Egito -, publicados em 1897, e que contêm sentenças de Jesus quase idênticas aos encontrados no Evangelho de Tomé de Nag Hammadi, escrito em língua copta. Estes papiros eram representantes de edições gregas do Evangelho de Tomé. Ao contrário dos outros evangelhos conhecidos, quer sejam canônicos ou apócrifos, o Evangelho de Tomé não expõe em nada narrativas sobre a vida de Jesus de Nazaré, mas atém-se especificamente às sentenças que teriam sido proferidas por Jesus a seus discípulos.
O que chegou à nós, em formas de textos evangélicos, não são mais do que interpretações sobre os dizeres do Cristo feito por discípulos, já que Jesus não deixou nada escrito, tudo o que dele sabemos é de segunda ou terceira mão, sendo o primeiro evangelho sinótico, o de Marcos, sido escrito provavelmente por volta do ano 60, ainda que baseado - segundo experts - em um texto anterior, chamado de quelle - fonte, em alemão, e que muitos pensam estar contido em grande parte no Evangelho de Tomé.
A tradução abaixo foi feita pelo professor e filósofo Huberto Rohden, baseada na versão francesa de Phillipe de Suarez, feita diretamente dos manuscritos em língua copta.

O EVANGELHO DE TOMÉ


Estas são as palavras secretas de Jesus, o vivo, que foram escritas por Didymos Tau'ma (Tomé (Tomás), o gêmeo)

1. Quem descobrir o sentidos dessas palavras, não provará a morte.
2. Quem procura, não cesse de procurar até achar; e, quando achar, será estupefato; e, quando estupefato, ficará maravilhado - e então terá domínio sobre o Universo.
3. Jesus disse: Se vossos guias vos disserem: ‘o reino está no céu', então as aves vos precederam; se vos disserem que está no mar, então os peixes vos precederam. Mas o reino está dentro de vós, e também fora de vós. Se vos conhecerdes, sereis conhecidos e sabereis que sois filhos do Pai Vivo. Mas, se não vos conhecerdes, vivereis em pobreza, e vós mesmos sereis essa pobreza.
4. O homem idoso perguntará, nos seus dias, a uma criança de sete dias pelo lugar da vida - e ele viverá. Porque muitos primeiros serão últimos, e serão unificados.
5. Conhece o que está ante os teus olhos – e o que te é oculto te será revelado; porque nada é oculto que não seja manifestado.
6. Perguntaram os discípulos a Jesus: Queres que jejuemos? Como devemos orar? Como dar esmolas? Que alimentos devemos comer?
Respondeu Jesus: Não mintais a vós mesmos, e não façais o que é odioso! Porquanto todas essas coisas são manifestas diante do céu. Não há nada oculto que não seja manifestado, e não há nada velado que, por fim, não seja revelado.
7. Bendito o leão comido pelo homem, porque o leão se torna homem! Maldito o homem comido pelo leão, porque esse homem se torna leão!
8. Ele disse: O homem se parece com um pescador ajuizado, que lançou sua rede ao mar. Puxou para fora a rede cheia de peixes pequenos. Mas entre os pequenos o pescador sensato encontrou um peixe bom e grande. Sem hesitação, escolheu o peixe grande e devolveu ao mar todos os pequenos. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!
9. Disse Jesus: Saiu o semeador. Encheu a mão e lançou a semente. Alguns grãos caíram no caminho; vieram as aves e os cataram. Outros caíram sobre os rochedos; não deitaram raízes para dentro da terra nem mandaram brotos para o céu. Outros ainda caíram entre espinhos, que sufocaram a semente e o verme a comeu. Outra parte caiu em terra boa, e produziu fruto bom rumo ao céu; produziu sessenta por uma, e cento e vinte por uma.
10. Disse Jesus: Eu lancei fogo sobre a terra – e eis que o vigio até que arda.
11. Disse Jesus: Este céu passará, e passará também aquele que está por cima deste. Os mortos não vivem, e os vivos não morrerão. Quando comíeis o que era morto, vós o tornáveis vivo. Quando estiverdes na luz, que fareis? Quando éreis um, vos tornastes dois; mas, quando fordes dois, que fareis?
12. Os discípulos perguntaram a Jesus: Sabemos que nos vais deixar. E quem será então nosso chefe? Respondeu Jesus: No ponto onde estais, ireis ter com Tiago, que está a par das coisas do céu e da terra.
13. Disse Jesus a seus discípulos: Comparai-me e dizei-me com quem me pareço eu. Respondeu Simão Pedro: Tu és semelhante a um anjo justo.
Disse Mateus: Tu és semelhante a um homem sábio e compreensivo.
Respondeu Tomé: Mestre, minha boca é incapaz de dizer a quem tu és semelhante.
Replicou-lhe Jesus: Eu não sou teu Mestre, porque tu bebeste da Fonte borbulhante que te ofereci e nela te inebriaste.
Então levou Jesus Tomé à parte e afastou-se com ele; e falou com ele três palavras. E, quando Tomé voltou a ter com seus companheiros, estes lhe perguntaram: Que foi que Jesus te disse? Tomé lhes respondeu: Se eu vos dissesse uma só das palavras que ele me disse, vós havíeis de apedrejar-me - e das pedras romperia fogo para vos incendiar.
14. Jesus disse-lhes: Se jejuardes, cometereis pecado. Se orardes, sereis condenados. Se derdes esmolas, prejudicareis ao espírito. Quando fordes a um lugar onde vos receberem, comei o que vos puserem na mesa e curai os doentes que lá houver. Pois o que entra pela boca não o torna um homem impuro, mas sim o que sai da boca, isto vos tornará impuros.
15. Se virdes alguém que não seja filho de mulher, prostrai-vos de rosto em terra e adorai-o – ele é vosso Pai.
16. Talvez os homens pensem que eu vim para trazer paz à terra, e não sabem que eu vim para trazer discórdias à terra, fogo, espada e guerra. Haverá cinco numa casa, três contra dois, dois contra três; pai contra filho, e filho contra pai. E serão solitários.
17. Eu vos darei o que nenhum olho viu, nenhum ouvido ouviu, nenhuma mão tangeu, e que jamais surgiu no coração do homem.
18. Perguntaram os discípulos a Jesus: Como será o nosso fim? Respondeu-lhes Jesus: Descobristes o princípio, para que estejais procurando o fim? Pois onde estiver o princípio ali estará o fim. Feliz de quem está no princípio; também conhecerá o fim - e não provará a morte.
19. Disse Jesus: Feliz daquele que era antes de existir. Se vós fordes meus discípulos e realizardes as minhas palavras, estas pedras vos servirão. Há no vosso paraíso cinco árvores, que permanecem inalteradas no inverno e no verão, e cujas folhas não caem; quem as conhecer, esse não provará a morte.
20. Disseram os discípulos a Jesus: Dize-nos, a que se assemelha o Reino do céus? Respondeu-lhes ele: Ele é semelhante a um grão de mostarda, que é menor que todas as sementes; mas, quando cai em terra, que o homem trabalha, produz um broto e se transforma num abrigo para as aves do céu.
21. Disse Maria a Jesus: Com quem se parecem os teus discípulos?
Respondeu Jesus: Parecem-se com garotos que vivem num campo que não lhes pertence. Quando aparecem os donos do campo, dirão estes: Deixai-nos o nosso campo. E eles desnudam-se diante deles e lhes deixam o campo.
Por isto vos digo eu: Se o dono da casa sabe quando vem o ladrão, vigia antes da sua chegada e não o deixará penetrar na casa do seu reino para lhe roubar os haveres. Vós, porém, vigiai em face do mundo; cingi os vossos quadris com força para que os ladrões não encontrem caminho até vós. E possuireis o tesouro que desejais. Sede como um homem de experiência, que conhece o tempo da colheita, e, de foice na mão, ceifará o trigo. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
22. Jesus viu crianças de peito a mamarem. E ele disse a seus discípulos: Essas crianças de peito se parecem com aqueles que entram no Reino. Perguntaram-lhe eles: Se formos pequenos, entraremos no Reino?
Respondeu-lhes Jesus: Se reduzirdes dois a um, se fizerdes o interior como o exterior, e o exterior como o interior, se fizerdes o de cima como o de baixo, se fizerdes um o masculino e o feminino, de maneira que o masculino não seja mais masculino e o feminino não seja mais feminino - então entrareis no Reino.
23. Disse Jesus: Eu vos escolherei, um entre mil, e dois entre dez mil. E eles aparecerão como um só.
24. Seus discípulos pediram: Mostra-nos o lugar onde tu estás, pois precisamos procurá-lo. Respondeu-lhes ele: Quem tem ouvidos, ouça! Há luz dentro dum ser luminoso, e ele ilumina o mundo inteiro. Se não o iluminar, ele é escuridão.
25. Disse Jesus: Ama a teu irmão como a tua própria alma e cuida dele como da pupila dos teus olhos.
26. Jesus disse: Tu vês o cisco no olho do teu irmão, e não vês a trave no teu próprio olho. Se tirares a trave do teu próprio olho, verás claramente como tirar o cisco do olho do teu irmão.
27. Se não jejuardes em face do mundo, não achareis o Reino; se não guardardes o sábado como sábado, não vereis o Pai.
28. Jesus disse: Eu estava no meio do mundo e me revelei a ele corporalmente. Encontrei todos embriagados, e não encontrei nenhum deles sedento. E minha alma sofria dores pelos filhos dos homens, porque eles são cegos no seu coração e nada enxergam. Assim como entraram no mundo vazios, querem sair do mundo vazios. Agora estão bêbados, e só se converterão se abandonarem o seu vinho.
29. Jesus disse: Se a carne foi feita por causa do espírito, é isto maravilhoso. Mas, se o espírito foi feito por causa do corpo, é isto a maravilha das maravilhas. Eu, porém, estou maravilhado diante do seguinte: Como é que tamanha riqueza foi habitar em tanta pobreza?
30. Jesus disse: Onde há três deuses, eles são deuses. Onde há dois ou um, eu estou com ele.
31. Nenhum profeta é aceito em sua cidade, nem pode um médico curar os que o conhecem.
32. Jesus disse: Uma cidade situada num monte e fortificada, não pode cair, nem pode permanecer oculta.
33. O que ouvirdes com um ouvido, anunciai-o com o outro do alto dos telhados; porque ninguém acende uma lâmpada e a põe debaixo do velador, nem em lugar oculto, mas sim no candelabro, para que todos os que entram e saem vejam a luz.
34. Jesus disse: Quando um cego guia outro cego, ambos cairão na cova.
35. Jesus disse: Ninguém pode penetrar na casa do forte e prendê-lo, se antes não lhe ligar as mãos; só depois pode saquear-lhe a casa. (Nos outros evangelhos, esse texto é relacionado com o episódio em que Jesus expulsara um demônio, e seus inimigos o acusaram de ser aliado de satanás. Então Jesus faz um paralelo entre “o forte”, que é satanás, e “o mais forte”, que é o Cristo)
36. Jesus disse: Não andeis preocupados, da manhã até a noite, e da noite até a manhã, sobre o que haveis de vestir.
37. Perguntaram os discípulos a Jesus: Em que dia nos aparecerás? Em que dia te veremos?
Respondeu Jesus: Se vos despojardes do vosso pudor; se, como crianças, tirardes os vossos vestidos e os colocardes sob os vossos pés, percebereis o filho do Vivo – e não conhecereis temor.
38. Jesus disse: Muitas vezes desejastes ouvir estas palavras que vos digo, e não achastes ninguém que vo-las pudesse dizer. Virão dias em que me procurareis e não me achareis.
39. Disse Jesus: Os fariseus e os escribas tiraram a chave do conhecimento e a ocultaram. Nem eles entraram nem permitiram entrar os que queriam entrar. Vós, porém, sede inteligente como as serpentes e simples como as pombas.
40. Jesus disse: Uma videira foi plantada fora daquilo que é do Pai; e, como não tem vitalidade, será extirpada pela raiz e perecerá.
41. Jesus disse: Aquele que tem algo na mão, esse receberá; e aquele que não tem, esse até perderá o pouco que tem.
42. Disse Jesus a seus discípulos: Sede transeuntes!
43. Disseram-lhe seus discípulos: Quem és tu que nos dizes tais coisas? Respondeu-lhes ele: Pelas coisas que vos digo não conheceis quem eu sou? Vós sois como os judeus, que amam a árvore e detestam o seu fruto; ou amam o fruto e detestam a árvore.
44. Disse Jesus: Quem blasfemar contra o Pai receberá a graça; quem blasfemar contra o Filho receberá a graça; mas quem blasfemar contra o Espírito Santo esse não receberá a graça, nem na terra nem no céu.
45. Disse Jesus: Não se colhem uvas de espinheiros, nem figos de abrolhos, que não produzem frutos. O homem bom tira coisas boas do seu tesouro; o homem mau tira coisas más do tesouro mau do seu coração, fala coisas más da abundância do seu coração.
46. Disse Jesus: Desde Adão até João Batista, não há ninguém maior entre os nascidos de mulher do que João Batista, porque seus olhos não foram violados. Mas eu disse: Aquele que entre vós se tornar pequeno conhecerá o Reino e será maior do que João.
47. Disse Jesus: O homem não pode montar em dois cavalos, nem pode retesar dois arcos. O servo não pode servir a dois senhores, pois ele honra um e ofende o outro. Nenhum homem que bebeu vinho velho deseja beber vinho novo. Não se coloca vinho novo em odres velhos, com medo que se rompam; vinho novo se coloca em odres novos, para que não se perca. Não se cose um remendo velho em roupa nova, para não causar rasgão.
48. Disse Jesus: Se dois viverem em paz e harmonia na mesma casa, dirão a um monte "sai daqui! " – e ele sairá.
49. Disse Jesus: Felizes sois vós, os solitários e os eleitos, porque achareis o Reino. Sendo que vós saístes dele, a ele voltareis.
50. Disse Jesus: Se os homens vos perguntarem donde viestes, respondei-lhes: Nós viemos da luz, lá onde ela nasce de si mesma, surge e se manifesta em sua imagem. E se vos perguntarem: Quem sois vós? Respondei-lhes: Nós somos os filhos eleitos do Pai vivo. Se os homens vos perguntarem: Qual o sinal do Pai em vós? Respondei: É movimento e repouso ao mesmo tempo.
51. Seus discípulos perguntaram: Quando virá o repouso dos mortos e em que dia virá o mundo novo? Respondeu-lhes ele: Aquilo que vós aguardais já veio – mas vós não o conheceis.
52. Disseram-lhe os discípulos: Vinte e quatro profetas falaram em Israel, e todos falaram de ti. Respondeu-lhes ele: Rejeitastes aquele que está vivo diante de vós, e falais dos mortos.
53. Perguntaram-lhe os discípulos: A circuncisão é útil ou não? Respondeu-lhes ele: Se ela fosse útil, o homem já nasceria circuncidado. A verdadeira circuncisão é espiritual, e esta é útil a todos.
54. Disse Jesus: Felizes os pobres, porque vosso é o Reino dos céus.
55. Disse Jesus: Quem não odiar seu pai e sua mãe não pode ser meu discípulo. Quem não odiar seus irmãos e suas irmãs não é digno de mim.
56. Disse Jesus: Quem conhece o mundo, achou um cadáver; e quem achou um cadáver, dele não é digno o mundo.
57. Jesus disse: O Reino do Pai é semelhante a um homem que semeou boa semente em seu campo. De noite, porém, veio seu inimigo e semeou erva má no meio da semente boa. O senhor do campo não permitiu que se arrancasse a erva má, para evitar que, arrancando esta, também fosse arrancada a erva boa. No dia da colheita se manifestará a erva má. Então será ela arrancada e queimada.
58. Feliz do homem que foi submetido à prova – porque ele achou a vida.
59. Disse Jesus: Olhai para o Vivo, enquanto viveis, pra que não morrais e desejeis ver aquele que já não podeis ver.
60. Ao entrarem na Judéia, eles viram um samaritano que carregava uma ovelha. Jesus disse a seus discípulos: Por que a carrega?
Responderam eles: Para matá-la e comê-la.
Disse-lhes Jesus: Enquanto a ovelha está viva, ele não a poderá comer; só depois de morta e cadáver.
Replicaram eles: De outro modo não a pode comer.
Respondeu-lhes Jesus: Procurai para vós um lugar de repouso, para que não vos torneis cadáveres e sejais devorados.
61. Jesus disse: Haverá dois na mesma cama: um morrerá, o outro viverá. Salomé disse: Quem és tu, ó homem? Como que saído de um só? Tu que usavas a minha cama e comias à minha mesa?
Responde Jesus: Eu vim daquele que é todo um em si; isto me foi dado por meu Pai. Disse Salomé: Eu sou discípula tua.
Vem a propósito o dito: Quando o discípulo é vácuo, será repleto de luz; mas quando é dividido, ele será repleto de treva.
62. Eu revelo meus mistérios àqueles que são idôneos para ouvi-los. O que tua mão direta faz não o saiba a tua mão esquerda.
63. Disse Jesus: Um homem rico tinha muitos bens. E disse: Vou aproveitar os meus bens; vou semear, colher, plantar e encher meus armazéns, para que não me venha a faltar nada. Foi isto que ele pensou em seu coração. E nesta noite ele morreu. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
64. Disse Jesus: Um homem fez um banquete e, depois de tudo preparado, enviou seu servo para chamar os convidados. O servo foi ao primeiro e disse-lhe: Meu senhor te convida para o banquete. O homem respondeu: Uns negociantes me devem dinheiro; eles vêm à minha casa esta noite, e eu tenho de falar com eles; peço-te que me dispenses de comparecer ao jantar.
O servo foi até outro e disse: Meu senhor te convidou.
Este respondeu: Comprei uma casa, e marcaram um dia para mim; não tenho tempo para vir. O servo foi a outro e disse-lhe: Meu senhor te convida. Este respondeu: Um amigo meu vai casar-se, e eu fui convidado para preparar a refeição; não posso atender; favor dispensar-me.
O servo foi a outro ainda e disse-lhe: Meu senhor te convida. Este respondeu: Acabo de comprar uma fazenda e estou saindo para buscar o rendimento. Não poderei ir, por isso me desculpo.
O servo retornou e comunicou ao seu senhor: Os convidados ao banquete pedem que os dispenses de comparecerem.
Disse o senhor a seu servo: Vai pelos caminhos e traze os que encontrares, para que venham ao meu banquete; mas os compradores e negociantes não entrarão nos lugares de meu Pai.
65. Disse ele: Um homem tinha uma vinha. Arrendou-a a uns colonos para a cultivarem, a fim de receber deles o fruto. Enviou seu servo para receber o fruto da vinha. Os colonos prenderam o servo e o espancaram, deixando-o à beira da morte.
O servo voltou e contou a seu senhor o ocorrido. O senhor disse: Talvez não o tenham reconhecido. E enviou-lhes outro servo. Mas os colonos espancaram também este. Então o senhor mandou seu filho, dizendo: Talvez tenham respeito a meu filho.
Mas, como os camponeses soubessem que esse era o herdeiro da vinha, prenderam-no e o mataram.
Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!
66. Disse Jesus: Mostrai-me a pedra que os construtores rejeitaram. Ela é a pedra angular.
67. Disse Jesus: Quem conhece o universo, mas não se possui a si mesmo, esse não possui nada.
68. Disse Jesus: Felizes sois vós, se vos rejeitarem e odiarem. E lá onde vos tiraram e odiaram não será encontrado lugar algum.
69. Disse Jesus: Felizes no seu coração são os perseguidos, os que na verdade conhecem o Pai. Felizes são os famintos, porque o corpo dos que sabem querer será saciado.
70. Jesus disse: Se fizerdes nascer em vós aquele que possuis, ele vos salvará; mas, se não possuirdes em vós a este, então sereis mortos por aquele que não possuis. (falando do corpo e da alma)
71. Disse Jesus: Destruirei esta casa, e ninguém a poderá reconstruir.
72 . Alguém diz a Jesus: Dize a meus irmãos que repartam comigo os bens de meu pai. Respondeu Jesus: Homem, quem me constituiu partidor?
E dirigindo-se a seus discípulos, disse-lhes: Será que eu sou um partidor?
73. Disse Jesus: Grande é a safra, e poucos são os operários. Pedi, pois ao Senhor para que mande operários à sua seara.
74. Disse ele: Senhor, muitos rodeiam a fonte, mas ninguém entra na fonte.
75. Disse Jesus: Muitos estão diante da porta – mas somente os solitários é que entram na câmara nupcial.
76. Disse Jesus: O Reino é semelhante a um negociante que possuía um armazém. Achou uma pérola, e, sábio como era, vendeu todo o armazém e comprou essa pérola única.
Procurai também vós o tesouro imperecível, que se encontra lá onde as traças não se aproximam para comê-lo nem os vermes o destroem.
77. Disse Jesus: Eu sou a luz, que está acima de todos. Eu sou o “Todo”. O Todo saiu de mim, e o Todo voltou a mim. Rachai a madeira – lá estou eu. Erguei a pedra – lá me achareis.
78. Disse Jesus: Por que saístes ao campo? Para verdes um caniço agitado pelo vento? Ou um homem vestido de roupas macias? Os reis e os grandes vestem roupas macias – e eles não poderão conhecer a verdade.
79. Uma mulher da multidão disse-lhe: Feliz o ventre que te gestou e os seios que te amamentaram.
Respondeu ele: Felizes os que ouviram o Verbo do Pai e viveram a Verdade. Porque dias virão em que direis: Feliz o ventre que não concebeu, e felizes os seios que não amamentaram.

80. Disse Jesus: Quem conheceu o mundo encontrou o corpo. Mas quem encontrou o corpo, desse tal não é digno o mundo. (o mundo material é um corpo morto, não digno do homem espiritual)
81. Quem ficou rico, saiba dominar-se; quem ficou poderoso, saiba renunciar.
82. Quem está perto de mim está perto da chama; quem está longe de mim está longe do Reino.
83. Disse Jesus: As imagens se manifestam ao homem, e a luz que está oculta nelas – na imagem da luz do Pai – se revelará, mas sua imagem permanecerá velada por sua luz.
84. Disse Jesus: Quando virdes a vossa semelhança, alegrai-vos. Mas, quando virdes o vosso modelo, que desde o princípio estava em vós e nunca morrerá, nem jamais se revela plenamente – será que suportareis isto?
85. Disse Jesus: Adão nasceu de um grande poder e de uma grande riqueza. Mas não era digno deles. Se deles fosse digno, não teria morrido.
86. Disse Jesus: As raposas têm as suas tocas; as aves têm os seus ninhos - mas o Filho do Homem não tem onde repousar a sua cabeça.
87. Miserável o corpo que depende de outro corpo, e miserável a alma que depende desses dois.
88. Os arautos e os profetas irão ter convosco e vos darão o que é vosso. Dai-lhes também vós o que é deles.
89. Disse Jesus: Por que lavais o exterior do recipiente? Não sabeis que o mesmo que creou o interior creou também o exterior?
90. Jesus disse: Vinde a mim, porque o meu jugo é suave e o meu domínio é agradável – e encontrareis repouso para vós mesmos.
91. Disseram-lhe eles: Dize-nos quem és tu, para que tenhamos fé em ti. Respondeu-lhes ele: Vós examinais o aspecto do céu e da terra, mas não conheceis aquele que está diante de vós. Não sabeis dar valor ao tempo presente.
92. Disse Jesus: Procurai, e achareis. O que me perguntastes nesses dias, eu não vos disse; agora vos digo – e não me perguntais.
93. Não deis as coisas puras aos cães, para que não as arrastem ao lodo. Nem lanceis as pérolas aos porcos, para que não as conspurquem.
94. Quem procura achará; a quem bate abrir-se-lhe-á.
95. Quando tendes dinheiro, não o empresteis a juros, mas dai-o a quem não vos possa restituir.
96. O Reino do Pai é semelhante a uma mulher que tomou um pouco de fermento, misturou-o com a massa, e fez com ela grandes pães. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!
97. Disse Jesus: O Reino é semelhante a uma mulher que levava por um longo caminho uma vasilha cheia de farinha. Pelo caminho, uma alça da vasilha quebrou e a farinha se espalhou atrás dela sem que ela o percebesse; e por isto não se afligiu. Chegada em casa, ela colocou a vasilha no chão – e achou-a vazia.
98. Disse Jesus: O Reino do Pai é semelhante a um homem que quis matar um poderoso. Em sua própria casa ele desembainhou a espada e enfiou-a na parede para saber se sua mão era forte o suficiente para realizar a tarefa. Depois foi matar o poderoso.
99. Seus discípulos lhe disseram: Teus irmãos e tua mãe estão aguardando lá fora.
Respondeu-lhes ele: Os que, nesses lugares, fazem a vontade de meu Pai são os meus irmãos e minha mãe, e são eles que entrarão no Reino de meu Pai.
100. Mostraram a Jesus uma moeda de ouro e disseram: Os agentes de César exigem de nós o pagamento do imposto.
Respondeu ele: Dai a César o que é de César, e dai a Deus o que é de Deus - e dai a mim o que é meu.
101. Quem não abandona seu pai e sua mãe, como eu, não pode ser meu discípulo. E quem não amar a seu Pai e sua Mãe, como eu, esse não pode ser meu discípulo; porque minha mãe me gerou, mas minha Mãe verdadeira me deu a vida.
102. Disse Jesus: Ai dos fariseus! Eles se parecem com um cão deitado no cocho dos bois; não come nem deixa os bois comerem.
103. Disse Jesus: Feliz do homem que sabe por onde penetram os ladrões! Assim pode erguer-se, reunir forças e estar alerta e pronto antes que eles venham.
104. Disseram-lhe: Vinde, vamos hoje orar e jejuar. Respondeu Jesus: Que falta cometi eu, em que ponto sucumbi? Mas, quando o esposo sair da sua câmara nupcial, então oraremos e jejuaremos.
105. Disse Jesus: Quem conhece o seu pai e sua mãe, porventura será chamado filho de prostituta? (sobre a natureza Divina da alma)
106. Disse Jesus: Se de dois fizerdes um, então vos fareis Filhos do Homem. E então, se disserdes a este monte "retira-te daqui" – ele se retirará.
107. Disse Jesus: O Reino é semelhante a um pastor que tinha cem ovelhas. Uma delas se extraviou, e era a maior de todas. Ele deixou as noventa e nove e foi em busca daquela única até achá-la. E, depois de achá-la, lhe disse: eu te amo mais do que as noventa e nove.
108. Disse Jesus: Quem beber da minha boca se tornará como eu. E eu serei o que ele é. E as coisas ocultas lhe serão reveladas.
109. Disse Jesus: O Reino se parece com um homem que possuía um campo no qual estava oculto um tesouro de que ele nada sabia. Ao morrer, deixou o campo a seu filho, que também não sabia de nada; tomou posse e vendeu o campo – mas o comprador descobriu o tesouro ao arar o campo.
110. Disse Jesus: Quem encontrou o mundo e se enriqueceu, que renuncie ao mundo.
111. Disse Jesus: O céu e a terra se desenrolarão diante de vós, e quem vive do Vivente não verá a morte. Quem se acha a si mesmo, dele não é digno o mundo.
112. Disse Jesus: Deplorável a carne que depende da alma! Deplorável a alma que depende da carne!
113. Os discípulos perguntaram-lhe: Em que dia vem o Reino?
Jesus respondeu: Não vem pelo fato de alguém esperar por ele; nem se pode dizer ei-lo aqui! Ei-lo acolá! O Reino está presente no mundo inteiro, mas os homens não o enxergam.
114. Simão Pedro disse: Seja Maria afastada de nós, porque as mulheres não são dignas da vida.
Respondeu Jesus: Eis que eu a atrairei, para que ela se torne homem, de modo que também ela venha a ser um espírito vivente, semelhante a vós homens. Porque toda a mulher que se fizer homem entrará no Reino dos céus.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Já sabemos quem é o dono da Lamborghini apreendida sem documentos em João Pessoaa

13/05/2012

MUY AMIGO: Lamborghini de Santiago vira atração no pátio do Detran; máquina milionária continua retida à espera da documentação.


* A lamborghini foi apreendida no dia 30 de abril, e no momento da apreensão, a mídia não divulgou o nome do proprietário do milionário automóvel. Agora, todo mundo sabe que tratá-se de um dos maiores empresários da Paraiba, e dono de um dos mais caros estacionamentos de João Pessoa.
Ricardo para Santiago: "Não adianta, parceiro, a Lei tem que ser respeitada"
O Detran já pensa em instituir uma taxa e aumentar sua receita já substancialmente elevada em razão da diligência do comandante do Bptran, tenente-coronel Paulo Sérgio, fiel cumpridor das ordens do seu comandante geral, cujo desempenho já retirou das ruas mais de 8 mil veículos irregulares; entre eles uma LAMBORGHINI, a poderosa máquina do mega-empresário Roberto Santiago, dono do Manaíra Shopping e de outro mega-investimento a ser construído em Mangabeira, orçado em mais de R$ 200 milhões.
O carro esportivo avaliado em US$ 1,5 milhões, já se transformou em atração no pátio do órgão, onde os usuários dos serviços da instituição não desperdiçam a oportunidade para conhecer de perto e ao vivo um dos veículos mais famosos e caros do mundo.
Isolado dos carros apreendidos aos mortais comuns, protegida por uma capa com o distintivo da famosa marca italiana e uma escolta de motos da PM, a Lamborghini do mega-empresário - amigo do peito do governador Ricardo Coutinho, com quem já firmou milionárias parcerias; apesar de toda essa aproximação a máquina concorrente da Ferrari continua retida à espera da documentação legal, para que possa transitar nas ruas da capital sem correr o risco de se deparar com o rigor instituído pelo comandante geral da PM, coronel Euller Chaves, que se orgulha de ser legalista e de não respeitar caras quando o assunto é a aplicação da Lei.
A Lamborghini já repousa há dias no pátio do Detran sem prazo para sua liberação já que, tudo indica a documentação necessária junto a Receita Federal tem esbarrado na morosidade da burocracia aduaneira do país e, assim, impedido o empresário de usufruir de sua potência pelas ruas de João Pessoa.
Enquanto esses dissabores da burocracia retêm a máquina de ouro, a curiosidade popular tem feito filas para ver e crer da existência desse sonho de consumo inerte e estacionado no pátio do Detran tão ao alcance da realidade em razão de uma política de austeridade implantada pelo governador que exige dos seus subordinados, como o coronel Euler, que vá às ruas apreender todo e qualquer veículo que trafegue irregular, independente de quem seja o seu proprietário.
E essa nova realidade política implantada na Paraíba surpreendeu o poderoso empresário acostumado a aterrar rios e vales impunemente, sem que o rigor da lei lhe tire o sono e atrapalhe os sonhos milionários que povoam sua imaginação.
Santiago despertou para essa nova realidade ao se deparar com a blitz do tenente-coronel Paulo Sérgio em uma das ruas da cidade e ter seu brinquedo de ouro arrebatado para o Detran sem dó nem piedade.
De tão grande a curiosidade das pessoas o Detran já pensa em tirar proveito e organizar as filas para recolher donativos que poderiam ser posteriormente distribuídos pela primeira-dama, Pámela Bório, para instituições de caridade em chás beneficentes, como era praxis antigamente. Quem sabe entretida com essa atividade humanista, ela não devolvesse ao marido o controle do estado e o airbus socialista voltasse à rota normal de sucesso e modificações tão necessários aos paraibanos, abruptamente desviada pela imperícia política da bela dama.
Ou, talvez, numa versão mais moderna, em um desses eventos Fashion Week tão ao gosto da época; podendo usar até as dependências da famosa casa de espetáculo também do empresário, a Domus Hall, o que poderia reabilitar a imagem do local estraçalhada por outro auxiliar de Ricardo, o Coordenador do Programa de Combate as Drogas, pastor João Pereira Gomes, que a considerou um templo de perdição para a juventude paraibana.
A verdade é que este Governo não dá ponto sem nó e a máquina de Roberto Santiago transformou-se em troféu e atração pública, o que significa dois coelhos de uma cajadada só: receita e prestígio popular já que a prisão do caro do milionário está sendo vista e vendida como a marca da austeridade de um governo que não respeita caras nem amigos.
Aliás, como recordar é viver o Mago do Manaíra Shopping já levou duas peitadas do Governo de Ricardo. A primeira desferida pelo pastor João Pereira Gomes quando acusou a casa de show do empresário de ser um antro de consumo de drogas e de perversão sexual; a segunda, agora, quando da prisão de sua Lamborghini cujo feito foi comemorado como uma façanha digna de medalha e promoção dentro do Comando Geral.
Em razão de toda essa movimentação e entusiasmo o Jampanews aconselha aos amantes do Automobilismo que, nesse domingo, esqueçam o Auto Esporte da Rede Globo, aliás, ostensivamente hostil ao Mago do Palácio, e façam uma visitação ao pátio do Detran antes que o troféu de caça do coronel Euler seja devolvido às ruas pela legalização da documentação exigida por Lei, e confiram que, dinheiro e poder, pelo menos na gestão socialista, não podem tudo, viu seu Roberto.

domingo, 13 de maio de 2012

F1 - 5 corridas, 5 vencedores!

A cada corrida, uma surpresa.

Tem sido assim, a cada corrida, um vencedor diferente.Primeiro o Button, depois Alonso, Rosberg, Vettel e agora, Maldonado. Sendo que esse último tem um valor histórico, primeiro por ser o primeiro Venezuelano a vencer um GP de F1 e por colocar a Williams dentro do campeonato depois de tantos anos amargando derrotas. Cada corrida, um vencedor, será isso uma tendencia? Mesmo que não seja, é provável que tenhamos outros vencedores diferentes, já que K Raikkonen terminou a corrida há poucos décimos do Maldonado e estava muito melhor que Alonso e ainda tem Hamilton que até agora não venceu nenhuma corrida embora tinha tido tudo prá isso, já que foi pole, mas perdeu a posição porque foi punido por terminar o treino sem combustível e largou em último.

sábado, 12 de maio de 2012

F1 - Com Hamilton punido, o GP de Barcelona vira uma loteria.

Hamilton é punido e Maldonado fica com a pole em Barcelona.


Britânico recebe punição por falta de combustível após o classificatório e larga em último.
iG São Paulo | 12/05/2012 14:50:02.
Foto: Getty Images.

Pastor Maldonado, da Williams, é o novo pole position do GP da Espanha. Lewis Hamilton, que havia feito o melhor tempo no classificatório, recebeu uma punição dos comissários de prova por ter parado na pista por falta de combustível após fazer sua volta rápida, o que é proibido por regra. Com isso, o britânico foi mandado para o fim do grid e larga em último no domingo (12).

Após o classificatório, Hamilton parou seu carro e não voltou aos boxes. A McLaren alegava que ainda havia 1,3 litro de combustível no tanque, mais do que o 1 litro exigido pela FIA na hora da inspeção, e que só mandou o piloto parar por “problemas técnicos”. Porém, os comissários de prova entenderam que o britânico parou na pista justamente por que o nível de combustível não seria o suficiente na hora da inspeção.
“Os comissários ouviram de um representante da equipe que afirmou que o carro parou no circuito por motivos de força maior. Um membro da equipe tinha colocado uma quantidade insuficiente de combustível dentro do carro, resultando assim na parada do carro, para fornecer a quantidade necessária na amostragem. Como a quantidade colocada no carro está sob controle completo do competidor, os comissários não podem aceitar isso como caso de força maior”, diz o comunicado que a FIA emitiu. Curiosamente, esta regra foi inventada justamente após um episódio envolvendo o próprio Hamilton, no classificatório para o GP do Canadá, em 2010.

Em sua terceira temporada na Fórmula 1, Maldonado consegue sua primeira pole position. A equipe de Grove não ficava com a primeira posição do grid desde o GP do Brasil, em 2010, quando Nico Hulkenberg foi pole. Um ótimo presente para Frank Williams, chefe da equipe, que completou 70 anos no mês passado.

Com a punição a Hamilton, todos os pilotos ganham uma posição. Fernando Alonso vai largar em segundo, com Romain Grosjean em terceiro. Kimi Raikkonen completa a segunda fila. Agora, Felipe Massa vai largar da 16ª posição, e Bruno Senna, da 17ª.
Veja como ficou o grid de largada após a punição de Hamilton:
1 – Pastor Maldonado (VEN) - Williams – 1min22s285
2 – Fernando Alonso (ESP) - Ferrari – 1min22s302
3 – Romain Grosjean (FRA) - Lotus – 1min22s424
4 – Kimi Raikkonen (FIN) - Lotus – 1min22s487
5 – Sergio Pérez (MEX) - Sauber – 1min22s533
6 – Nico Rosberg (ALE) - Mercedes – 1min23s005
7 – Sebastian Vettel (ALE) - Red Bull – Sem Tempo no Q3
8 – Michael Schumacher (ALE) - Mercedes – Sem Tempo no Q3
9 – Kamui Kobayashi (JAP) - Sauber – Sem Tempo no Q3
10 – Jenson Button (GBR) - McLaren – 1min22s944
11 – Mark Webber (AUS) - Red Bull – 1min22s977
12 – Paul di Resta (GBR) - Force India – 1min23s125
13 – Nico Hulkenberg (ALE) - Force India – 1min23s177
14 – Jean-Éric Vergne (FRA) - Toro Rosso – 1min23s265
15 – Daniel Ricciardo (AUS) - Toro Rosso – 1min23s442
16 – Felipe Massa (BRA) - Ferrari – 1min23s444
17 – Bruno Senna (BRA) - Williams – 1min24s981
18 – Vitaly Petrov (RUS) - Caterham – 1min25s277
19 – Heikki Kovalainen (FIN) - Caterham – 1min25s507
20 – Charles Pic (FRA) - Marussia - 1min26s582
21 – Timo Glock (ALE) - Marussia – 1min27s032
22 – Pedro de la Rosa (ESP) – HRT – 1min27s555
23 – Narain Karthikeyan (IND) – HRT – 1min31s122
24 – Lewis Hamilton (GBR) - McLaren – 1min21s707*

* Hamilton foi punido após o classificatório por falta de combustível no carro. Ele perdeu a pole position e vai largar em último.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

A UFPB pode parar na próxima quinta feira, dia 17 de maio

Professores da UFPB de JP devem parar na 5ª; Campi do interior já confirmaram greve geral.


11/05/2012 | 17h43min.
Os professores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) poderão entrar em greve na próxima quinta-feira (17), após uma assembléia que será realizada na terça-feira (15). Segundo informações da presidente da Associação de Docentes da Universidade Federal da Paraíba (ADUFPB), Teresinha Diniz, depois da última paralisação a tendência é haver o indicativo de greve. Já a ADUFCG informou que os Campi do interior já realizaram suas reuniões e decidiram pela greve no dia 17.

“Dia 15 (terça-feira) será realizada uma assembléia em João Pessoa, Campina Grande e Bananeiras, com forte mobilização, com cartazes, faixas e folders. Após o resultado dessa assembléia iremos dar início ao indicativo no dia 17 (quinta-feira) para a deflagração da greve, que de início durará 48h e caso a categoria não seja atendida a greve se estenderá por tempo indeterminado”, acrescentou.

Teresinha disse que os professores estão reivindicando principalmente reajustes no Plano de Cargos, Carreiras e Salários, entre outras exigências, que beneficiarão tanto o quadro nativo como o inativo do corpo docente da instituição.

A presidente relatou também que as negociações ainda estão em andamento, enfocando que o Governo Federal não oficializou nenhum acordo. “Com isso, alguns representantes da ADUF participarão de uma reunião em Brasília neste sábado (12), tentando solucionar o impasse”, finalizou.

Leia nota da ADUFCG.
Os professores dos Campi da UFCG de Sousa, Pombal, Cuité aprovaram em várias reuniões com a diretoria a entrada da categoria em greve a partir do dia 17 de maio. Hoje de manhã (sexta, 11), os docentes do Campus de Sumé se reuniram para avaliar a proposta de greve, indicada pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior – ANDES-SN e pelas últimas assembleias gerais da ADUFCG e também aprovaram a greve na UFCG.

Em Sousa, numa reunião histórica dos docentes daquele campus, realizada no final da tarde de segunda-feira (07/05), 19 professores aprovaram por unanimidade a adesão à greve e a pauta específica proposta pelo Setor das Instituições Federais de Ensino Superior do ANDES-SN.

Em Pombal, a reunião com os professores realizada na terça-feira (08/05), contou com a participação de 39 docentes e todos votaram a favor da greve. No Campus de Cuité, a Secretaria Adjunta realizou uma reunião com os professores ontem (09/05), que contou com a participação de 35 professores e todos também se posicionaram favoráveis a greve a partir do dia 17/05. Hoje, no Campus de Sumé, a Secretaria Adjunta da ADUFCG realizou reunião com os professores e todos os 34 presentes também votaram a favor da greve. Informações colhidas pela diretoria da ADUFCG, confirmam que no Campus de Cajazeiras a Associação dos Docentes – ADUC realizou assembleia, com a presença de 55 professores apenas três se posicionaram contrários a greve.

No Campus de Patos, a ADUFCG-Patos já realizou assembleia e todos os 40 docentes participantes aprovaram a greve a partir do dia 17 e deliberaram estado de assembleia permanente.

José Linhares Filho com informações da ADUFCG.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

O evangelho segundo Judas

Por dois milênios, Judas foi apontado como o maior traidor de Jesus. Agora, documentos sugerem que ele pode ser sido o mais fiel de seus seguidores.

por Ana Paula Chinelli

Essa é a última palavra sobre Judas Iscariotes: ele não traiu Jesus. Não é, necessariamente, a verdadeira. Nem a mais correta. Mas é a última versão da história mais polêmica do cristianismo. A revelação faz parte de um manuscrito redigido há cerca de 1,7 mil anos e que passou a maior parte desse tempo perdido em uma caverna no deserto egípcio. Escrito em copta, o idioma usado na redação de manuscritos no Egito antigo, o texto não deixa qualquer dúvida sobre os segredos que promete revelar. Na linha que abre a primeira das 13 folhas encontradas está grafado em destaque: Evangelho de Judas.
A tradução do manuscrito foi apresentada em abril, após 5 anos de trabalho. Autenticação, restauração e decodificação foram feitas pela Fundação Mecenas, da Suíça, e bancadas pela National Geographic Society. O resultado deixou historiadores e arqueólogos eufóricos. Afinal, descobertas como essa são raras e têm poucos precedentes – em termos de valor histórico, o evangelho pode ser comparado ao encontro dos Pergaminhos do Mar Morto, em 1947, que nos trouxe a mais antiga Bíblia conhecida, ou dos Manuscritos de Nag Hammadi, em 1948, que revelou ao mundo a existência dos evangelhos apócrifos. Juntos, todos esses textos estão permitindo que pesquisadores reconstruam a história do nascimento da religião que mais tem fiéis no mundo. “Por 2 mil anos, acreditamos que as únicas fontes sobre a vida de Jesus eram os 4 evangelhos canônicos: Mateus, Marcos, Lucas e João. Mas, nos últimos 50 anos, vimos que eles são apenas um pequeno exemplo entre vários textos que foram escritos nos primeiros séculos após a crucificação”, diz Elaine Pagels, professora de religião na Universidade de Princeton.
Não que o Evangelho de Judas fosse exatamente um desconhecido. Estudiosos da religião já sabiam de sua existência por causa de uma carta escrita em 178 d.C. pelo então bispo de Lyon, santo Irineu – o homem que decidiu que apenas os evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João entrariam na Bíblia. Em seu texto, Irineu citava nominalmente o Evangelho de Judas em meio a outros textos que o desagradavam pelo conteúdo “herético”.
O manuscrito recém-traduzido afirma que o único apóstolo a entender todo o significado dos ensinamentos de Jesus foi Judas. Ele mesmo, o homem cujo boneco é espancado anualmente na Páscoa brasileira. Cujo uso do nome é proibido na Alemanha. O sinônimo definitivo de traição. E, goste ou não, a última chance de rever esse estigma sobre o apóstolo é o evangelho. “Desconhecemos a existência de qualquer outro documento que relate a vida de Judas”, afirma Stephen Emmel, professor de estudos coptas da Universidade de Münster, na Alemanha, e um dos primeiros estudiosos a entrar em contato com o manuscrito. Estamos, portanto, diante da última palavra sobre Judas Iscariotes.

Quem foi Judas?
Judas é um personagem sem história. Com exceção de 15 citações nos evangelhos canônicos e algumas outras no Atos dos Apóstolos, quase não há registros de seu passado antes de conhecer Jesus. Ao contrário de apóstolos como Pedro, que era pescador, ou do cobrador de impostos Mateus, a Bíblia não conta de onde ele veio ou como ganhava a vida. Um silêncio que não chega a surpreender. “Pouco se sabe sobre Judas porque os evangelhos não tinham compromisso com a história. Eram apenas textos para orientar os cristãos e passar os ensinamentos de Jesus”, diz Gabriele Cornelli, doutor em ciências da religião da Universidade Metodista de São Paulo. E a orientação oficial sempre foi clara: Judas era o vilão. E ponto final.
Ponto final para os fiéis, é claro. Para os pesquisadores, este é apenas o ponto de partida para dúvidas que nunca foram respondidas. Algumas delas: assim como os outros 11 apóstolos, Judas também teve um grupo de seguidores? Quem eram eles? Há algum legado seu para o cristianismo? Qual foi a relação dele com Jesus? Judas foi mesmo o vilão pintado pela Bíblia? As respostas, como boa parte da história do nascimento do cristianismo, passam mais por hipóteses que por fatos comprovados. Acredita-se, por exemplo, que Judas era uma espécie de outsider entre os seguidores mais próximos de Jesus. Seu sobrenome, Iscariotes, provavelmente é uma indicação da cidade em que ele nasceu: Cariotes, ou Kerioth, ou algo bem próximo a isso – a vila nunca foi localizada com precisão. Sabe-se que o lugarejo ficava perto de Hebron, uma importante área urbana no sul da Judéia. Mas que estava a cerca de 5 dias de viagem da Galiléia, região que abrigava o coração da religião que nascia, onde viviam Jesus e seus outros 11 apóstolos (veja mapa no quadro acima).
E o que isso quer dizer? Que Judas pode ter sido uma figura bastante importante para Jesus. Caberia a ele levar as pregações aos habitantes da Judéia. E isso não era pouco. Vivendo no então principal centro político e econômico de onde hoje fica Israel, os habitantes da região acreditavam ser intelectualmente superiores aos moradores da Galiléia, considerados rústicos e atrasados, quase caipiras. O fato de Judas, um local, falar bem de Jesus pode ter ajudado a abrir as portas da região para o líder forasteiro. “A existência de um Evangelho de Judas leva a crer que ele teve seguidores e nos faz supor que ele tinha forte influência na Judéia”, diz Emmel. Para entender como Judas podia ter uma “área de influência” é preciso conhecer a estrutura do grupo de seguidores que Jesus tinha ao seu redor. Eles estavam divididos em 3 círculos. No mais distante, ficavam os ouvintes. Eles estavam em todo o território judaico e não seguiam Jesus, mas eram simpáticos às suas pregações. No segundo grupo estavam os discípulos, cerca de 70 pessoas que seguiam o mestre, ouviam seus discursos, anunciavam sua chegada nas cidades, faziam algumas pregações em seu nome, mas não tinham compromisso com Jesus. Foi desse grupo que ele escolheu 12 homens a quem chamou de apóstolos (mensageiros, em grego). Eles formavam o terceiro grupo e eram os mais fiéis. Faziam parte desse núcleo central os irmãos Pedro e André, Tiago e João, Filipe, Bartolomeu, Tomé, Mateus, outro Tiago (que era primo de Jesus), Judas Tadeu, Simão e Judas Iscariotes. “Jesus e os apóstolos tinham uma relação de profundo respeito e amizade”, diz o historiador da religião João de Araújo.

Nesse grupo, alguns tinham papéis definidos. Segundo a Bíblia, cabia a Judas a administração do dinheiro recolhido durante as pregações – uma função que sugere a confiança de Jesus (mas que também pode nunca ter existido, sendo acrescentada apenas para reforçar sua afeição ao dinheiro). A verba arrecadada cobria o custo das viagens. “Jesus foi um líder itinerante”, diz Cornelli.
Na ausência do líder, seus seguidores trabalhavam individualmente na busca por fiéis. “Jesus tinha muita clareza do que estava fazendo. Ele organizou células no território judaico e compôs uma estrutura que deu sustentabilidade ao seu poder. Isso explica por que o cristianismo sobreviveu mesmo depois de sua morte”, afirma o historiador André Chevitarese, professor de história antiga da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Assim, é muito provável que cada um dos apóstolos tivesse um grupo próprio de seguidores. Afinal, apesar de falarem em nome de Jesus, eram eles que entravam em contato direto com as pessoas comuns. Davam conselhos, pregavam, supostamente operavam milagres. E, obviamente, faziam isso a seu modo: quem ouvia Pedro tinha uma visão diferente da dos seguidores de João ou Tomé sobre os ensinamentos de Cristo. Mais tarde, essas peregrinações individuais serviriam como a semente que germinaria diversos cristianismos diferentes nos séculos 1 e 2 d.C. – é isso mesmo que você leu, diversos cristianismos. Antes, porém, a nova religião precisaria assistir a seu episódio mais emblemático.

A traição.
Judas, a Bíblia manda dizer, teve papel central na prisão de Jesus. Ele foi o alcagüete, o X-9, o ganso, o dedo-duro, enfim, o judas da história. Levou os soldados romanos ao jardim do Getsêmani, onde alguns apóstolos e seguidores estavam reunidos e, à frente dos guardas, deu o famoso beijo que identificou o líder do grupo. Resumindo, Judas traiu Jesus. Simples assim. Essa é a história conhecida por todos. Ou pelo menos era, até os pesquisadores da Fundação Mecenas traduzirem o Evangelho de Judas.
Em 26 páginas, o documento narra os episódios ocorridos durante a semana que antecede a Páscoa judaica no ano de 33 d.C. (os dias imediatamente anteriores à prisão de Jesus) e mostra uma versão completamente diferente da que tínhamos acesso até hoje. No relato, Judas é descrito como o discípulo mais próximo de Jesus, o único capaz de compreender a essência de seus ensinamentos. A profundidade da relação entre os dois aparece, por exemplo, numa passagem em que Cristo desafia os apóstolos ao zombar do comportamento deles. Rindo, acusa-os de não rezar por vontade própria, mas apenas por acreditarem que assim agradariam a Deus. Enquanto os apóstolos, ofendidos com a bronca levada, “começaram a blasfemar contra Jesus em seus corações” (nas palavras do evangelho), Judas mostra ser o único a entender as palavras do líder. Impressionado, Jesus o chama em particular para dizer: “Se afaste dos outros e eu lhe contarei os mistérios do Reino. Você pode entendê-los, mas vai sofrer por isso”.
E quais foram os segredos revelados? Nos manuscritos, Jesus fala sobre um mundo superior, habitado pelo verdadeiro Deus, um espírito bom “que nunca foi chamado de nenhum nome” e que deu origem a uma linhagem de anjos de onde saiu o criador da Terra. Adorado pelos judeus e citado no Antigo Testamento, este seria um Deus inferior, cuja criação aprisiona o espírito do homem. Para nos salvar e encontrar o Deus bom, precisaríamos buscar nossa porção divina interior e nos libertar desse mundo.
Por fim, Jesus revela que Judas será superior a todos os homens porque ”sacrificará o homem que me veste”. E revela a missão do discípulo: matar a parte física para livrar o mestre de seu corpo, ou seja, do reino inferior que aprisionava o espírito divino de Jesus. Judas cumpre à risca as ordens: imediatamente procura os sacerdotes para denunciar o líder. Pelo serviço, embolsou algum dinheiro – o valor não é especificado. Nesse momento, o evangelho acaba, abruptamente.
A idéia de que Cristo não só sabia de sua morte como permitiu que ela acontecesse não é exatamente uma novidade. Nos textos bíblicos, Jesus avisa pelo menos 3 vezes a seus seguidores que será morto. Aponta, inclusive, a traição por um de seus discípulos. O que o Evangelho de Judas acrescenta a essa história é que Jesus teve um cúmplice para ajudá-lo a cumprir seu destino. “Nesse texto, Judas não é o seguidor mau que trai seu mestre. Ele é o amigo mais próximo, o que o compreendia melhor, que o entregou para as autoridades porque assim Jesus queria”, afirma o historiador Bart Ehrman, professor do Departamento de Estudos Religiosos da Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, e integrante da equipe que traduziu o evangelho.
Apresentar Judas como alguém que agiu a serviço de Jesus é uma história bastante diferente das contadas em todas as fontes disponíveis – os evangelhos canônicos, o Atos dos Apóstolos e os textos apócrifos. Mas, antes mesmo da descoberta do novo evangelho, outros textos já passavam longe de pintar Judas como grande vilão da história, ou então como uma pessoa gananciosa e demoníaca. O Evangelho de Marcos, escrito por volta de 65 d.C. e considerado pelos historiadores o mais velho entre os 4 canônicos, cita Judas nominalmente apenas 3 vezes, afirma ser ele o responsável pela traição mas diz que a recompensa em dinheiro foi oferecida pelos sacerdotes. A partir daí, a imagem de Judas na Bíblia vai se tornando progressivamente má.
Mateus, escrito por volta do ano 80 e o segundo mais antigo, atribui a traição à ganância de Judas, dizendo que teria denunciado Jesus em troca das famosas 30 moedas de prata – o preço de um escravo na época. Mas relata seu remorso ao ver que Cristo foi condenado e conta que Judas reconheceu que tinha entregado um justo, devolvendo as moedas e depois se enforcando. Lucas, o seguinte na lista, diz que “Satanás entrou em Judas” e, por isso, ele traiu Cristo. O texto de João, que teria sido escrito no início do século 2, diz que, além de possuído pelo demônio, Judas também era ganancioso e ladrão.
Em textos apócrifos, outras hipóteses são levantadas. Uma delas diz que os primeiros cristãos esperavam que Jesus lutasse com armas contra Roma. Decepcionado com a covardia do mestre, Judas o teria entregado. Outra versão diz que, ao delatar Jesus, Judas pretendia precipitar uma revolta no povo de Jerusalém, que libertaria seu líder e o colocaria no trono. Uma espécie de golpe à Jânio Quadros – só que, enquanto Jânio foi para casa, o erro estratégico de Judas levou seu líder à cruz. Para Craig Evens, estudioso de assuntos bíblicos do Acadia Divinity College, no Canadá, tantas versões distintas sobre o mesmo tema revelam muito sobre a Bíblia. “Um dos evangelhos afirma que Judas agiu por dinheiro, outro não cita motivações, dois falam em ação demoníaca. Creio que essas versões tão distintas deixam claro que os escritores do Novo Testamento não sabiam exatamente quem era Judas Iscariotes.”

Primeiros cristãos
Depois que foi crucificado, a Bíblia conta, Jesus ressuscitou e ordenou aos apóstolos propagar a fé em Deus por toda parte. Se a ressurreição aconteceu ou não é questão de crença religiosa. Mas que os seguidores de Cristo se espalharam pelo mundo, não há dúvida – até porque a perseguição dos sacerdotes judeus fazia de Jerusalém um território para lá de perigoso. Judas Tadeu e Simão seguiram para a Pérsia. João percorreu a Turquia e se instalou em Éfeso, um dos primeiros centros do cristianismo.

Pedro viajou para Roma
Se enquanto Jesus estava vivo cada discípulo já contava a história ao seu modo, depois da crucificação as versões se multiplicaram. Quando os apóstolos morreram sem deixar instruções por escrito, então, já não havia como esclarecer dúvidas.
Circulavam centenas de versões para os mesmos fatos. Cristo era divino ou não? Divino por inteiro ou só parcialmente? Quem, afinal de contas, era Deus? Como existia mais de uma resposta para a mesma pergunta, em poucos anos o tronco original do cristianismo – as idéias e relatos de Jesus – se ramificou em diversos galhos. Os ebonitas, por exemplo, pregavam obediência às leis do judaísmo. Os marcionistas diziam que o deus judaico não era o Deus do Novo Testamento. Fala-se que os carpocracianos faziam troca de casais (tudo bem santo e em nome de Deus, é claro).
Resultado: na metade do século 1, apenas 20 anos após a morte de Jesus, o cristianismo era formado por diversas correntes, muitas contraditórias entre si. E tinha, pelo menos, 3 dezenas de evangelhos diferentes – os textos que narram a passagem de Cristo pela Terra. Destes, apenas os de Marcos, Mateus, Lucas e João acabaram reconhecidos pela doutrina da Igreja. Os demais, acusados de propagar heresias, jamais foram acolhidos pelas autoridades católicas. Os textos excluídos eram atribuídos a Maria Madalena, Judas, Tomé, Pedro e, agora se sabe, até a Judas. “A maior importância na descoberta desse novo manuscrito é comprovar a existência de uma diversidade de opiniões no cristianismo primitivo”, diz Marvin Meyer, especialista em Bíblia da Universidade Chapman, nos EUA, e coordenador da tradução do Evangelho de Judas.
Como é consenso entre historiadores que os evangelhos não foram escritos pelos discípulos de Jesus que levam seus nomes, mas por seguidores deles, resta a dúvida: quem, afinal, era o tal fã do bad boy da história? “É muito difícil identificar o autor do texto. O máximo que podemos é saber o perfil dele: um cristão simpático ao lado místico da religião”, diz Meyer. E quando fala em “lado místico da religião”, Meyer dá a senha para resolver o mistério. Para ele, o Evangelho de Judas foi redigido em alguma comunidade gnóstica, um desses galhos do cristianismo primitivo. A suposição pode ser confirmada por documentos históricos. Afinal, o próprio Irineu, perto de 180 d.C., identificou os autores do evangelho como gnósticos. Ao contrário do que muitos afirmam, esse não eram um ramo dissidente do cristianismo. Pelo contrário: gnósticos eram bastante influentes nos primeiros séculos após a crucificação, pregando que o homem conseguiria a salvação se conhecesse Deus – gnosis, em grego, significa conhecimento. Lembra-se do motivo pelo qual Jesus disse a Judas que precisava morrer? É exatamente disso que estamos falando.
Gnósticos acreditavam que os homens se libertariam da prisão do corpo quando conhecessem a parcela divina que tinham dentro de si. “Eles diziam que o mundo foi criado por um outro Deus, mau, e que o corpo material era uma prisão do espírito”, afirma o frei franciscano Jacir Freitas de Faria, professor do Instituto São Tomás de Aquino, em Belo Horizonte, e um dos principais estudiosos dos gnósticos no Brasil. Não é à toa, portanto, que o Evangelho de Judas é considerado pelos pesquisadores como fortemente influenciado pelo pensamento gnóstico. “Esse evangelho mostra um modo completamente diferente de entender Deus, o mundo, Cristo, a salvação e a existência humana”, completa. Esse modo reflete o pensamento dos gnósticos.
A dúvida que fica é como um grupo de gnósticos concluiu que o suposto vilão é o verdadeiro mocinho da história. Na Bíblia, há duas versões para o destino de Judas. O Evangelho de Mateus conta que, tomado de remorso, ele devolveu as 30 moedas que havia recebido pela traição e se enforcou. Mas, segundo o Atos dos Apóstolos, Judas comprou um terreno com o dinheiro e, “tombando para a frente, arrebentou-se pelo meio, e todas as entranhas se derramaram”. “As versões da morte de Judas narradas na Bíblia são inconciliáveis, mas são os únicos relatos que temos”, afirma Chevitarese. Mas, se Judas foi culpado pela traição e morreu tão cedo, como reuniu seguidores para escreverem seu evangelho? O professor Stephen Emmel formula duas hipóteses: ou Judas teve tempo de contar suas conversas com Cristo antes de se matar; ou não morreu tão cedo. “Quem escreveu o texto de Judas pensava que ele era um discípulo muito importante”, diz. “Acreditava que alguns ensinamentos especiais foram transmitidos por Cristo a Judas. E apenas a ele.”

A história oficial
No 1º século do cristianismo, o excesso de versões para as palavras de Jesus não era um problema. Mas, em 178 d.C., o bispo Irineu, de Lyon, resolveu unificar a Igreja. Queria fortalecer o cristianismo e controlar melhor os fiéis. Determinou, então, que apenas 4 evangelhos contavam a história verdadeira do filho de Deus e, portanto, deveriam ser os únicos seguidos pelos cristãos. O de Judas foi descartado. Os critérios que orientaram a escolha de Irineu foram subjetivos. O primeiro, dizem historiadores, foi a facilidade de compreensão, já que os textos precisariam ser lidos em voz alta para os fiéis – afinal, a maioria era analfabeta. O segundo ponto era a idade: os evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João estavam entre os mais antigos, escritos entre 65 e 95 d.C. O terceiro argumento foi o número 4, considerado especial por Irineu – porque havia “4 ventos e 4 direções (norte, sul, leste e oeste)”, como escreveu o próprio bispo. E, por óbvia conclusão, 4 evangelhos. Deu para entender a lógica?
É claro, a história relatada no evangelho também foi levada em conta. Irineu representava o cristianismo ocidental, ligado aos legados do apóstolo Pedro, que pregou em Roma. Ele não aceitava – na verdade, rejeitava – os pensamentos gnósticos. “Os gnósticos diziam que a salvação vinha pelo autoconhecimento. Assim, acreditavam que não precisavam freqüentar cultos e igrejas ou ter um padre como intermediário. Também afirmavam que a morte de Cristo na cruz serviu para libertá-lo da prisão que era seu corpo, mas seu sofrimento não poderia salvar os homens que aderissem à Igreja Católica”, diz Jacir de Faria. Na prática, a pregação gnóstica não era nada interessante para um bispo que tinha como objetivo fortalecer a Igreja. Evangelhos como o de Judas, Tomé e até o de Pedro receberam o carimbo de heréticos.
“Os líderes da Igreja queriam que o Novo Testamento fosse uma guia do que os fiéis deveriam aprender. Por isso, os 4 evangelhos oficiais são livros óbvios, claros. Os textos proibidos, não. Eles são místicos, inesperados, paradoxais, mais próximos à cabala judaica. São para iniciados que querem se aprofundar na fé”, diz Elaine Pagels.
Ao fazer suas escolhas, Irineu selou o destino de Judas. Um exemplo: por que Pedro, que negou Cristo 3 vezes, jamais teve sua virtude colocada em dúvida e não entrou para a história como traidor? “Pedro, chefe da Igreja em Roma, tinha de ser o herói. A Igreja elegeu Judas como vilão já que um dos 12 deveria trair”, diz o historiador Chevitarese.
“Judas serve como exemplo para amedrontar os cristãos que não seguirem o Evangelho”, comenta Jacir. “O cristianismo precisa desses arquétipos. Destruí-los é mexer nas bases que o sustentam.” Foi mais seguro para Irineu, portanto, ficar com os evangelhos de Marcos, Mateus, Lucas e João, que seguiam linhas parecidas e não feriam os princípios de que Pedro era o apóstolo mais próximo de Cristo e Judas, o traidor. (Para quem ficou curioso ao perceber que Marcos e Lucas não integravam a lista original de apóstolos, o esclarecimento: Marcos era sobrinho de Pedro. Lucas, amigo de Paulo, que se tornou apóstolo após a crucificação, segundo ele, “por vontade de Deus”.)
Não chega a ser surpresa, portanto, que a Igreja tenha recebido com frieza a descoberta dos manuscritos. Ainda que pesquisadores como Marvin Meyer, coordenador dos trabalhos de tradução, defendam uma “reavaliação da figura histórica de Judas Iscariotes”, o Vaticano veio a público negar a benção ao novo evangelho. Walter Brandmuller, presidente do Comitê para Ciência Histórica do Vaticano, chamou o texto de “produto de fantasia religiosa”. E, na primeira missa após a divulgação do evangelho, o próprio papa Bento 16 fez questão de apresentar sua opinião sobre o tema. Não aliviou nas palavras. “O que deixa o homem imundo? A rejeição ao amor, o não querer ser amado e o não amar. É a soberba de acreditar que não precisa de purificação, a rejeição da vontade salvadora de Deus. Em Judas, vemos a natureza dessa negação com mais clareza. Ele valorizou Jesus segundo os critérios do poder e do sucesso”, disse.
“A Igreja nunca vai aceitar a versão que absolve Judas da traição. Na visão dela, o pecado de Judas existiu e se deve ao mau uso de sua liberdade. Afinal, ele tinha livre-arbítrio para escolher não entregar Cristo. Não foi um ato inevitável, nem um fatalismo”, diz o historiador da religião João de Araújo. O frei Jair de Faria concorda. “Judas somos todos nós quando traímos o projeto do Evangelho. O recado é claro: na dúvida, melhor não trair.” Judas que o diga.

Uns com tanto e outros com tão pouco....

Sexo - Mulher ninfomaníaca obriga homem a fazer sexo por 36 Horas, e acaba presa.


09/05/2012 | 08h36min

Uma mulher foi presa em Munique, Alemanha, por obrigar um homem a fazer sexo com ela durante 36 horas.

O homem, de 31 anos, foi encontrado pela polícia chorando do lado de fora do apartamento da mulher e, exausto após 36 horas de sexo, teria dito: “Oh, Deus, foi um inferno. Eu não posso andar. Por favor, me ajude”.
A ninfomaníaca conheceu o sujeito no ônibus, quando voltava de uma clínica para viciados em sexo.
O rapaz foi convidado a conhecer o apartamento da mulher, ficou preso, foi feito de escravo sexual e só conseguiu escapar após uma maratona de sexo.
Essa não foi a primeira vítima da moça, no mês passado divulgamos aqui um outro episódio envolvendo a criminosa sexual, que chegou até a convidar os rapazes da polícia para uma surubinha.
A moça foi levada a um hospital para observação psiquiátrica.
Vírgula.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Voce ver a veja? Azar o seu!

Revista Veja está completamente envolvida com caso Cachoeira, diz site.


Quem deu o furo foi o controverso site Brasil 247, que tem comprado briga com a Veja, com blogs progressistas, reacionários e que, entre seus colunistas, conta com figuras antagônicas como o petista José Dirceu e o tucano Artur Virgílio.
A importância do furo é tão grande e o conteúdo do inquérito tão explosivo que o Jornal Nacional citou a fonte, de onde eclodiu uma cachoeira de acusações contra o já exangue Demóstenes Torres e o governador Marconi Perillo, que mantém ar impoluto apesar da lama que já lhe chega à cintura.
E é aí que entra a revista Veja, apesar de, por enquanto, continuar de fora dos telejornais. A publicação aparece mal na fita, ou melhor, nas fitas das gravações da Polícia Federal que figuram no inquérito.
Em um dos trechos largamente divulgados na internet, Cachoeira e companhia aparecem decidindo em que seção da revista deverão ser publicadas informações que passaram ao editor Policarpo Jr., informações que a quadrilha pretendia que prejudicassem seus adversários nos “negócios”.
Como se não bastasse, a transcrição das escutas revela que as imagens do ex-ministro José Dirceu se encontrando com membros do governo federal em um hotel de Brasília que Veja publicou, foram fornecidas pelo esquema de Cachoeira.
E essas são só algumas das muitas garimpagens que estão sendo feitas por uma legião de internautas no material divulgado pelo 247, que ainda não inclui os contatos do editor da Veja com a quadrilha apesar de ele e a publicação aparecerem nos diálogos, o que sugere que ainda há material oculto.
Torna-se impossível, assim, que a CPI deixe de convocar, se não o dono da Veja, Roberto Civita, ao menos o seu editor Policarpo Jr. a fim de dar explicações, pois o que já vazou deixa claro que a mera relação fonte-repórter que a revista alega era muito mais do que admite.
Diante da confirmação de maior envolvimento da Veja no escândalo, parece lícito especular que, se a chapa esquentar, Policarpo pode receber uma proposta do patrão: assumir sozinho ônus dessa relação inexplicável que fez de Cachoeira uma espécie de ghost-editor da revista.
Esse tipo de proposta se baseia em pagamento de alta soma e apoio jurídico integral. Como o bode expiatório, supõe-se, não tem passagens pela polícia, torna-se réu primário, ou seja, não vai para a cadeia. E, depois de ultrapassado o desgaste do processo, sai rico dele.
A Veja sairia chamuscada, mas sem responsabilização criminal. É o que está acontecendo na Inglaterra, no caso Murdoch. Ele diz que “não sabia” de nada e empurra a culpa para os funcionários. Só que não está funcionando. Mas isso é na Inglaterra e estamos no Brasil.
Vermelho.org

sábado, 5 de maio de 2012

Com tempo nublado, João Pessoa poderá não ver a Grande Lua

Lua aparece mais brilhante no sábado.


Fenômeno conhecido como superlua acontece quando satélite fica mais próximo da Terra.

Foto: Nasa

Proximidade com a terra fará com que lua pareça 14% maior que o comum A maior e mais brilhante lua cheia do ano será no sábado quando o satélite da Terra passará mais perto que o usual do planeta. É a chamada superlua, fenômeno que em 2012 só vai ocorrer neste sábado (5), quando o satélite vai passar cerca de 357 mil quilômetros de distância da Terra - 24.600 quilômetros mais perto que a média.
De acordo com Geoff Chester do Observatório Naval Americano, a proximidade fará com que a Lua pareça estar 14% maior. “A diferença aparente é tão pequena que será muito difícil de detectá-la a olhos nús”, disse. A distância da Lua com a Terra varia por causa da órbita elíptica da Lua ao redor do planeta.
Como qualquer outra lua cheia, a superlua parecerá maior quando estiver perto do horizonte, por causa da ilusão de ótica. Porém, será às 23h34 (horário de Brasília) que a Lua estará mais próxima da Terra. “A superlua trará marés fora do comum por causa de seu alinhamento com o Sol e a Terra, mas o efeito será modesto”, disse Chester.
Não importa o quão perto a Lua estará da Terra, psicólogos advertem que não há relação nenhuma do satélite da Terra com aumento de crimes, crescimento no número de internações em hospitais psiquiátricos, por exemplo. “Estudos que tentaram documentar alguma relação entre lua cheia e comportamento não encontra nenhuma evidência de conexão”, disse Scott Lilienfeld, da Universidade Emory, nos Estados Unidos.
Lilienfeld, autor de “Os 50 maiores mitos populares da psicologia”, disse que a noção de que a lua cheia seja encarregada de provocar comportamentos bizarros está entre os dez maiores mitos do ranking pelo fato de ser “tão difundida que ganha convicção”.
Lilienfeld afirma que o motivo para tal mito poderia estar na forma como as pessoas prestam atenção nas coisas, lembrando apenas das coincidências. “Se alguma coisa estranha acontece durante a lua cheia, as pessoas que acreditam neste mito acabam lembrando mais do fato, justamente por contar para os outros sobre esta relação . Mas quando outra lua cheia aparece e nada fora do comum ocorrer, elas parecem menos propensas a se lembrar”, disse.
(Com informações da AP)

terça-feira, 1 de maio de 2012

"É inadmissível que o Brasil continue com um dos juros mais altos do mundo", disse a presidenta.

Para a minha tranquilidade, na guerra contra os juros altos, Dilma se soma a memória do falecido ex vice presidente, José de Alencar. Corajosas e desafiadoras, foram assim, suas palavras em um pronunciamento em homenagem ao dia do trabalho.

Na TV, Dilma eleva tom a bancos privados e pede corte em juros A presidenta Dilma Rousseff elevou o tom na guerra do governo para que bancos privados reduzam os juros cobrados a consumidores, instou as instituições a seguir movimento de cortes anunciado pelos concorrentes públicos e disse ser inadmissível que o Brasil continue com uma das taxas mais altas do mundo.
A guerra para a redução das taxas se intensificou nas últimas semanas, com Banco do Brasil e Caixa anunciando cortes nos juros numa tentativa de forçar uma redução por bancos privados, que acompanharam em parte o movimento.
Em pronunciamento em rádio e televisão dominado pela temática econômica, Dilma disse que o governo tem uma "posição firme" para a redução dos juros e foi direta na mensagem às instituições privadas.
"É inadmissível que o Brasil, que tem um dos sistemas financeiros mais sólidos e lucrativos, continue com um dos juros mais altos do mundo", disse Dilma durante pronunciamento em comemoração ao Dia do Trabalho, transmitido na noite da segunda-feira.
"A economia brasileira só será plenamente competitiva quando nossas taxas de juros, seja para o produtor seja para o consumidor, se igualarem às taxas praticadas no mercado internacional".
Além de usar os bancos estatais como arma para forçar a redução das taxas, o governo tem tido a colaboração do Banco Central, que tem cortado sistematicamente a taxa básica de juros brasileira, hoje em 9 por cento.
"Os bancos não podem continuar cobrando os mesmos juros para empresas e para o consumidor, enquanto a taxa básica Selic cai, a economia se mantém estável e a maioria esmagadora dos brasileiros honra com presteza e honestidade os seus compromissos", disse.
"O setor financeiro, portanto, não tem como explicar essa lógica perversa aos brasileiros".
Dilma e outros integrantes do governo vêm demonstrando publicamente desagrado com as taxas de juros e o spread bancário -a diferença entre o valor pago pelos bancos para captar recursos e o cobrado pelos tomadores de crédito.
A presidenta disse ainda que o governo vai continuar buscando meios para baixar os impostos e voltou a citar a defesa dos empregos da indústria.
"Para que nosso país tenha uma economia mais forte, é preciso ainda que encontremos mecanismos que permitam uma diminuição equilibrada dos impostos para produtos e para consumidores", disse.
"E que tenhamos uma taxa de câmbio que defenda nossa indústria e nossa agricultura, em suma, os nossos empregos".