domingo, 27 de outubro de 2013

Vettel conquista tetra com vitória estratégica na Índia.

27/10/2013 09:02 Webber abandona e Massa é quarto
Ao vencer o GP da Índia neste domingo (27), Sebastian Vettel escreveu mais um capítulo vitorioso de sua jovem carreira na F1. O alemão se tornou tetracampeão aos 26 anos
EVELYN GUIMARÃES, de Curitiba
VICTOR MARTINS, de São Paulo
Mais jovem tetracampeão, Vettel repete feitos de Fangio e Schumacher e continua escrevendo história da F1
“Sebastian Vettel, você é o campeão do mundo”. A frase via rádio que se tornou refrão das conquistas do alemão já era esperada para este domingo (27) na Índia. Só havia uma dúvida – pequena – em que condição/posição viria por causa das estratégias de pneus que se desenhavam antes da largada. Não demorou muito, tipo uma curva, para ver que o título já era do alemão: Fernando Alonso tinha parte do bico levado por um toque na traseira do carro de Mark Webber e se viu obrigado a trocar a asa dianteira. Paradas aqui e ali logo no começo e o ritmo de Vettel já lhe garantiam o caminho da vitória. Que veio em definitivo na 40ª volta, quando seu companheiro australiano, único que podia roubar-lhe o primeiro lugar, teve de parar a Red Bull com problemas no alternador.
Invicto depois das férias da F1 e com a décima vitória no ano, Vettel torna-se o tetracampeão mais jovem e polindo cada vez mais seu nome como um dos grandes de todos os tempos. Iguala-se a Alain Prost no número de conquistas. Neste ritmo imbatível, chega em Michael Schumacher em 2016.
Sebastian Vettel celebra quarto título na F1 com vitória em Buddh
Nico Rosberg e Romain Grosjean apenas figuraram no pódio na Índia, onde a festa foi totalmente rubro taurina. Fernando Alonso, único com chance ―ainda que remota ― de tirar a taça do alemão, se viu em uma prova das mais tumultuadas e chegou apenas em um melancólico 11° lugar. Felipe Massa completou em quinto.
Foi em meio a uma nuvem densa de poluição que a F1 largou neste domingo (27) em Buddh, vivendo a expectativa da conquista do quarto título mundial de Sebastian Vettel. E o início das ações indianas viu o pole Vettel pular à frente sem maiores dificuldades, enquanto Felipe Massa partiu muito bem do quinto posto, superando já depois da primeira curva os dois pilotos da Mercedes, Nico Rosberg e Lewis Hamilton, para assumir o segundo lugar da prova.
Mais atrás, Alonso, que saíra de oitavo, se encontrou no meio do bolo de carros do pelotão intermediário na primeira curva e acabou se envolvendo em um toque com Mark Webber na sequência. Fernando ainda sofreria mais um toque com Jenson Button na curva 4. O incidente jogou o espanhol para a décima posição. Ainda, a primeira volta acompanhou uma batida entre Giedo van der Garde e Max Chilton.
Lá na frente, antes mesmo do líder Vettel completar a segunda volta, a Red Bull o chamou para trocar os pneus – o alemão havia escolhido dos macios para iniciar a prova. Alonso parou também na mesma volta, mas apenas para trocar a asa dianteira, danificada na largada. O alemão voltou em 17°, enquanto o asturiano em 20°.
Paul di Resta e Jean-Éric Vergne também aproveitaram para visitar os boxes. Ambos saíram de médios, depois de largarem com os macios. Nico Hülkenberg foi outro que também parou cedo, para calçar os médios.
Enquanto isso, na pista, Massa tratava de abrir distância depois de herdar a liderança com a parada precoce de Vettel. A ordem atrás dele era: Rosberg, Hamilton, Webber, que já havia superado Kimi Räikkönen, que ainda se viu em apuros com um impetuoso Sergio Pérez em sexto.
Aí, na sétima passagem, a Mercedes e a Lotus chamaram Rosberg e Räikkönen para os pits. Eles foram os primeiros entre os ponteiros a parar para trocar os macios pelos médios. Massa e Hamilton foram na volta seguinte.
Assim, Webber assumiu a liderança da prova. Sem ainda parar, Sergio Pérez pulou para segundo, à frente de Daniel Ricciardo. Romain Grosjean vinha em terceiro, já com Vettel em quarto. Adrian Sutil era o sexto, à frente de Esteban Gutiérrez, Massa, Rosberg e Valtteri Bottas. Alonso era apenas o 16°.
Na 12ª volta, Sebastian superou Grosjean e passou para o terceiro posto, 13 segundos atrás do líder. O tricampeão, então, iniciou uma sequência de voltas rápidas, enquanto o francês da Lotus foi fazer seu pit-stop. Pouco tempo depois, a direção de prova informou um drive-through para Gutiérrez por ter queimado a largada.
O piloto da Sauber cumpriu a punição imediatamente e retornou à pista na frente de Alonso, na 13ª colocação. Aí, como se não bastasse todos os dramas do espanhol na prova indiana, ainda teve de lidar com Gutiérrez. Mas a ultrapassagem veio só no 13° giro. Fernando, assim, passou para a 13ª posição.
Enquanto isso, Webber ainda era líder, com uma margem de 11 segundos para Vettel. Sim, para Vettel. Depois de assumir o terceiro posto, o alemão não encontrou sérias dificuldades para também superar Pérez. O mexicano da McLaren, Ricciardo e Sutil completavam os cinco primeiros. Não se perca. Os três mantinham as posições graças à estratégia. O trio, assim como Mark, ainda não havia visitado os boxes.
Atrás do alemão da Force India, Massa tentava se esquivar dos carros da Mercedes, que eram liderados por Rosberg. Hamilton vinha à distância, em oitavo, apenas observando. Hülkenberg e Räikkönen fechavam a lista dos dez. Alonso ainda era 13°.
Nova janela de pit-stop. E foi Rosberg quem a abriu. O alemão voltou aos boxes na volta 28. Na seguinte, foi finalmente a vez de Webber, que botou os macios. Gutiérrez e Vergne seguiram o oceânico. Pérez foi na sequência. Aí Massa e Hamilton também pararam na volta 31. Alonso também veio na mesma passagem, junto com Di Resta. Nesta altura, apenas Ricciardo, Bottas e Sutil seguiam na pista sem pit-stops. Vettel parou com 32 voltas. E voltou em primeiro. Daí Webber, depois de apenas quatro passagens calçado com os amarelos, parou de novo. Colocou os médios e voltou em segundo, 12 segundos atrás do companheiro de equipe. Ricciardo e Bottas foram aos pits na sequência.
Dessa forma, quando a corrida alcançou a 36ª volta, Vettel era o líder, seguido por Webber, Sutil, que ainda não havia parado, Räikkönen, que vinha só com uma parada, Rosberg, Grosjean, também com uma, Massa, Ricciardo, Hamilton e Pérez. Alonso era ainda o 13°.
Räikkönen, então, foi para cima de Adrian e conseguiu o terceiro lugar, enquanto Felipe tentava escapar de Hamilton. Duas voltas mais tarde, Alonso fez novo pit-stop, o terceiro do dia, e voltou em 16°. Lá na frente, enquanto Vettel se distanciava, a Red Bull manifestava preocupação com Webber, cujo carro apresentava problemas de câmbio. Não demorou nem dois giros.
Na 40ª passagem da corrida indiana, Mark, único que parecia em condições de lutar pela vitória contra Seb, foi parando e finalmente encostou o RB9. Duas voltas depois, Sutil finalmente foi aos boxes. E a nova ordem da corrida passou a ser: Vettel, Räikkönen, Rosberg, Grosjean, Massa, Hamilton, Pérez, Hülkenberg, Di Resta e Sutil. Só destacando que Kimi e Romain vinham apenas com uma parada, em mais de 45 voltas.
As dez voltas finais viram uma briga intensa entre Grosjean, Massa e Hamilton pela quarta posição. Mais à frente, Rosberg, em terceiro, vinha tentando alcançar Räikkönen. Já o líder Vettel andava já com tranquilidade na ponta.
Com melhor ritmo, Rosberg não demorou para ir para cima do finlandês da Lotus e conseguiu a ultrapassagem na 52ª passagem, para assumir o segundo posto. Aí Kimi virou o alvo do companheiro de equipe, que o superou quatro voltas mais tarde. Räikkönen ainda perderia posição para Massa, Pérez, e Hamilton. No fim, o nórdico completou em sétimo, à frente Di Resta, Sutil e Ricciardo. Alonso entrou no briga do top-10, mas acabou mesmo em um triste 11°.
Completamente alheio a tudo isso, Seb cruzou a linha de chegada em primeiro, para assinar mais uma vez seu vitorioso nome na história da F1, com somente 26 anos. A sexta vitória consecutiva ― a décima em 2013 ― foi também suficiente para garantir o quarto título mundial seguido, repetindo das duas lendas maiores do esporte a motor no mundo: Juan Manuel Fangio e Michael Schumacher.
A conquista do jovem alemão também assegurou à Red Bull o título do Mundial de Construtores, também pelo quarto ano consecutivo.
Rosberg e Grosjean apenas figuraram no pódio na Índia, onde a festa foi totalmente rubro taurina. Vettel, no fim, ainda deu zerinhos na pista e jogou as luvas para o pouco público que acompanhou o triunfo do germânico nas arquibancadas em Buddh.
A próxima corrida da F1 acontece em uma semana em Abu Dhabi, dia 03 de novembro.
VEJA COMO ESTÁO OS 3 PRIMEIROS COLOCADOS:

Nenhum comentário: