domingo, 8 de fevereiro de 2015

Petrobras – Corrupção, corruptores e o aparelhamento político

Por Ligia deslandes
www.ligiadeslandes.com.br

Hoje depois de ouvir tantas “abobrinhas” sobre a Operação Lava Jato da Polícia Federal e ver novamente o nome da Petrobras e do Partido dos Trabalhadores ser enxovalhado pela imprensa sem escrúpulos do meu país não pude me conter. Quando vi então o comentário de que José Dirceu teria indicado o ex-diretor Duque fiquei ainda mais indignada.
Não sei se todos sabem, mas, sou funcionária de carreira da Petrobras e, antes de ser presidente do sindicato onde milito hoje, trabalhei quase 30 anos na Petrobras Distribuidora e passei por vários setores, desde a área de comunicação até as áreas comerciais, de atendimento, preços e recursos humanos. Cheguei na empresa em 1986 e até hoje minhas ligações com todo o sistema Petrobras são profundas e, no sindicato, me considero também fiscal de qualquer malfeito dentro da empresa, como nosso sindicato já teve, inclusive, a oportunidade de denunciar.

Nesses 28 anos de trabalho tive a oportunidade de, como funcionária da empresa, ver e conviver com o aparelhamento político de vários matizes, que sempre foi acobertado pela imprensa e pelos políticos que aparelhavam a empresa com seus apadrinhados. Em 1983 fiz um processo seletivo para a Petrobras e passei em sétimo lugar e consegui entrar? Não. Sabem por que? Por que havia 20 pessoas que tinham que entrar na minha frente indicadas pelo então vice-presidente da época que tinha as suas ligações políticas dentro da antiga ARENA que veio a se tornar depois PDS e posteriormente PFL, e que hoje estão divididos entre o DEM e o PP. Partidos de direita, ligados ao Golpe Militar. Por isso, só consegui ser admitida em 1986.

Nessa época a empresa tinha dentro de seus quadros muitos militares e indicados de militares. Muitos dos quadros técnicos da empresa se formaram na linha dura do regime e vários foram admitidos de empresas como Atlantic, Texaco, Castrol, todas empresas multinacionais que sempre rivalizaram com a Petrobras.

Quando cheguei na empresa em dezembro de 1986 tive um choque ao verificar o tratamento que existia entre os funcionários de nível médio e nível superior. Não se falavam, não se sentavam juntos, existia uma espécie de “apartheid” onde uns eram superiores e outros inferiores. A turma de “superiores” mandava na empresa. Essa era a cultura. Diretoria, Executivos, Gerentes de segundo nível eram todos indicados politicamente. Todo mundo era “Deus”, decidiam e mandavam como verdadeiros deuses. Ai de quem quisesse afronta-los. Dentro da empresa todo mundo sabia quem era afilhado de quem, as propinas que recebiam, o nepotismo que corria solto, mas, ninguém ousava questionar qualquer coisa. A empresa tinha oligarquias e feudos formados em vários setores. Eram outros tempos. Difíceis.

Com FHC nada mudou nesse esquema, exceto que ele soube colocar as suas pessoas certas nos lugares certos. Sua política de privatização desmantelou a empresa e deixou a míngua os funcionários, retirando direitos com a conivência de alguns sindicatos, inclusive o meu, na época. Era preciso acabar com todas as empresas do sistema, deixar a Petrobras falida, sem investimentos, a força de trabalho desmotivada para que tivessem uma forma de influenciar a opinião pública a favor da privatização assim como fizeram com as teles. Mas, o movimento sindical mais progressista reagiu e pagou o preço e com a Petrobras ele não conseguiu fazer o que queria.

Quando Lula entrou em 2003 no Governo a empresa não dava lucro, estava com poucos funcionários, não se fazia concursos, e a terceirização grassava solta. Inúmeros executivos da empresa ganhavam rios de dinheiro. Todo mundo sabia e comentava pelos corredores que havia roubalheira em licitações, contratos, entrega de produtos, serviços realizados. Aliás, era tudo tão informal. Poucos controles para que ninguém pudesse saber ou questionar. Sistemas de informação? Precários e obsoletos.

Depois de 1988 com a Constituição promulgada não se podia mais fazer processos seletivos. A entrada na empresa tinha que ser somente por Concurso Público. É aí que entra a terceirização como pano de fundo para esconder apadrinhados de políticos, de executivos da empresa que começaram a se entranhar dentro do sistema corporativo. FHC também foi o culpado disso! Ele aprofundou a terceirização na Petrobras. É importante dizer isso.

Depois de 2003, com a vitória do PT, os investimentos vieram, o aparelhamento tecnológico também, os lucros cresceram, os acordos coletivos passaram a ser cada vez melhores. As empresas do sistema Petrobras se desenvolveram e cresceram vertiginosamente. O Governo queria a Petrobras funcionando e sendo uma força motriz para o desenvolvimento do país. Assim aconteceu… Mas, como aconteceu?

Considero esse o grande pecado do PT no Governo. Não mexer com as oligarquias e feudos que habitavam a Petrobras desde a ditadura. E o mais interessante é que acabou levando a fama de aparelhar a empresa. O máximo que fez foi mudar algumas diretorias com técnicos da própria empresa, alguns do movimento sindical, mas, podemos contar nos dedos quem são. O tão decantado aparelhamento que a mídia tanto comentou todo esse tempo, sempre soubemos ser uma falácia mentirosa. E toda hora tinha luta encarniçada dentro da empresa para fazer andar projetos voltados aos interesses do país. As exigências para lidar com pessoas em um sistema corporativo de empresas com a complexidade concernente a produção e comercialização de petróleo e seus derivados, que trabalhavam dentro de uma visão voltada somente ao mercado e não queriam mudanças dava e continua dando muito trabalho. E a mídia sempre esteve de olho. O PT nunca teve o apoio da mídia como FHC teve. Não havia e não há interlocução com eles por conta das mudanças de rumo que Lula e Dilma deram ao país favorecendo a grande parcela do povo brasileiro que sempre foi abandonada.

Assim, acredito que muitos que operavam esses feudos continuaram fazendo o que sempre fizeram. Atendendo os interesses dos políticos interessados em engordar os caixas de campanha, em empregar pessoas nas empresas contratadas e fazer o que queriam para continuar tendo seus privilégios. O que o Governo fez foi criar vários mecanismos de controle que até então não existiam. Isso, com certeza, além de trazer muita antipatia por parte dos desonestos, também tornou mais transparente a administração não só da Petrobras como de todas as estatais, o que facilitou que os órgãos controladores e fiscalizadores conhecessem melhor o sistema de gestão.

Agora escuto a imprensa dizer que o engenheiro Renato Duque, preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato é indicado de José Dirceu. Isso é uma barbaridade!!! Duque trabalha na Petrobras desde 1978. É Engenheiro Elétrico formado pela UFF e tem especialização em Engenharia de Petróleo pela UFF. Foi Gerente de RH e Contratos da área de Exploração e Produção e de Engenharia e Tecnologia de poços do E&P. Não é de hoje que trabalha no sistema Petrobras. Se estava envolvido em malfeitos, provavelmente, não aconteceu nesse governo e já acontecia antes.

A imprensa manipuladora e seletiva sabe muito bem o quanto é complexo lidar com uma corporação como a Petrobras e todas as empresas que fazem parte do sistema. Diz o que diz por que tem interesses políticos envolvidos. Faz política de sobrevivência, pois, sabe de seu envolvimento em muito dos casos investigados.

O que ela não diz é que foi o PT com Lula e Dilma que criaram uma política que exigiu controles e procedimentos nessas empresas que até então não existiam. Foi o PT com Lula e Dilma que criaram em 2003 a Controladoria Geral da União – CGU responsável por detectar casos de corrupção e desenvolver mecanismos de prevenção à corrupção. Foi no o PT com Lula e Dilma que possibilitou à Polícia Federal trabalhar como nunca antes havia trabalhado totalizando de 2003 até 2012 o número de 1.273 operações com 15.754 presos. Isso nunca tinha acontecido até então.

Assim, é totalmente espúrio dizer que o PT é responsável por qualquer tipo de corrupção. O partido, o ex-presidente Lula e a presidenta Dilma foram sim, responsáveis por trazer luz ao que estava obscurecido pela falta absoluta de controles e transparência. Há corruptos, corruptores, sonegadores e todo tipo de gente em toda instituição. É da natureza humana e, principalmente, da natureza do sistema capitalista o estímulo para que as pessoas “se deem bem”, “tirem vantagens”, “busquem privilégios”. Todas as instituições estão sujeitas a isso e em todas elas há pessoas capazes ou não de se corromper ou de corromperem outras.

É totalmente descabido a Polícia Federal ter entre seus agentes pessoas que, trabalharam nas redes sociais na campanha eleitoral de Aécio Neves do PSDB integrando essa operação e fazendo vazamentos seletivos da investigação para a imprensa de acordo com seus interesses partidários. E no caso, estamos falando de uma delação premiada cujo processo corre em “segredo de justiça”. Ora, que segredo de justiça é esse que pode ser violado pela PF ou pelo Judiciário? Em nome de quem ou de que partido isso foi feito? É antiético, ilegal e imoral!

Não sou contra qualquer investigação da Polícia Federal. Quero que todo o dinheiro que essa gente vem usando tanto para a corrupção como na sonegação venha integrar os cofres públicos para que os serviços públicos sejam melhores e mais eficientes para o nosso povo. O que não dá para aceitar, e contra isso me insurjo, é que a PF e o Judiciário sejam cúmplices da oposição para fazer com que a Petrobras seja enxovalhada pela imprensa e os crimes cometidos por eles sejam colocados no colo do Governo que está combatendo a corrupção pela primeira vez no país. Isso para mim é Golpe e de Golpe já basta o “Mensalão” ou “Mentirão” como gosto mais de chamar…

Não mais podemos deixar que reduzam a pó as mudanças que foram realizadas no país pela força da manipulação de grupos ligados ao que existe de mais retrógrado em nossa sociedade. Não mais podemos deixar que o combate à corrupção seja um instrumento de golpismos e retrocesso. O Brasil não merece retroceder! O Brasil não quer outra ditadura!

A Petrobras é a maior e mais eficiente empresa brasileira. O sistema Petrobras é maior que politicagens e servilismos. Não podemos nos iludir. Toda essa história está servindo de pano de fundo para esconder alguns problemas graves que temos em nossa sociedade e que estamos começando a debater com mais força. Temos políticos hoje que detêm concessões de rádio, jornal e TV. Isso é proibido pela Constituição. Por que então o Governo permite isso? As concessões de rádio, jornal e TV precisam ser reguladas como a Constituição assim determina. Isso não aconteceu ainda por que? O sistema político permite que empresas façam doações para partidos e assim as empresas na verdade estão fazendo investimentos em políticos para que eles façam o que for de seu interesse e não do interesse do povo. Isso tem que acabar. Como? O Judiciário não pode ser porta voz do interesse das elites. Como acabar com os privilégios do judiciário?

Temos que ir para as ruas mostrar nossa indignação e falar cada vez mais com o maior número possível de pessoas sobre todos esses assuntos! A Petrobras é nossa e não podemos deixar que ela sirva de comida para tubarões que há muito tempo tentam derrubá-la! À luta! O final de 2014 está quente e ano de 2015 promete fortes emoções…

Nenhum comentário: